<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d12023629\x26blogName\x3dPharm%C3%A1cia+de+Servi%C3%A7o\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://pharmaciadeservico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttps://pharmaciadeservico.blogspot.com/\x26vt\x3d5339164314434841800', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

Pharmácia de Serviço

Há remédio para tudo ... pharmaciadeservico_at_gmail.com

Cada vez mais, o silêncio ...

terça-feira, 31 de outubro de 2006
O ministro da economia, questionado sobre o aumento do preço de electricidade nos próximos anos, não respondeu. Insistentemente, não respondeu ...!!!

Será que o ministro não sabe o que o futuro lhe espera: se o aumento (inevitável) do preço da electricidade, se o pagamento do preço por se ter revelado um desbocado - a remodelação?
(Aliás, o "elogio" que o primeiro ministro lhe dirigiu ontem, em cerimónia oficial, tem um amargo sabor a elogio fúnebre).

A bandalheira do costume

Que a ministra da educação seja "grossa", intempestiva, agreste, aja como um tractor, seja impositiva e no fundo, apesar das eventuais boas intenções, consiga mais agitação do que verdadeira e ponderada resolução dos problemas, é uma realidade insofismável.

Agora que uma cáfila de putos da escola receba a ministra com impropérios, criticando e manifestando a sua "indignação" pela existência de aulas de substituição, que rejeitam e dizem não querer frequentar, porque querem andar à vontade e fazer durante o tempo lectivo o que lhes der "na real gana", já é absolutamente inadmissível.

Os meninos que andam na escola, durante o tempo lectivo, estão lá para estudar e mais nada. Ora veja-se o que aconteceria se numa situação paralela, isto se passase com um trabalhador de uma fábrica que, sempre que o seu sector de produção estivesse parado por qualquer razão, ele pretendesse abandonar a fábrica e ir dar uma volta até ao café ...
O que já há em demasia é meninos ha tempo demais e há anos demais na escola sem estudar nada. Como consequência, no final da sua escola, saem todos de lám muito "arejados", mas sem saber "patavina".

Se a escola fosse espartana com os seus alunos, decerto terímaos mais aproveitamento e menos insoburdinação, melhores carácteres e menos "azares na vida".

É evidente que caberia aos papás dos mesmos meninos, em primeira linha, impedir que aqueles meninos andassem em público a dizer galegadas; porém os pápás dos meninos devem ser o modelo à luz do qual eles agem daquele modo. E assim, está tudo dito ...!!!

Assim sendo, como é possível pretender-se, com pais-modelo de filhos deste jaez, conseguir fazer uma avaliação condigna e objectivamente exigente dos profesores?

Samba de uma nota só

segunda-feira, 30 de outubro de 2006
José Sócrates elegeu cerca de 99% dos delegados ao congresso.

Prevê-se um acalorado debate de ideias e uma ampla troca de pontos de vista...!!!

Vitórias homéricas

José Sócrates, reeleito na noite passada secretário-geral do PS com 97,2 por cento dos votos, numa candidatura sem adversários, interpretou hoje a sua vitória como um sinal de apoio dos militantes socialistas às políticas do Governo.

Há aqui várias confusões:
1. A votação foi para uma eleição para o cargo de secretrário geral de um partido e não para primeiro ministro de um país.

2. Quem votou - sem alternativa - elegeu um secretário geral de um partido, decerto - porque os voatantes do PS devem ser pessoas esclarecidas - por entenderem que seria o melhor para essa cargo (também não havia outro ...!!!).

3. Daí a dizer-se que quem vota sem outra alternativa apoia o que quer que seja, já é mais complicado ....

4. E dizer-se que um resultado eleitoral dos tempos da "cortina de ferro" para um cargo de secrtário geral é uma manifestação de apoio à política do governo é confundir o partido com o governo e os seus militantes como intérpretes do sentimento colectivo.

Parece que a (má) história se está a repetir ...

Ditado português (mas também aplicável no Brasil...)

domingo, 29 de outubro de 2006
Do comer e do gostar tudo vai do começar ...

... por isso ...

Luiz Inácio Lula da Silva foi hoje reeleito para a presidência do Brasil, com uma confortável vantagem sobre o seu adversário na segunda volta do escrutínio, o social-democrata Geraldo Alckmin.

Há 150 anos ...


... a primeiria "vitima" do funcionamento catatónico e dos atrasos dos nossos combóios ...!!!

Negócios (... estrangeiros...)

Aprova a Lei Orgânica do Minsitério dos Negócios Estrangeiros


Artigo 23º
Provimento dos cargos dirigentes

1—O secretário-geral é escolhido de entre funcionários diplomáticos com a categoria de embaixador.
2—Os titulares dos cargos de director-geral ou equiparado são escolhidos de entre os funcionários com a categoria de embaixador ou ministro plenipotenciário, neste caso com, pelo menos, três anos na categoria.
3 — Os titulares dos cargos de secretário-geral adjunto,subdirector-geral ou equiparado são escolhidos de entre funcionários com categoria não inferior aministro plenipotenciário ou, a título excepcional, de entre conselheiros de embaixada com, pelo menos, três anos na categoria.
4—Os titulares dos cargos de director de serviços são escolhidos de entre funcionários de categoria não inferior a conselheiro de
embaixada ou de secretário de embaixada com, pelo menos, nove anos na categoria.
5—Os titulares de cargos de chefe de divisão são escolhidos de entre os funcionários de categoria não inferior a secretário de embaixada com, pelo menos, cinco anos na categoria.
6—O provimento dos cargos dirigentes do MNE pode ser feito nos termos da lei geral, nos casos em que a legislação aplicável ao respectivo serviço expressamente o preveja.
7—O provimento dos cargos dirigentes, quando recair em funcionários diplomáticos, é feito em comissão de serviço por tempo indeterminado, podendo ser alterada a sua colocação, nos termos previstos no Estatuto da Carreira Diplomática.
Ainda que mal possa parecer, não há aqui nenhum interesse corporativo do lobby ... da carreira diplomática

Sono

(O Sono, Salvador Dali)

Hoje, ou se dorme mais uma hora ... ou não se dorme mais uma hora ...

Adivinha

Em que lugar na classificação dos campeonatos dos útimos quinze anos ficaria classificado o FCP se não contassem os jogos que ganhou com golos marcados em período de descontos?

Novas nomenclaturas para velhas profissões ...

sábado, 28 de outubro de 2006
(by mail)

1. Especialista de Fluxos de Distribuição = paquete

2. Supervisora Geral de Bem-Estar, Higiene e Saúde = mulher da limpeza

3. Coordenador de Fluxos de Entrada e Saída = porteiro

4. Coordenador de Movimentação e Vigilância Nocturna = segurança

5. Distribuidor de Recursos Humanos = motorista de autocarro

6. Especialista em Logística de Combustíveis = empregado da bomba de gasolina

7. Assessor de Engenharia Civil = trolha

8. Consultor Especialista em Logística de Alimentos = empregado de mesa

9. Técnico de Limpeza e Saneamento de Vias Publicas = varredor

10. Técnica Conselheira de Assuntos Gerais = cartomante

11. Técnica Especialista em Terapia Masculina = prostituta

12. Técnica Especialista em Terapia Masculina Sénior = prostituta de luxo

13. Especialista em Logística de Produtos Químicos e Farmacêuticos = passador de droga

14. Técnico de Marketing Direccionado = vigarista

15. Coordenador de Fluxo de Artigos = receptador de artigos roubados

16. Técnico Superior de Distribuição de Artigos Pessoais = carteirista

17. Técnico de Redistribuição de Rendimentos = ladrão

18. Técnico Superior Especialista de Assuntos Específicos Não Especializados = político

Inquérito sobre o aborto

(by mail)

O pastor


Eis aqui um controlador financeiro em plena actividade com os serviços do seu ministério.

Por isso é que lhe pagam tão bem ...

Uma questão de história ...

Afora o excesso sobre Coimbra e a sua universidade, umas pertinentes considerações sobre a "prestação" televisiva de Reis Torgal, no "elisário" programa Grandes Portugueses, no Combustões.

O PSD está cada vez mais na mesma ... até nas sondagens!

... a maior queda acaba por ser a do próprio primeiro-ministro: a popularidade de José Sócrates baixa 16 pontos em comparação com o mês anterior

... Também o PS perde terreno, agora com menos quatro por cento do que em Setembro.

Curiosamente, o PSD e Marques Mendes não parecem capitalizar com este declínio dos socialistas: os sociais-democratas permanecem como estavam.
Nem com o PS em declínio conseguem subir!

Demência persecutória

"Vamos fixar as condições para os médicos que optem por não prestar serviço extraordinário no Serviço Nacional de Saúde tenham impedimento de o prestar através de outras empresas", afirmou o ministro da Saúde, António Correia de Campos.

A simplicidade do funcionamento da máquina do Estado

Mahnahmahnah, tutururira, mahnahmahnah ...

My name is "Sina" ... "Triste Sina" !

Dar a notícia ou dar a "ideia" como notícia ...

sexta-feira, 27 de outubro de 2006
O Diário de Notícias noticia, com eco no Público, que a Polícia Judiciária (PJ) recolheu, ontem, na sede do CDS/PP, no Largo do Caldas, em Lisboa, documentação sobre o financiamento da campanha eleitoral para as legislativas de 2005.

Dito assim, a notícia parece querer sugerir que a PJ forçou, com grande aparato, a entrada na sede do Caldas, "rebuscou" as gavetas, vioru os armários ao contrário, "sacudiu" os móveis e encontrou uma série de documentação (mais ou menos "escondida", mais ou menos "ilegal") que tomou para si, apreendendo-a, saindo logo a seguir em grade correria, sem sequer se despedir do porteiro ...
O jornal até designa o facto de "incusão", como se se tratasse da invasão policial de um coio de meliantes ...

Acontece porém que as coisa se não terão, afinal, passado exactamente assim: na realidade, o Ministério Público solicitou ao CDS-PP determinada documentação que o partido se aprestou a entregar de imediato ...

