<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d12023629\x26blogName\x3dPharm%C3%A1cia+de+Servi%C3%A7o\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://pharmaciadeservico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttps://pharmaciadeservico.blogspot.com/\x26vt\x3d5339164314434841800', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

Pharmácia de Serviço

Há remédio para tudo ... pharmaciadeservico_at_gmail.com

Mais comemorações

segunda-feira, 30 de abril de 2007
É mesmo uma peninha que entre tantas ideias - e tão boas - para comemorar os 100 anos da República, os comissários da Comissão de Projectos para as Comemorações do Centenário da República, não se tenham lembrado de lá meter uma missinha ou uma qualquer cerimónia alusiva, por exemplo, à camionete fantasma da noite de 19 de Outubro de 1921 ...

Assunto arrumado ...


A Procuradoria-Geral da República (PGR) vai mandar abrir uma investigação à Universidade Independente (UnI).
Está-se mesmo a ver que vão acabar as "dores de cabeça" de Sócrates ...
Certidões, diplomas, equivalências e demais "poeira", vai tudo para debaixo da carpete ...

O país do "pago à parte" ...

Pagamos (cada vez maiores) impostos.
Mas sempre que precisamos de uma prestação do Estado - ou sempre que o Estado tem que satisfazer uma qualquer necessidade das mais básicas e fundamentais - esta tem que ser "paga à parte" ...

Contas de "pedreiro" ...

Segundo o Público, Alberto João Jardim está a gastar na campanha mais do que Cavaco Silva nas últimas presidenciais.

Com um orçamento ligeiramente superior a três milhões de euros para as regionais antecipadas, quatro vezes mais do que despendeu nas de 2004, a campanha liderada por Jardim ultrapassa o custo da candidatura de Cavaco (3,19 milhões).

Porém vai-se a ver e as coisas não correspondem exactamente ao que é anunciado.
O Público não refere o montante exacto do orçamento da campanha de Jardim, mas afirma peremptórimente que é superior ao de Cavaco. Até pode ser. Mas não ficava mal ao jornal dizer exctamente quanto é esse montante.

Porém prefere enredar-se numa análise obscura de contas:
À parte os dividendos políticos das inaugurações, de onde Jardim parte em viatura oficial para a campanha partidária, o PSD, com uma média de 70 mil votos num universo de 231 mil eleitores, espera receber de financiamento público 380 mil euros. Ou seja, pouco mais de metade dos 730 mil euros atribuídos pelo Estado à campanha madeirense, para distribuir pelos sete partidos concorrentes em função dos votos obtidos.

Ao ser eleito com 2,7 milhões de votos, estando inscritos cerca de nove milhões, a candidatura de Cavaco Silva obteve uma subvenção estatal de 1,7 milhões de euros, correspondente a 44,6 por cento do financiamento público para a eleição do mais alto representante da Nação.

Analisados os orçamentos e balanços entregues à Entidade das Contas e Financiamentos Políticos, no Tribunal Constitucional, vê-se que o "subsídio do PSD-Madeira" para esta campanha (2,6 milhões) é superior ao total de contribuições recebidas pela candidatura Cavaco Silva (2,2 milhões) cujo maior gasto, metade deste valor, foi em publicidade.

Daqui a única coisa que resulta é que Jardim vai gastar 2,98 milhões de Euros, afinal um pouco menos do que gastou Cavaco ...

Mas parece que para chegar ao "valor final" (que não se sabe qual é...) o Público adiciona os dividendos políticos das inaugurações, de onde Jardim parte em viatura oficial para a campanha partidária com os donativos indirectos, não contabilizados, que representam os festejos oferecidos pelos adjudicatários das obras públicas — um terço das empreitadas pertence à construtora de empresários sociais-democratas AFA — e pelos proprietários dos empreendimentos privados inaugurados pelo presidente madeirense e candidato do PSD durante o período eleitoral.

Esta é muito boa!!!
Que