Aliás o jornal, depois do inicial relato "explosivo", dá uma explicação "admirada" (e desculpatória, no caso de ser necessária...): A diligência levada a cabo por inspectores da Direcção Central de Investigação da Corrupção e Criminalidade Económica e Financeira (DCICCEF) decorreu num contexto de discrição: ao contrário do que é habitual, o Ministério Público não emitiu mandados de busca, preferindo solicitar a colaboração do CDS/PP que, voluntariamente, cedeu os documentos pretendidos.

Dá a impressão que, para o jornal, "uma coisa assim" não se faz: então a PJ, ao contrário do que é habitual, vai à sede do CDS-PP buscar documentos, num contexto de descrição...!!!

Então não houve televisão em directo, não houve jornalistas no local, não houve entrevistas e recolha de "depoimentos" a transeuntes desprevenidos e boçais, não houve "achincalhamento" de dirigentes do partido, não houve qualquer nota de aleivosia contra o CDS-PP, nem sequer houve um bocadinho de violência, com alguns disparos à mistura ...!!!

Ora isto não se faz ...!!!
Por isso, se as coisa não acontecem assim, é preciso, ao menos, dar essa ideia ...!!!

O bom e o óptimo ...

A ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima, anunciou o fim da organização das capitais nacionais da Cultura, deviado ao facto daqueles projectos não terem contribuído para a formação e fidelização de público.
De acordo com a ministra, "as cidades não se renovaram através da cultura"!
Assim sendo, uma boa medida...

Mas então, a ser como a ministra diz e pelas mesmíssimas razões, o que seria verdadeiramente óptimo era a ministra anunciar o fim do seu ministério...

A boa justiça ...

Não pode deixar de se considerar curiosa a forma como o governo e o seu ministério da justiça pretende levar a cabo "aquilo" que diz chamar-se "reforma da justiça".

Hoje, em Coimbra, é apresentado um estudo sobre a reforma de justiça em Portugal, elaborado pelo Observatório Permanente da Justiça Portuguesa, dirigido por Boaventura de Sousa Santos e coordenado por Conceição Gomes, do Centro de Estudos Sociais (CES), ambos ligados á Faculdade de Economia daquela cidade.

Ao que parece, da Faculade de Direito de Coimbra, escola cujos mestres, por dever de ofício, estudam a justiça e o direito, ninguém foi chamado a pronunciar-se ...
Nem se diga, contra isto, que Boaventura de Sousa Santos é doutor em Direito. É verdade. Mas também é verdade que ele sempre se dedicou à sociologia e foi para a Faculdade de Economia (certamente de biciclete ...) vão para aí mais de vinte e muitos anos ...

Na verdade a "reforma" que o governo pretende fazer não passa tanto pela "justiça" mas, fundamentalmente, pela "economia" ...

"Ebulição" e "dores de barriga" ...

Hoje, os serviços da administração estadual devem estar "em ebulição" e os respectivos funcionários "de calças na mão" ...

Sairam as orgânicas dos ministérios ...!!! (aqui)

O celibato da culpa

Jorge Coelho o “vulgar cidadão” que preza muito “dizer coisas” e, quando as diz, não se coíbe de referir que não é «deputado, nem ministro, nem autarca» e que não tem cargos partidários, como se isso fosse um labéu desprestigiante a afectar indelevelmente o valor da sua opinação e a credibilidade desta junto de todos os “portugueses” – parece esquecer-se (e querer que todos esqueçam) que já foi deputado, ministro, autarca e teve altos cargos partidários no PS.
Porém o vulgar cidadão Coelho já não diz que foi nem nega que é a eminência parda do PS e do regime, e o bombeiro do actual-futuro secretário-geral do PS.

Ora o “vulgar cidadão” Jorge Coelho resolveu pronunciar-se sobre a sentença do designado “julgamento de Entre-os-Rios”, não sem antes sublinhar que não se pronunciava sobre o julgamento, porque não se podia pronunciar, nem comentava as decisões da justiça como a seguir não deixou de comentar. E assim, nesta “ronha”, não se dispensou de ir dizendo, face à absolvição de oito engenheiros da JAE pelo “colectivo” daquele julgamento, que “a culpa morreu solteira”.

Jorge Coelho era à altura da queda da ponte de Entre-os Rios, ministro do equipamento social. Na noite do desastre apresentou a sua demissão, afirmando assim assumir a responsabilidade política do desastre. Diz que com isso quis demonstra que assumia a sua responsabilidade (naturalmente “política” já que era ministro…) e mostrar que tem que haver responsáveis responsabilizados pela ocorrência de acontecimentos deste tipo …

O que Coelho diz e quer dizer agora, é que ele, assumindo as suas responsabilidades, aplicou-se a si mesmo uma punição: "auto-demissão". "Auto-demitiu-se" de ministro, e pronto ...! Por isso, para ele, os deuses só ficariam devidamente aplacados e a justiça em paz consigo mesma se o tribunal tivesse feito “malhar” alguém “com os ossos na cadeia”.
Então definitivamente acabava o terrível e sofrido “celibato da culpa”. Porém não foi assim e é pena ...

É fácil dizerem-se coisas destas. Principalmente quando se pretende comparar o “alívio” que dever ter sido para o ministro que, em última instância, seria o responsável pelo trágico acontecimento, deixar o cargo ministerial que ocupava e pôr-se, “alegremente” com grande sentido de responsabilidade “política”, “ao fresco”, acabando logo aí com todas as “chatisses” que, depois do acidente, a manutenção em funções ministeriais lhe haveria de acarretar, com o vexame, o amargo, a agrura, o desencanto da vida, a tensão, a pressão, a expectativa de uma condenação, possivelmente numa pena de prisão, que implicou, para os oito arguidos, a sua acusação e julgamento neste processo.

Para Coelho depois do seu “magnânimo” gesto de "auto-demissão", alguém deveria também ser responsabilizado pelo acontecido. Quem quer que fosse.
Só que, neste caso, a "pena" seria um pouco mais "incómoda": caber-lhe-ia, a essse responsável, “malhar com os ossos na cadeia” … Era o que se podia arranjar …
Esta seria, assim, a derradeira forma de pagamento do “tributo de sangue”, nem que fosse só para acabar com o celibato da culpa e esta não “morrer solteira”… Porque isso é que é importante ...

Acabou o trabalho!


A maioria do capital da Hidroeléctrica de Cabora Bassa vai ser vendida pelo governo português.

Passa assim para as mãos do Estado moçambicano uma das grandes obras de desenvolvimento realizadas por Portugal nesse território.
E deste modo o governo consegue mais 750 milhões de euros de receitas extraordinárias para o seu orçamento.
O que não se sabe é se os interesses de Portugal foram devidamente acautelados ...

Cabora bassa ... acabou o trabalho ...

"Quem se mete com o PS, leva!" - take 2

quinta-feira, 26 de outubro de 2006
«Quem fizer frente ao Governo, tem de fazer frente ao PS porque os socialistas estão preparados para a luta»

Jorge Coelho

Sem título

Durante uma realização religiosa durante o mês sagrado do Ramadão, o xeque Taiel Dinal Hilali condenou as mulheres que se «rebolam sugestivamente» e usam maquilhagem e que não usam o hijab - o vestido que cobre o corpo e a cabeça - estão incitar à violência sexual contra elas próprias.

«Se pegarem num pedaço de carne e a deixarem na rua, no jardim ou no parque e os gatos vierem e a comerem, de quem é a culpa? Dos gatos ou da carne?», questionou, respondendo de imediato. «O problema é da carne. Se ela (a mulher) estivesse na sua sala, na sua casa, no seu hijab, não teria acontecido nada».

"Pedido de uso da palavra" ...

Finalmente Carrilho, aquele vereador do PS na CM de Lisboa que é deputado do PS na Assembleia da República, resolveu ir à Câmara "botar faladura"?

É evidente que issa nada tema a ver com aquilo que outro veredor do PS na mesma câmara, Nuno Gaioso Ribeiro, disse a respeito do seu aturado trabalho autárquico e da sua prestação na vereação, e que valeu a este ser "despedido" pelo PS-Lisboa ...!!!

"Crónica dos bons malandros" ...

Há mais de dois anos que o Ministério Público está a investigar suspeitas de outros "sacos azuis" relacionados com os negócios do lixo. As situações foram descritas por antigos dirigentes da empresa Resin, no âmbito do processo de Fátima Felgueiras, que denunciaram simulação de contratos, viagens pagas a autarcas e apoios financeiros nas campanhas eleitorais.

Governação "vat 69" (II)


Continua a produção de "mixórdia":

Depois da "manutenção de todas as SCUT", passando pela "passagem de algumas SCUT a auto-estradas pagas, por força da aplicação de rigorosos critérios científicos", temos agora que afinal em alguns casos, a aplicação daqueles "critérios científicos" a alguns troços das SCUT deu resultados errados.

Se isto não é um "governo-mixórdia", o wisky of Sac'vem era o melhor das Highlands ...

A "fome" ou a "vontade de comer"...

A Venezuela propõs a Bolívia como candidato alternativo a um lugar no Conselho de Segurança das Nações Unidas

Concorrência um tanto ou quanto desleal ...

quarta-feira, 25 de outubro de 2006

Os sindicatos e associações profissionais da Polícia de Segurança Pública estão contra o aumento de poderes da EMEL que passam, nomeadamente, pelo poder dos funcionários da empresa municipal para autuar os veículos mal estacionados, dentro ou fora das zonas que lhe são concessionadas, pois que o aumento de poderes dos funcionários da empresa municipal entra em colisão com a missão da PSP.

Então se os fiscais da EMEL "multarem" o estacionamento desregrado, o que é que os senhores agentes da PSP vão passar a fazer ...??? É que só "sobram" os "excessos de velocidade"...!!!

Governação "Vat 69"

Há já uns tantos anos foi descoberta, perto de Lisboa*, uma "fábrica" (ou uma "linha de montagem", como se queira) de wisky "a martelo".
Produzia quantidades industriais de uma mixórdia qualquer, mas que "passava" muito bem debaixo de um rótulo de Vat 69, um wisky então muito na moda. Veja-se só há quantos anos isto foi...

Ora, nos dias que passam, a governação está transformada numa autêntica mixórdia feita "a martelo" ...

Primeiro, anunciou-se que a electricidade ira ter em 2007 um aumento de cerca de 16%, como já vinha a ser dito desde o ínicio do anopelas entidades competentes - por força da liberalização do mercado e da "necessidade" de recuperar o défice resultante da diferença entre o preço da electricidade produzida e aquele pelo qual era vendida aos consumidores finais, preço este que era determinado e fixado pelo governo.

Confrontado com o aumento e o seu "volume", um secertário de estado disse que quem tinha culpa destes aumentos eram os consumidores, pois tinham sido eles a dar origem ao défice, e por isso tinham que aguentar ...

A seguir, alarmado com a recação geral, um "ministro" da economia vem dizer que o governo iria tomar medidas para "adoçar" a situação e que ele não sabia que isto seria assim.
Porém esses mesmo "ministro", havia já assinado, no início do ano, o diploma legal que permitiu a recuperação de tal "defice" no período de cinco anos ...

As coisa andam mais ou menos aos tombos durante uma semana, sem o governo atinar com qualquer rumo ... sem saber se mantinha o aumento ou se esta se ficava, para o ano, por entre os 6% e os 8% ... e nos anos seguintes se veria!

Agora o ministro da Economia afirma (ontem) na comissão parlamentar de Economia e Finanças, que as tarifas da electricidade não deverão subir em 2008 e 2009 e que o agravamento do preço da electricidade no próximo ano será de 5,9 por cento para os consumidores domésticos.

Isto é o que se pode dizer uma "mixórdia" de governação: é "vendida" como sendo da melhor qualidade, mas é a mais pura das falsificações ...!!!


*A dita fábrica situava-se em Sacavém, o que foi humoristicamente "imortalizado" por Solnado, chamando à beberagem "wisky of Sac'vem".

"Nunca se pague, mas nunca se negue"

Há um crescente número de pessoas com dívidas aos bancos que apresentam queixas na Polícia contra as entidades bancárias.
“As pessoas apresentam queixas-crime contra as entidades bancárias porque entendem que o seu bom-nome é colocado em causa pelos métodos a que estas instituições recorrem para reaverem o dinheiro emprestado".

Pois está claro...!!!
Então as pessoas põem o o dever acima de tudo e depois ainda são incomodadas...!!!
Isso não se faz ...!!!

Virou-se a página ...

Noronha do Nascimento tomou posse como Presidente do Supremo Tribunal de Justiça.

A partir daqui, tudo vai ser possível ...

A primeira, logo na posse, é que os juizes de paz devem ter “competências própria e exclusivas”, complementares dos tribunais e com um quadro de magistrados “gerido pelo Conselho Superior de Magistratura”).
Está dado o mote ...!!!

Evitar o dispêndio ...


O que é que Miguel Sousa Tavares terá feito ao gajo (eles dizem-se vários) que resoloveu criar um blogue onde é afirmado que o seu livro Equador foi (terá sido?) plagiado de um outro livro de dois autores estrangeiros?
Hummmm .... Deve ter sido coisa grossa...!!!

De qualquer forma, a ser como dizem, o que se passou não terá sido bem, bem, um plágio; parece antes, tratar-se de uma questão de "eficiência energética" literária ...

Mais uma ...

A pedido de várias famílias o governo promete que vai alterar a tributação da banca de modo a que venha a ser igual às empresas em geral.

Pronto...!!! Está prometido ...!!!

Mas como ...??? (de novo!)

terça-feira, 24 de outubro de 2006
Os Vonveiros Buluntários de Vraga vorraram as viqueiras das votas com vosta de voi ...!!!

Mas como ...???

Sessenta e oito elementos dos Bombeiros Voluntários de Braga demitiram-se

Porém, um bombeiro voluntário não se demite - simplesmente, perde a vontade ...

Moderação


Na consulta externa do hospital:
- O Sr. Doutor acha mesmo que tenho que ser operado?
- Não tenha a menor dúvida! O senhor tem que ser operado e o mais rapidamente possível...
- Mas o Sr. Doutor acha mesmo?
- Oh homem, não insista: tem mesmo que ser operado. Disso depende a sua vida.
- Oh Sr. Doutor e pode ser já hoje?
- Oh alma de Deus, modere-se .... Isto de ser operado tem que ser feito com muita "moderação". Olhe: antes de mais, e por causa disso, tem que ir pagar a taxa "moderadora" ...
- Uma ... uma taxa "moderadora" para ser operado como o Sr. Doutro manda?
- Exactamente: uma taxa "moderadora"! É que o senhor nem imagina as pessoas que chegam para aí a pedir para serem operadas! Elas querem ser operadas ao apêndice, aos bicos de papagaio, pedem um transplante do fígado ou de um rim, uma válvula mitral ... eu sei lá ... Se não fosse a taxa "moderadora" não fazíamos outra coisa senão operar essa pessoas que vêm para aqui à hora do lanche ou nas tardes de fim de semana e não se fartam de pedir para serem operadas a qualquer coisa ...

Quem não tem cão, caça com gato ...


À falta dos prometidos 150.000 novos empregos, criados pela indústria, comérico e serviços, o primeiro ministro vira-se agora para 200 novos equipamentos com capacidade para 9500 lugares em creches, lares e centros de dia, que irão gerar emprego para 3200 portugueses...!!!

Manual para consulta a advogados!

segunda-feira, 23 de outubro de 2006
Nos tempos que correm é vulgar atribuir ao advogado a pior das imagens. E, por isso, ter para com ele o pior dos comportamentos.
Mas é sempre bom lembrar que um mau advogado (que inegavelmente também os há...) não representa a verdadeira imagem da classe.
Por outro lado, é bom que cada um se vá lembrando, antes de chamar “ladrão” ao seu advogado, que é nas mãos dele que põe o cuidado dos seus interesses: então, será que não se importa de ver os seus interesses defendidos por um “ladrão” e o seu nome associado a uma classe de “gatunos”?
Como a advocacia é uma meritória e honrosa profissão (mas que fica bem e está na moda denegrir e injuriar), aqui fica um manual, recebido por e-mail, para utilizar sempre que seja necessário procurar tutela para interesses ameaçados junto daqueles que tanto gozo dá vituperar.



MANUAL para CONSULTA a um ADVOGADO
19 Conselhos práticos para evitar mal-entendidos

1- O ADVOGADO dorme.
Parece mentira, mas o ADVOGADO também precisa de dormir como qualquer pessoa.
Não o acorde sem necessidade! Esqueça que ele tem telefone em casa, ligue só para o escritório.

2- O ADVOGADO come.
Parece inacreditável, mas é verdade, o ADVOGADO também precisa de se alimentar, e há horas para isso.

3- O ADVOGADO pode ter família.
Essa é a mais incrível de todas: Mesmo sendo um ADVOGADO, enquanto pessoa, precisa de descansar ao fim de semana para poder dar atenção à família, aos amigos e a si próprio, sem pensar ou falar sobre processos, audiências, etc.

4- O ADVOGADO precisa de dinheiro.
Por essa não esperava, não é? É surpreendente, mas o ADVOGADO também paga impostos, paga a casa, compra comida, precisa de combustível, roupas, sapatos, remédios, etc.
Pode parecer mentira, mas os livros para actualização profissional, as cotas para a Ordem dos Advogados, os descontos da Segurança Social (CPAS), os cursos de formação contínua, as despesas correntes do escritório e a administração de tudo isto não se pagam com dinheiro que cai do céu.
Impressionante, não é? Entendeu agora o motivo porque deve pagar a consulta?

5- Ler, estudar e pesquisar é trabalho.
É trabalho sério. Não se ria que não é piada. E os cinco anos de universidade e mais dois de estágio, foram de borla?

6- Não é possível examinar processos pelo telefone.
É preciso comentar?

7- O ADVOGADO não é vidente.
O advogado não se licenciou em Ciências Ocultas, não joga tarôt e nem tem uma bola de cristal. Ele precisa de examinar os documentos que você deixou em casa, assim como consultar o processo para amadurecer ideias e poder superar as expectativas. Se quer um milagre, tente Fátima, bruxos ou macumba e deixe o ADVOGADO em paz.

8- Em reuniões de amigos ou festas de família.
O ADVOGADO deixa de ser ADVOGADO e reassume o seu lugar de amigo ou parente, exactamente como era antes de acabar o curso.
Não lhe peça conselhos sobre como recuperar dinheiro emprestado, intentar uma acção de alimentos, uma acção de despejo de "inquilino" em mora, intuir sobre resultados de um processo. Pior ainda, não lhe peça dicas sobre acções a tomar, após expor-lhe os factos, o lugar é impróprio, não acha?

9- Já tem ADVOGADO?
Então não pergunte ao seu amigo/parente como proceder. O direito não se exerce da mesma forma que se muda um pneu a um carro, cada ADVOGADO tem a sua marca própria de exercício da profissão. Para além de denotar uma falta de educação da sua parte, o mais grave é mesmo a falta de confiança no seu amigo ADVOGADO.

10- O seu ADVOGADO não escreve um papel qualquer.
Qualquer carta, requerimento ou outra peça processual é uma defesa dos seus interesses e tem de ser pensado, estudado, analisado e, é claro, cobrado.
Esses tópicos podem parecer inconcebíveis a uma boa parte da população, mas servem para lhe tornar a vida mais suportável.

11- Quanto ao uso do telemóvel.
O telemóvel é uma ferramenta de trabalho. Por favor, ligue-lhe apenas se for necessário. Fora do horário de expediente, por muito que duvide, o ADVOGADO pode estar a fazer alguma coisa que todos fazem, como dormir, dar explicações aos filhos, namorar, etc.

12- Nas situações descritas, o ADVOGADO pode atender?
Sim, pode atender desde que seja pago para isso. É desnecessário dizer que nesses casos o atendimento tem um custo adicional, como em qualquer outro tipo de prestação de serviços fora do horário normal. Por favor, não pechinche e fazer cara de semana santa na hora de assinar o cheque não diminui o que tem de pagar.

13- Antes da consulta:
Por favor, marque uma hora. Se não o tiver feito, não ande de um lado para o outro na sala de espera e nem pressione a secretária. Ela não tem culpa da sua ignorância. Ah! E não espere que o ADVOGADO o receba no horário de quem já estava marcado só porque vocês são amigos ou parentes. Só apareça sem marcação se for um caso de urgência e se for fora do horário normal de trabalho. Nestes casos o custo da consulta também será fora do normal, ok?

14- Repetir a mesma pergunta vezes sem conta não vai fazer o ADVOGADO mudar a resposta.
Por favor, repita no máximo três que é para não chatear muito.

15- Quando se diz que o horário de atendimento de manhã é até às 12H00,não significa que pode chegar às 11H55.
Se assim proceder, venha preparado para lhe pagar o almoço ou apareça depois deste. O mesmo vale para a parte da tarde: vá no dia seguinte.

16- Na consulta, basta que esteja presente o cliente e deve responder somente às perguntas feitas pelo ADVOGADO.
Por favor, deixe em casa o cunhado, os amigos do cunhado, os vizinhos com seus respectivos filhos. Não bombardeie o ADVOGADO com milhares de perguntas durante a consulta, pois isso desconcentra-o, além de lhe esvaecer a paciência.

17- Muita ATENÇÃO: Evite perguntas que não tenham relação com o processo.
Infelizmente para si, a cada consulta, o ADVOGADO poderá examinar apenas um único caso. Lamentamos informar, mas o outro problema/caso terá que passar por nova consulta, que também deverá ser paga. Dois em um são técnicas de Marketing não de Direito.

18- O ADVOGADO não deixará de cobrar os honorários só porque você já gastou demais no processo.
Os ADVOGADOS não foram os criadores do ditado "O barato sai caro"!!!!. Não foi ele que o procurou, você é que tem um problema que ele sabe resolver.

19- E, finalmente, ADVOGADO também é filho de DEUS e não filho daquilo que você pensa...

Optimismo, autismo ... ou neblina?


O primeiro ministro secretário geral do ps afirmou nos Açores que as «coisas começam a correr melhor» em Portugal.

É evidente que uma afirmação destas só poderia ser feita nos Açores ... A neblina não deixa ver claramente ... Ou então é autismo ...!!!

Análise

Imagem dos assessores de Cavaco Silva em pleno trabalho de análise da proposta de realização do referendo sobre o aborto.

Uma vitória da legalidade e do bom senso ...

... contra o improviso e a prepotência!

O Tribunal Administrativo e Fiscal de Coimbra decidiu que o Ministério da Educação e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior devem permitir a realização de um segundo exame de Química (código 642) a uma aluna, no prazo máximo de 15 dias a contar da notificação da sentença, que poderá acontecer hoje. São ainda intimados a "admitirem a requerente no ingresso do curso de Medicina, na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, no presente ano lectivo, desde que obtenha média de classificação final igual ou superior ao último candidato admitido a este curso, neste ano lectivo".

Está de chuva ...

Memorial

domingo, 22 de outubro de 2006

A Académica consegiu, ao fim de sete jornadas, ganhar o primeiro jogo.

Um inesperado obstáculo ...

Os defensores do aborto dão-se agora conta de que ainda resta um inesperado obstáculo para fazer vingar a sua vontade: os médicos, ou melhor o código deontológico dos médicos.

Porque este código ético ainda permite a liberdade ética, eis que se levanta aqui um estorvo à liberdade do aborto: um médico pode recusar-se a fazer um aborto por não haver, objectivamente, razões médicas para tal, apesar da mulher querer que ele o faça.

Por via disso, e neste país de positivismo jurídico (nem sempre; apenas e só quando convém ...), a União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR) entrega amanhã uma queixa junto do Provedor de Justiça, na qual critica o Código Deontológico dos médicos, por ser "mais restritivo do que a lei penal" no que ao aborto diz respeito, e reivindica a sua adequação à lei em vigor.

A dita cuja organização acusa ainda a Ordem dos Médicos, que representa os médicos portugueses e recebe poderes do Estado para exercer medicina, de "fundamentalismo intolerante".

À dita cuja organização esta sua imposição aos médicos já não lhe parece "fundamentalismo intolerante" ...
Agora só falta punir os médicos que não façam os abortos que lhe forem pedidos ...

Matar o mensageiro...!!!

sábado, 21 de outubro de 2006
Consta da história que Dario III, rei da Pérsia, cometeu erros estratégicos que contribuíram para sua derrota perante Alexandre, o Grande, na Batalha de Issus, em Novembro de 333 a.C.
Informado do desastre, Dario III terá mandado matar Charidemos, que o advertira sobre as consequências das suas decisões.
O episódio deu origem a uma expressão popular, usada sempre que alguém reage contra quem, honestamente, emite uma opinião verdadeira mas que lhe é incómoda: matar o mensageiro.

Uma história semelhante está a acontecer ao verador do PS da CM de Lisboa, Nuno Gaioso Ribeiro.
Numa entrevista publicada ontem no Diário de Notícias, este vereador afirmou:
A liderança do prof. Carrilho tem sido ausente e displicente. Tem tido um comportamento político irresponsável. No todo, deve ter participado em cerca de um terço das propostas totais da CML. Não esteve envolvido, por exemplo, em votações como o Alcântara 21, orçamento e plano, SRU, Baixa-Chiado, quadro de pessoal ou relatório de gestão da EPUL. Não participou em debates como a Infante Santo, Lei das Finanças Locais, reestruturação da Carris ou recentemente o
estado da cidade. Isto compromete a eficácia de todo o grupo dos vereadores do PS na CML. Durante um período achei que era uma questão conjuntural. Mas ao fim de um ano passa a ser estrutural. O meu silêncio foi de alguma paciência, mas a certa altura passaria a ser de cumplicidade
.

Perante este alerta, o PS-Lisboa, em vez de procurar certificar-se e corrigir o que eventualmente se passe na vereação do PS - pois que Manuel Maria Carrilho é aquilo que toda a gente já sabe - vá de "atirar-se" ao "desgraçado" do vereador, «retirar a confiança política» a Nuno Gaioso Ribeiro e «convidar» o vereador socialista a demitir-se.

Esta atiutude pode ser muito "firme", muito "socrática", muito "política" - mas de inteligente não tem rigorosamente nada.

Já há um que "abriu os olhos" ...

Manuel Alegre está decidido:

- Não, não votarei em José Sócrates. Seria hipócrita e seria falta de respeito pelo próprio José Sócrates. Também não vou votar contra. Não vou votar.

A não perder ...

Boa Ventura de Xuxa Xantos no Combustões.

SCUTeirices ...


1. De acordo com as suas próprias revelações, o governo utilizou dados de 2003 do PIB per capita regional (constantes da publicação Retratos Territoriais 2004 do INE) e de 2004 para o IPPC (Índice do Poder de Compra Concelhio) nos critérios de escolha das SCTU que passam a pagar "portagens reais".
Não se compreende porém que se utilizem dados tão antigos e só agora se tome esta decisão ... a não ser que, utilizando esses dados, se evite que outras SCUT o deixem de ser.

2. Não se compreende muito bem a desagregação de indicadores efectuada para a exclusão de pagamento de portagens de troços da SCUT Norte Litoral e a não aplicação do mesmo critério à designada A23 - SCUT da Beira Interior.
É que se o mesmo critério fosse aplicado a esta SCUT talvez alguns dos seus troços pudesem ficar sujeitos a portagem, de acordo com os critérios utilizados.

3. Dá a "impressão" - mas isso não há-de passar de uma coincidência, na qual, tal como nas bruxas, não se acredita, sendo certo que as há ...) - que as SCUT agora "desclassificadas" (ou "reclassificadas") atravessam (ou servem), principalmente, concelhos "laranjas" ... Mas é só uma "impressão" ...

É evidente que não ...


É evidente que não vai haver nenhuma remodelação governamental.

Como já aconteceu por duas vezes, pode mudar um ministro ou outro, mas isso não é nenhuma "remodelação": é, simplesmente, uma "saída" ...

Agora a confissão do "pecado" ...

... o "making of" de "C'etait un Rendezvous"

Já que o fim de semana vai ser chuvoso ...

... um pouco de "frisson" num passeio por Paris" ...



"C'etait un Rendezvous"

Ficha técnica:

Avenidas de Paris, abertas ao trânsito como habitualmente ...
Uma manhã de Agosto de 1976 ...

Trajecto: Desde Porte Dauphine até Montmartre, passando por Av. Foch, Place de l'Etoile,Champs Elysées, Concorde, Louvre, Opéra, Pigalle.

Infracção ao Código da Estrada (francês): muitíssimas ...

Realização: Claude Lelouch

Ainda que apeteça, isto não se faz ao ministro da economia ...

É o que dão as pressas ...

Explicações simples

sexta-feira, 20 de outubro de 2006
Ontem à noite, no "negócios da semana" da SIC Notícias, Henrique Medina Carreira disse (como sempre, desassombrada e expressivamente ...) tudo o que havia para dizer sobre a actual situação económico-financeira do estado português, das razões desta e dos remédios a aplicar ...

Curto, conciso, preciso ... e demolidor ...!!!

"Capitalismus" ...

(by mail)

CAPITALISMO IDEAL
Você tem duas vacas.
Vende uma e compra um boi.
Multiplicam-se e a economia cresce.
Você vende a manada e aposenta-se. Fica rico!

CAPITALISMO AMERICANO
Você tem duas vacas.
Vende uma e força a outra a produzir o leite de quatro vacas.
Fica surpreendido quando ela morre.

CAPITALISMO JAPONÊS
Você tem duas vacas.
Redesenha-as para que tenham um décimo do tamanho de uma vaca normal e produzam 20 vezes mais leite.
Depois cria desenhinhos de vacas chamados Vaquimon e vende-os para o mundo inteiro.

CAPITALISMO BRITÂNICO
Você tem duas vacas.
As duas são loucas.

CAPITALISMO HOLANDÊS
Você tem duas vacas.
Elas vivem juntas, em união de facto, não gostam de bois e tudo bem.

CAPITALISMO ALEMÃO
Você tem duas vacas.
Elas produzem leite regularmente, segundo padrões de quantidade e horário
previamente estabelecidos, de forma precisa e lucrativa.
Mas o que você queria mesmo era criar porcos.

CAPITALISMO RUSSO
Você tem duas vacas.
Conta-as e vê que tem cinco.
Conta de novo e vê que tem 42.
Conta de novo e vê que tem 12 vacas.
Você pára de contar e abre outra garrafa de vodka.

CAPITALISMO SUÍÇO
Você tem 500 vacas, mas nenhuma é sua.
Você cobra para guardar as vacas dos outros.

CAPITALISMO ESPANHOL
Você tem muito orgulho de ter duas vacas.

CAPITALISMO BRASILEIRO
Você tem duas vacas.
E reclama porque a manada não cresce...

CAPITALISMO HINDU
Você tem duas vacas.
Ai de quem tocar nelas.

CAPITALISMO PORTUGUÊS
Você tem duas vacas.
Uma delas é-lhe roubada.
O governo cria o IVVA - Imposto de Valor Vacuum Acrescentado.
Um fiscal vem e multa-o, porque embora você tenha pago correctamente o IVVA, o valor era pelo número de vacas presumidas e não pelo de vacas reais.
O Ministério das Finanças, por meio de dados também presumidos do seu consumo de leite, queijo, sapatos de couro, botões, presume que você tenha 200 vacas e para se livrar do sarilho, você dá a vaca que resta ao inspector das finanças para que ele feche os olhos e dê um jeitinho.

Eis a forma prática de evitar (mais) contestação

O ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Pedro Silva Pereira, admitiu, ontem, numa entrevista à revista Visão, que os diplomas relativos às carreiras e ao Sistema Integrado de Avaliação do Desempenho na Administração Pública (SIADP) só entrarão em vigor em 2008.

Para aquilo que interessa ao governo - conter a despesa do Estado com os funcionários públicos, de qualquer maneira e feitio - a questão fica resolvida com a aprovação pela Assembleia de nova lei a determinar a não contagem do tempo de serviço para efeitos de progressão (mudança automática de escalão), agora, até final de 2007.

Ora essa proposta de lei já existe ...!

Rapidez

Sendo, como é, a "coisa" mais urgente do mundo, é publicada já hoje a Resolução da AR, ontem aprovada, onde esta resolve apresentar a S. Ex.a o Presidente da República a proposta de realização de um referendo em que os cidadãos eleitores recenseados no território nacional sejam chamados a pronunciar-se sobre a pergunta seguinte:
«Concorda com a despenalização da interrupção voluntária da gravidez, se realizada, por opção da mulher, nas primeiras 10 semanas, em estabelecimento de saúde legalmente autorizado?»

Espécie extinta...!!!

O "Público" já "extinguiu" o CDS-PP!:

PS, PCP, BE e PEV aprovaram hoje a constituição da comissão de inquérito parlamentar sobre o “Envelope 9”. Apenas os sociais-democratas se opuseram, por consideram tratar-se de uma violação do princípio de separação de poderes.

Só génios, éramos trinta ...


Eu fico sempre pasmado com a quantidade de livros que se publicam e fico de boca aberta com a satisfação destes autores que, quando vendem, pensam que puseram os portugueses a ler e é obvio que isso é uma treta, porque são maus livros”, afirmou Lobo Antunes.

Os prazos de amortização na Ibéria ...

Em entrevista ao semanário Sol, o ministro da economia Manuel Pinho, referiu que o Governo “pretende alterar o preço de referência de energia, bem como aumentar o prazo de amortização do défice tarifário para dez anos”.

O mesmo ministro disse ainda considerar possível amortizar o défice tarifário, para além dos três anos propostos pela ERSE. E deu o exemplo de Espanha, que tem prevista uma amortização em 30 anos.

Está bem ... trinta anos ... Mas é preciso ver que os espanhóis são, como se sabe um "país pelintra" de "pelintras" ..., e apesar de também ter socialistas no governo, não tem um ministro da economia como o nosso ...!!!

Série "sadomaso" (alicate...!!!)


"Se as organizações sindicais persistirem em manter um clima de conflitualidade e continuarem a programar acções de luta como as das últimas semanas, não haverá possibilidade de desenvolver esse trabalho" [extinção dos Quadros de Zona Pedagógica e a alteração dos critérios de avaliação de desempenho dos professores], afirmou o secretário de Estado Adjunto e da Educação, Jorge Pedreira, em conferência de imprensa.

(É favor não "apertar" tanto ...)

Post post:
O mesmo secretário de estado, em técnica "afogamento":

"Ou não querem parar de tentar afundar o barco, correndo o risco de serem os primeiros a afogar-se, ou entram no barco connosco"

Primeiro, bate! depois, arrepende-se ...

quinta-feira, 19 de outubro de 2006

Depois das declarações completamente depropositadas do Secretário de Estado Adjunto da Indústria e da Inovação (só compreensíveis porque ele ainda não tinha tido oportunidade de dizer nenhuma "galeguice" a que têm direito os membros do executivo), o governo vem agora, pela voz "cândida" do seu ministro das finanças, considerar excessiva a actualização tarifária anunciada pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) e que está a tomar medidas legislativas para que os aumentos sejam mais razoáveis.

Aborto "à borla" ...

Ao que parece depois da luta pela "liberalização" do aborto, a luta que se segue irá ser pela sua gratuitidade ...

Mudaste! ...mudaste! ... mudaste! ...

Como as coisas mudam!

Hoje de manhã, como aqui se referiu e questionou, o Publico online trazia uma notícia de onde se respigou a seguinte passagem:
A Clínica dos Arcos, com instalações em Badajoz e Mérida, que recebe anualmente milhares de portuguesas que aí se deslocam para interromperem a gravidez, vai abrir uma clínica no centro de Lisboa no primeiro trimestre de 2007.
A garantia foi dada à TSF pela directora da clínica, Yolanda Hernandez, que assegura que já estabeleceu contactos com a Direcção-Geral de Saúde (DGS) portuguesa, com alguns partidos políticos e organizações de mulheres.

Hoje à tarde, essa passagem, na mesma notícia, passou a ter o seguinte texto:
A Clínica dos Arcos, que nos últimos 12 meses recebeu nas suas instalações, em Espanha, quatro mil portuguesas que queriam interromper a sua gravidez, vai abrir instalações no centro de Lisboa durante o primeiro trimestre de 2007.
A garantia foi dada ao PUBLICO.PT pela directora da clínica, Yolanda Hernandez, que assegura que já estabeleceu contactos com a Direcção-Geral de Saúde (DGS) portuguesa, com alguns partidos políticos e com organizações de mulheres.

Esperar sentado ...

Visto que as SCUT que agora vão deixar de ser gratuitas eram pagas com dinheiro dos impostos, espera-se que com a introdução de portagens pagas, os impostos desçam na devida proporção ...

Posição "se não é para mim, não é para ninguém"...

O presidente da Câmara de Santo Tirso, Castro Fernandes, eleito pelo PS, concelho servido apenas por auto-estradas com portagem (A3 e A7), defendeu que o Governo devia generalizar o pagamento de circulação em todas as Scut.

Sem alternativa ...

Em face dos critérios que o governo invoca, Coimbra deveria reclamar a transformação da A1 em SCUT já que não existe nenhuma via alternativa que permita chegar de lá a Lisboa ou ao Porto num tempo inferior a 1,3 vezes ao que é gasto na auto-estrada para os mesmos destinos ...!!!

Uma questão de números e contactos ...

Noticia o Público online:
A Clínica dos Arcos, com instalações em Badajoz e Mérida, que recebe anualmente milhares de portuguesas que aí se deslocam para interromperem a gravidez, vai abrir uma clínica no centro de Lisboa no primeiro trimestre de 2007.
A garantia foi dada à TSF pela directora da clínica, Yolanda Hernandez, que assegura que já estabeleceu contactos com a Direcção-Geral de Saúde (DGS) portuguesa, com alguns partidos políticos e organizações de mulheres.

1. O Público não refere porém como chegou à "contabilidade" de "milhares" de portuguesas que vão à Clínica do Arcos interromper a gravidez.
Teve um jornalista à porta da clínica a contar as mulhres portuguesas que lá entravam?
Perguntava-lhes ao que iam? - pois podiam entrar duas, mas uma acompanhar a outra!
Foram dados fornecidos pela própria clínica?

Certo é que o jornal contabilizou "milhares" de mulheres. Mas quantos milhares? 1 milhar ou 999 milhares? Ou apenas uma centenas?
"O número não importa, quando se fala de aborto" - dizem alguns, sentindo-se "os mais esclarecidos". Mas importa. E tanto importa que o número - um qualquer número - é sempre invocado quando se fala de aborto. De preferência na ordem dos "milhares" de mulheres! Mas sempre calculado "a olho" ou "arredondado".

2. Para abrir uma clínica onde se fazem "abortos" é natural que seja necessário estabelecer contatacto com as autoridades de saúde do país.
Agora estabelecer contactos com partidos politicos? Ou antes: com "alguns" partidos políticos!
Quais partidos? Para quê? Porquê?
Porquê neste momento, quando o aborto irá ser em breve objecto de referendo? O que propôs a dita clínica aos ditos partidos?

E depois ...???

Não se sabe o que irá acontecer quando se chegar ao termo do período de vigência do Pacto de Estabilidade e Crescimento.
Mas suspeita-se.

À falta de alterações drásticas no funcionamento da máquina estadual que permitam racionalizar despesas e consolidar poupanças, à falta de reformas estruturadas e pensadas que as possam sustentar duradouramente, à falta de um crescimento económico que proporcione mais receita fiscal e perante a exaustão fiscal dos cidadãos, incapazes de suportar (ainda) mais impostos sem grave crise social - adivinha-se o resultado: um novo desregramento orçamental.
O que significa "deitar para o lixo" todos estes estes anos de sacrifícios, sem que seja possível pediar ainda mais contenção.

Tão certo como três e dois serem cinco!

E taxas? Paga ou não?

O Governo admite que o Sistema Nacional de Saúde (SNS) já está preparado para o day after ao referendo ao aborto.

Falta apenas que o governo esclareça se quem abortar irá também pagar as taxas modeadoras por dia de internamento e pela intervenção cirúrgica - ou se está totalmente isento delas...

Quod est demonstrandum ...

Se ainda fosse necessária alguma informação adicional sobre o que é (e que "cores" tem ...) o Ministério Público, ela está dada:

O nome proposto pelo Procurador Geral da República para Vice-Procurador Geral foi vetado pelo Conselho Superior do Ministério Público por razões políticas - o proposto tem posições políticas conservadoras...!!!

Prospecção de mercado

quarta-feira, 18 de outubro de 2006

Haverá mercado para este produto?

Antes que o governo "esturre" o dinheiro da indemnização ...

(recebido por mail)

Caros Amigos,

Como é sabido de todos, jóias da Corôa Portuguesa emprestadas à Holanda em 2002 foram roubadas no decurso das exibições levadas a cabo naquele País, um caso vergonhoso de falta de cuidado das autoridades Holandesas, mas também e sobretudo de negligência das autoridades Portuguesas, as quais nunca deviam ter deixado sair as jóias para fora do território nacional.

Seja como fôr, finalmente e ao fim de 4 longos anos, as seguradoras vão pagar ao Estado Português, mas o Governo não parece inclinado a empregar o dinheiro na execução de cópias exactas dos originais roubados, ficando o Povo Português defraudado de Património Nacional que é pertença de todos.

Uma petição internacional foi lançada com o intuito de exercer pressão sobre as Autoridades Portuguesas, detalhes da qual se encontram no texto da Petição, em ambas línguas, Inglesa e Portuguesa.

Fico-lhes agradecido se puderem assinar a petição e passar esta mensagem de pedido de auxílio aos vossos contactos no sentido de evitar mais um acto de desgoverno com custos para o Património Nacional Português.

Link da Petição:

http://www.petitiononline.com/PCJ0001/petition.html

Não se tratou de atentado ...

O presidente da Câmara de Tavira, Macário Correia, sofreu um acidente de viação quando regressava na passada terça-feira, pelas 04:00 horas, do programa «Prós e Contras» da RTP1, não tendo sofrido quaisquer ferimentos.

Simbolismo e factor "tempo"...

A ministra da cultura quando, "às 09h00 de segunda-feira", classificou a ocupação do Rivoli como "um protesto original" estava convencida de que se tratava de "uma ocupação simbólica e não de vários dias".

Parece que também não se convenceu que se tratava de uma ocupação (mesmo que "simbólica"...) e não de uma utilização autorizada daquele espaço ...

Não estará ...

... nenhuma grávida ou criança dentro do Rivoli, no Porto?

É que isso dava bastante jeito ...

Série "sadomaso" (choques eléctricos)



O secretário de Estado Adjunto da Indústria e da Inovação, António Castro Guerra, afirmou hoje que a culpa do aumento de 15,7 por cento no preço da electricidade em 2007 é dos consumidores ...

É tao bom levar "choques" ...

Tal é o "aperto" ...


Os critérios "fixados" pelo governo para transformar uma SCUT em auto-estrada com portagens parece que são estes:

a) mais de 80% da média nacional para o Produto Interno Bruto "per capita"
b) mais de 90% da média nacional para o índice de poder de compra concelhio;
c) mais de 1,3 vezes o tempo de percurso das vias alternativas em relação à SCUT em causa.

Aplicada esta "matemática" o governo chegou à conclusão que as SCUT à volta do Porto reunem estas condições - e vá de "portajá-las".

Porém a Via do Infante não está incluída nesta "mudança de opinião" ... contra o que qualquer cidadão mediano, mesmo votante PS, podeira naturalmente pensar ....
É que aí as medições demonstram que o tempo de viajem na via alternativa é 1,4 vezes superior ... para se chegar à praia ...

Safa ... este valor veio mesmo a calhar ...

Taxa municipal por direitos de passagem


A autarquia de Montemor-o-Velho vai prescindir do rendimento que lhe seria proporcionado pela aplicação da taxa municipal pelos direitos de passagem, deixando de proceder à sua cobrança.
As razões aduzidas pela autarquia são do mais elementar bom-senso; mas são também um verdadeiro manifesto contra a forma como está a ser “cobrada” essa taxa, e contra a retenção indevida que dela fazem as empresas de comunicações a ele sujeitas.

A taxa pelos direitos de passagem foi criada pela Lei nº 5/2004, de 10 de Fevereiro - Lei da Comunicações Electrónicas.

Nessa lei (artigo 24º) é assegurado às empresas que ofereçam redes e serviços de comunicações electrónicas acessíveis ao público o direito de utilização do domínio público para a implantação, a passagem ou o atravessamento necessários à instalação de sistemas equipamentos e demais recursos.

Ora pela utilização do domínio público e do domínio privado municipal pode ser cobrada pelas autarquias que assim o aprovem uma taxa – a tal taxa pelos direitos de passagem, prevista no artigo 106º da mesma lei.
A fórmula de cálculo do montante da taxa prevista na lei é assaz complexa – ou antes, complicada – e não é perfeitamente esclarecedora: nos termos da alínea a) do nº 2 deste artigo, a TMDP é determinada com base na aplicação de um percentual sobre cada factura emitida pelas empresas que oferecem redes e serviços de comunicações electrónicas acessíveis ao público, em local fixo, para todos os clientes finais do correspondente município, devendo as empresas incluir nas facturas dos clientes finais de comunicações electrónicas acessíveis ao público em local fixo, e de forma expressa, o valor da taxa a pagar.

Abreviando razões, o que acontece na prática é que as operadoras de telecomunicações, aproveitando o “dark side” da lei – designadamente interpretando abusivamente este última menção legal de inclusão expressa da taxa nas facturas dos clientes finais – repercutem directamente, com o maior despudor, nas facturas de cada cliente, a dita taxa, imputando a estes o pagamento, quando ela se destina a ser suportada pelas operadoras.

Aquilo que qualquer mediano fiscalista de qualquer mediana escola de direito (há‑os a ambos...) ensina é que as taxas podem ser devidas em três típicas situações, uma das quais é exactamente a utilização do domínio público.
Mas diferentemente do imposto, a taxa pressupõe uma relação bilateral entre duas entidades: no caso, de um lado, a entidade que faculta a utilização do domínio público e do seu domínio privado, o município; e do outro, a entidade que dele faz utilização e disso tira utilidade e proveito económico, a empresa operadora de telecomunicações.
A esta relação são completamente estranhos os consumidores finais, apenas “chamados ao caso” porque o modo de cálculo do montante da taxa é desnecessariamente complexo e inusitado.

Portanto quem deve suportar a dita taxa são as empresas de telecomunicações – e sem que estas repercutam directamente o seu montante nos consumidores finais.

Ora acontece que a Portugal Telecom adopta esta prática da “repercussão” directa, “cobrando” ao consumidor a taxa que só ela devia suportar. E, descaradamente, dá uma explicação dessa cobrança, numa nota final nas suas facturas, onde “candidamente” subverte completamente o direito e a lei, dizendo, que se encontra legalmente vinculada a incluir a taxa na factura, como se isso significasse ser o consumidor o sujeito passivo da taxa.

Mas, pior!
Uma “subsidiária” da PT, fornecedora do acesso à internet Sapo ADSL, “cobra” também a mesma taxa pelos direitos de passagem. Porém este serviço é prestado através da rede telefónica, sendo que uma outra empresa do grupo, fornecedora do serviço de telefone, já “cobra” taxa pelos direitos de passagem. Verifica-se assim que a taxa é aplicada “em cascata” em função da emissão de diferentes facturas por outros tantos operadores, ainda que a infra-estrutura por onde se processam as comunicações que suportam os seus serviços seja sempre a mesma.

Porém, se o acesso à internet utiliza uma infra-estrutura já instalada, pertencente a uma empresa do mesmo grupo, que já “cobra” a taxa pelos direitos de passagem, esta “duplicação” da taxa não tem qualquer razão de ser, e depende apenas do nível de desagregação da prestação dos serviços.Se em vez de duas empresas, fosse só uma, que prestasse conjuntamente os dois serviços – telefónico e acesso à internet – haveria lugar apenas a uma factura, e por isso, apenas a um único cálculo e aplicação da dita taxa.

O que daqui resulta é que esta taxa no modo em como vem sendo “cobrada” aos consumidores finais, assume a forma de verdadeiro imposto.
Em primeiro lugar, porque estes não utilizam o domínio público para a passagem das redes de comunicações (porque as redes de comunicações são sua propriedade nem sobre elas têm qualquer direito) – apenas compram um serviço de telecomunicações a uma empresa prestadora.
Em segundo lugar, na forma como as operadoras de comunicações a incluem na factura, a dita taxa também não se encontra directamente ligada à utilização do domínio público, pois que é (sempre) aplicada “por factura”, mesmo que o serviço de comunicações facturado utilize uma infra-estruturas de comunicações que, por já suportar outro serviço de comunicações, já vê incidir na facturação deste serviço essa taxa.

Por outro lado, em quem é que o pagamento dessa taxa pelos consumidores finais contribui para os objectivos de regulação das comunicações electrónicas a prosseguir pela ARN - um dos fins da taxa?

Como se vê, o cidadão encontra-se completamente desprotegido perante os abusos interpretativos das empresas prestadoras de serviços em massa. Elas podem dar-se ao luxo de cobrar o que bem lhes apetecer, como bem lhes apetecer, porque ninguém irá reagir – até porque, em regra, os montantes são pequenos e a justiça caríssima.
Multipliquemos porém esses “pequenos montantes por uns milhões de utilizadores, e vejamos que o resultado final não é assim tão despiciendo.

Resta esperar, por um lado, que as câmaras municipais percebam que, afinal, ao cobrar a dita taxa, não estão a tributar quem devia ser tributado, mas apenas a sobrecarregar, ainda mais, os consumidores, seus munícipes e, por outro, que o legislador se dê conta que a lei anda a ser interpretadas “às avessas” e resolva clarificar o seu sentido.

Até lá, continuaremos, porém, ajoujados “debaixo” de mais esta taxa ...

Os ventos estão a mudar...???


O primeiro-ministro afirmou hoje que o Governo está disponível para negociar com os sindicatos o novo sistema de avaliação dos professores e considerou ainda ser cedo para se aferir o impacto da greve dos professores.

Porque é que o primeiro ministro resolveu quebrar o (seu) silêncio nesta matéria?

Telenovela "A Despenteada"

terça-feira, 17 de outubro de 2006

Episódio "Túnel de Ceuta II":

Os manifestantes, barricados no Teatro Rivoli do Porto, esperam reunir-se com a ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima ...

Acção ...!!!

... e então, talvez já seja tarde demais!


Atente-se no teor deste artigo, perdido no final do arrazoado da proposta do Orçamento do Estado para 2007


Artigo 134.º
Interconexão de dados

1 - Fica o Governo autorizado a legislar sobre relacionamento de dados constantes de bases da Caixa Geral de Aposentações (CGA), da ADSE, da Assistência na Doença aos
Militares das Forças Armadas (ADM), dos Serviços Sociais do Ministério da Justiça
(SSMJ), da Assistência na Doença ao Pessoal ao Serviço da Guarda Nacional Republicana e da Polícia de Segurança Pública (SAD da GNR e da PSP) e da Direcção-Geral da Administração Pública (DGAP) entre si, bem como com informação disponível em outras bases de dados de serviços dos Ministérios das Finanças e Administração Pública, da Justiça, do Trabalho e da Solidariedade Social e da Educação.
2 - A autorização prevista no número anterior é concedida no sentido de permitir à CGA, à ADSE, à ADM, aos SSMJ, à SAD da GNR e da PSP e à DGAP aceder aos dados estritamente indispensáveis ao eficaz desempenho das suas competências e sem prejuízo do dever de sigilo a que estão obrigados todos os membros de órgãos, funcionários e agentes envolvidos.
3 - Os dados a aceder respeitam exclusivamente às seguintes categorias:
a) Identificação e cadastro contributivo;
b) Nacionalidade, residência e estado civil;
c) Benefícios sociais;
d) Vínculo laboral com a Administração Pública;
e) Rendimentos;
f) Património imobiliário e mobiliário sujeito a registo;
g) Obrigações acessórias, designadamente o início, reinício, alteração, suspensão e cessação da actividade.
4 - A presente autorização não permite ao Governo criar bases de dados que permitam obter dados globais sobre os cidadãos e que permitam o acesso independentemente de necessidades concretas de verificação de legalidade de atribuição de prestações sociais e de apuramento de indicadores quantitativos de apoio à gestão de recursos humanos na Administração Pública, devidamente fundamentados pelo dirigente máximo do serviço em causa, mediante despacho prévio.
5 - A presente autorização legislativa tem a duração de 180 dias.

Esta norma governamental visa unicamente o universo dos funcionários públicos. Decerto que isso não pretenderá representar, só por si, nenhum intuito persecutório ou vexante. Será assim, apenas, mais uma "medida" do governo.

Porém:
1. O que se esconde por detrás desta norma?
2. O que é que o governo pretende saber?
3. O que é que o governo ficará a saber?
4. Para que fins servirá esta informação?
5. Quem autoriza e controla estes acessos e cruzamento de dados de bases de dados pessoais?
6. O que se entende por dados estritamente indispensáveis ao eficaz desempenho das competências daqueles serviços?
7. Como pretende garantir o governo o sigilo a que estão obrigados todos os membros de órgãos, funcionários e agentes envolvidos? (Como garante o segredo de justiça?)
8. O relacionamento dos dados não permitirá, por si só, dispor de elementos que permitam obter dados globais sobre os cidadãos?
9. O que releva o conhecimento de dados sobre património imobiliário e mobiliário sujeito a registo no que toca ao apuramento de indicadores quantitativos de apoio à gestão de recursos humanos na Administração Pública?

Não se sabe... nem a lei explica...
Na discussão parlamentar do orçamento, a norma, posta no final do diploma, decerto que nem sequer vai chegar a ser analisada e discutida. Será aprovada "a granel", como tantas outras ...

Talvez daqui a algum tempo todos os serventuários do Estado já saibam para que serve ... e sintam os seus efeitos ...
E depois, ao governo, já não custará nada estender o mecanismo a todos nós ...

Outro efeito do anunciado "fim da crise"

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego aumentou 2,7 por cento entre Agosto e Setembro.

Série "sadomaso"


Para quem gosta de sentir dor (e a "sensação" de aumento da carga fiscal sem aumento de impostos...), recomenda-se a leitura da proposta de lei do Orçamento do Estado para 2007.

Ora aqui está o primeiro efeito do anunciado "fim da crise"


As tarifas de electricidade vão aumentar 15,7 por cento no próximo ano, para os 5,3 milhões de clientes domésticos em Portugal continental, anunciou hoje a Entidade Reguladora do Sector Energético (ERSE).

A chicana do costume

1. António Costa, quando deixou de ter argumentos razoáveis, passou "à canelada".

A "canelada" é também uma forma de fazer política. Mas é pouco edificante. Revela incapacidade, estupidez e falta de argumentos. Cai mal. Mas parece que o PS gosta! É para isso que tem a maioria ...!!!

2. Os autarcas não passam da "cêpa torta". Aquele argumento de desafiar quem os contrarie ou divirja das suas ideias para se candidatar a presidente da Câmara, "a ver se ganha", é absolutamente deslocado, tôlo e bacôco.
Mas quem se julgam os autarcas? Uns "Clark Kent" que de vez em quando se vestem de "super-homem"?

Porém uma coisa é certa: os autarcas são lobos, porque sempre adoraram vestir-lhe a pele. E mostar-se com ela..!!!

Porém, quando são confrontados com isso, dizem sempre que a pele não é deles. E choram porque usam a pele de lobo quando gostavam mais de usar pele de cordeiro. Enfim ...

3. Em resumo: não se aprende nada com os autracas , com os ministros do governo nem com os programas da Fátima Campos Ferreira ...

Pela aragem ...

O debate de hoje na RTP 1 no programa Prós e Contras está a revelar bem o que são (e quem são) os autarcas e o governantes ...

Falta referir o ex-educador da classe operária, que agora é pró-governamental: é tal e qual como os outros!

É de notar que são estes espécimens que nos governam, central e localmente. Não há outros ...

Plurifuncionalidade, para que se saiba ...

segunda-feira, 16 de outubro de 2006
Fica-se a saber que o "interesse público" tanto serve para justificar o encerramento de maternidades, para "racionalizar meios" (é o mesmo que "poupar dinheiro", mas soa menos agressivamente ...) como para manter a gestão pública (deficitária ...) de teatros ...

Adenda pós-post:
1. A receita do Rivoli cobre seis por cento da despesa.

2.
A câmara municipal do Porto canaliza 7.500 euros por dia para este teatro.

Estimulação ...

O senhor Herculano, que nunca teve carro nem bicicleta, que toda a vida andou a pé calcorreando léguas de caminhos serranos por terras de riba-Côa, se agora for internado no hospital da Guarda irá pagar novas taxas moderadoras.

Perto, bem perto da Guarda, os estrangeiros e nacionais continuam a passear-se pela A25 sem pagar nada ...

O que é que o senhor Herculano beneficia da SCUT que tem à porta? Nada.
O senhor Herculano apenas se limita a pagar para ela, como qualquer outro contribuinte - quer a utilize quer não.
Por outro lado o senhor Herculano passou a pagar o internamento no hospital, porque o dinheiro que poderia pagá-lo serve para manter essa auto- estrada sem portagens ...

Chama-se a isto "estimular" o "desenvolvimento do interior" ...

Cultura e vitualhas

A ministra da Cultura está disposta a mediar o confilito entre a Câmara do Porto e os cidadãos e artistas que se opõem à privatização da gestão do teatro Rivoli e avisa que o interesse público tem de ser salvaguardado.



Pelos vistos, os "cortes" de salário e pão devem aplicar-se unicamente a quem serve os senhores à mesa ...

Os saltimbancos, menestréis e bobos, esses devem continuar a comer e beber as vitualhas da senhorial refeição ...

"Olha-me estes" ...!!!

A política salarial do Governo para a administração pública em 2007 contraria os objectivos fixados pelo próprio Executivo no Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC). Naquele documento, enviado em Junho de 2005 a Bruxelas, afirmava-se que a tabela salarial da função pública seria actualizada "em 2% ao ano", tendo como referência o período compreendido entre 2005 e 2009.

Mas o Ministério das Finanças tem restringido ainda mais a despesa, desvio que prosseguirá em 2007. Este ano, a actualização salarial dos funcionários públicos não foi além de 1,5%, abaixo da inflação. E para 2007, Teixeira dos Santos apresentou igual proposta, que já considerou inegociável. Atendendo a que será já em 2007 aumentada a taxa de desconto para a ADSE de 1% para 1,5%, a subida líquida nos salários seria de apenas 1%.

... a manter-se a intenção do Executivo, o poder de compra dos funcionários públicos deverá reduzir-se em 7,7% no período compreendido entre 2001 e 2007.

Posto de observação


Pode um governo desenvolver um conjunto de acções tendentes a criar na opinião pública uma imagem extremamente negativa dos funcionários públicos?

Pode, por razões estratégicas, mas não deveria. Por dois motivos: primeiro, a maioria dos aspectos negativos deve ser imputada à própria entidade patronal (Estado); segundo, a "mensagem" é injusta por revelar apenas um dos lados da apreciação.

...

Então, o que é que o Governo se esquece de transmitir para a opinião pública? Três questões essenciais. Em primeiro lugar, os funcionários públicos constituem uma fonte certa de receita fiscal já que não existem declarações abaixo das remunerações efectivas ou outras formas de evasão em sede de IRS.

Em segundo lugar, os funcionários públicos pagam taxas específicas para o sistema de pensões (tal como no sector privado) e para a protecção na doença, com retenção na fonte e sobre remunerações efectivas.

Em terceiro lugar, a necessidade de aumentar a comparticipação para a ADSE é fortemente explicada pelo congelamento salarial dos últimos anos, logo pela redução da receita desta entidade. Como esta explicação não era "politicamente correcta", o Governo preferiu passar a mensagem que as despesas de saúde dos funcionários públicos não devem ser pagas pelos outros. Pois é, também muitos dos funcionários públicos não gostam de pagar impostos para os outros, sejam eles quem forem!

Manuela Arcanjo, Professora do ISEG
hoje, no Diário de Notícias

Pobreza lexical

Resta ao primeiro ministro, depois do que Marcelo Rebelo de Sousa disse acerca da exiguidade do vocabulário do ministro da economia, comprar um livro destes


e oferecê-lo a Manuel Pinho...

Ora leia ...

... Jaime Nogueira Pinto a propósito das biografias de Salazer e Cunhal no "elisário" concurso "Grandes Portugueses".

A morte do peixe ...


O primeiro ministro pinto de sousa "congratulou-se" por, este ano, não ter sido necessário orçamento rectificativo...
Mas porquê tanta alegria...???

Em primeiro lugar, a não aprovação de orçamentos rectificativos deve ser a regra geral a observar em matéria financeira ...
Porque congratular-se então quando se limitou a cumprir as regras ..???

Segundo: a aprovação de um orçamento rectificativo é um situação excepcional, mas não é, porém, uma irregularidade nem nada "do outro mundo" ...
Porquê congratular-se então...???

Terceiro: Se mesmo com o aumento de despesa ínsito ou provocado pelo défice de 6,83% "arranjado" pelo "relatório Constâncio" e "ponto de partida" para os subsequentes défices previstos no PEC, com o aumento dos impostos e da carga fiscal, com o corte no investimento público a meio do ano, com os congelamentos salariais, se mesmo com isto tudo ainda fosse necessário um orçamento rectificativo este ano para acomodar "défice", mais valia "deslocalizar" o país e colocar o governo no fundo do desemprego ...

Ainda há quem diga que "pela boca morre o peixe ..."

Demiurgos

Segundo rezam as crónicas mais recentes, o "casal" "primeiro ministro/jornalista do DN" vai fazer campanha pelo aborto ... Como se costuma dizer e é de bom tom, toda a gente é livre de pensar e de expressar as suas ideias.
Porém, não se percebe muito bem porque é que agora e exactamente a propósito deste tema, estas duas personalidades passam a ser referidas como "casal" ...
Casaram?

O ministro costa das polícias, já diz, na veste de "eminência parda" do regime, que mesmo que o referendo não atinja a percentagem de votação para ser vinculativo, se o "sim" ganhar o PS aprova a liberalização do aborto no Parlamento.
Entende o dito ministro, a respeito desta matéria, que perante a "lacuna" de uma afluência insuficiente para um resultado vinculativo, a vontade do PS é "supletiva" ...
Interpretações ...

O "meio-pão" nosso de cada dia ...

domingo, 15 de outubro de 2006

O governo, generosa e caritativamente, resolveu "fazer a caridade" aos funcionários públicos (essa corja de privilegiados indigentes e malandros ...) de lhes dar mais meio "papo-seco" por dia, para poderem "ensopar o caldo" ...

Bem haja pela caridade ...!!!

A "prancha da abordagem"


Titulava o Público de ontem no caderno PúblicoCentro (sem link): nomeação de independente para a DREC abre polémica no PS - Coimbra.

A coisa até nem teria importância se não fosse dar-se o caso da guerra ter como origem a nomeação de um “independente”, feita pelo governo (como é sua legítima e legal competência), para um lugar dirigente da administração pública – o de Director Regional de Educação do Centro – lugar esse que tem vindo a ser provisoriamente desempenhado por um “militante socialista”.

Sobre este facto a secção de educação (?!) da Federação Distrital de Coimbra do PS perguntava se para o Governo será proibido ser do PS, ao mesmo tempo que questionava o presidente da dita “federação”, o vereador/deputado Vítor Batista a esclarecer se foi ouvido pela ministra e se concorda com a substituição.

Para além das “guerrinhas” e “politiquices” entre as luminárias do PS de Coimbra – que, pelos vistos, se acham “personalidades públicas”, mas que ninguém conhece nem o próprio governo do partido a que pertencem… – transparece aqui a noção de como o PS (o PS, este PS, aquele que é chefiado pelo actual primeiro ministro, porque não há outro) entende que deve ser feita a nomeação para altos cargos públicos: o ministro respectivo pergunta ao respectivo presidente da federação distrital se este concorda com a nomeação de certa pessoa ou se não há ninguém do PS lá da terra interessado no lugar … Caso este não concorde ou haja um militante que tenha interesse no “lugarzinho” a escolha do ministro deve imediatamente ser precludida pela escolha do presidente da distrital, já que esta representa os interesses das bases…

Sobre isto já se disse “este mundo e o outro”, já se fizeram promessas de democraticidade e de transparência, e tudo continua exactamente na mesma: quando se trata de nomeação para altos cargos da administração pública, seja em Lisboa seja “parvónia”, continua o “saque” pelo partido no poder. Cujas estruturas locais se acham com uma espécie de “direito de pernada”: o de indicar para esse lugar quem quer que seja (nem que seja o mais “perfeito anormal”), desde que militante do partido …

A “abordagem” ao "barco" da administração pública e o subsequente “saque” dos lugares dirigentes (primeiros “os melhores”, mas depois todos os outros …) é uma coisa muito típica do PS … Alias não é preciso fazer um grande esforço de memória, para que nos lembremos do que foi a proclamação de “no jobs for the boys” que afinal não passou de um indisfarçável “saque” de lugares na administração pública de “boys” famintos …

O que é mais curioso de se observar é a confusão cada vez maior que existe entre o Estado, a administração pública e o PS.
O primeiro-ministro já disse que o PS ia discutir o país e a governação no seu congresso - note-se, um congresso de um partido.
As organizações distritais do PS entendem que têm direito de “nomear” quem bem entendem para os lugares cimeiros da administração pública lá da terra ...

No final de tudo isto, pode-se extrair uma conclusão, deveras engraçada, da “lógica” socialista coimbrã: os “independentes” (por mais inteligentes e capazes que sejam) não têm direito a lugares dirigentes da administração pública, já que nenhum partido os julgará capazes …por não serem seus militantes. Isso, já não aconteceria se o fossem …!!!

Portanto: "independentes", "filiem-se" e "militem" enquanto é tempo, se quiserem aspirar a lugares mais altos ...

Misere nobis ...

sexta-feira, 13 de outubro de 2006
Fernanda Câncio persiste em "fazer" teologia sobre o cristianismo - religião, contudo, que ela renega, persegue e condena.
Não deve ter outro assunto ou outra forma de discutir os assuntos senão "aproximá-los" da religião cristã, para depois ou pregar lições de exegese bíblica ou para verberar a sua doutrina.

Desta feita foi a propósito da eutanásia.

Repare-se só no "conteúdo" desta "leitura" bíblica!:
Invocar Cristo é invocar o respeito pelo próximo e pelo livre-arbítrio, o amor verdadeiro e sem condições e não o ditado de um deus tirânico. Afinal, Cristo, a crer naquilo que dizem as escrituras escolhidas, decidiu morrer. Que quem nisso crê queira impedir nos outros a decisão que Cristo tomou não é só falta de caridade - é verdadeira blasfémia.

Misere nobis, Domine!

Arre Tê Pê

A malta da ÉrreTêPê ainda não notou que Pacheco Pereira já escreveu no Público um longo e demorado artigo analizando as implicâncias da inclusão ou não de Salazar na lista dos"Grandes Portugueses", e o que essa dúvida (incluir ou não incluir) significa de "salazarismo" subliminar ...

Pssssst ...!!! Oh RTP...!!! ..... O Pacheco Pereira escreveu ... !!!!!

Psssssstttttttt....!!!!!! Psssssstttttttt....!!!!!! O Pacheco Pereira já escreveu ..........!!!!!!!!

Oh pessoal da RêTêPê...!! Ponham lá também o homem na lista de sugestões de "Grandes Portugueses" que estão lá "gajos" que merecem bem menos do que ele ... !!!!

(É verdade que já lá está um Pacheco Pereira, mas este, apesar de matemático e de já ter mais de quinhentos anos, nunca chegou à "quadratura do círculo" ...)

O governo vai passar a ser ele a aplicar castigos aos nosso filhos ...

Tal como na Esparta da antuguidade, o estado vai encarregar-se da "educação" - e não apenas da "instrução" - dos nosso filhos, fixando ele mesmo os métodos inovadores, de cacrácter sancionatório mas não repressivo, que castigam mas não punem, que passará aplicar às crianças sempre que eles ultrapassem as regras - isto, se houver regras ...

Tendo presente esta nova filosofia "espartana" de vida, o novo Código Penal vai proibir expressamente os castigos corporais em crianças, praticados quer em instituições quer em casa, segundo a proposta de revisão, já aprovada pelo Governo ...

Mais umas "chochices" ...

Mário Soares considera que o peso das corporações está a condicionar a actuação do actual Presidente da República, Cavaco Silva.

"E prontos" ...

O ministro da Economia, Manuel Pinho, anunciou hoje o fim da crise em Portugal e disse que a questão agora é a de saber "quanto é que a economia portuguesa vai crescer".

Isto é o mesmo que, no Darfour, anunciar-se que "acabou a fome!", mas sem se saber quando é que chega a comida...!!!

"Liberdade" ...

A Assembleia Nacional francesa aprovou ontem um projecto-lei que instaura penas de prisão e multas pesadas para quem negar o genocídio arménio pelo Império Otomano, durante e depois da Primeira Guerra Mundial.

A lei, aprovada por 106 votos contra 19, mas que ainda precisa de luz verde do Senado e de ser ratificada pelo Presidente, Jacques Chirac, é uma iniciativa de alguns deputados socialistas (outros como Jack Lang manifestaram-se contra), que a enalteceram como um "enorme progresso para a causa da humanidade".

"Estranha forma de liberdade" ...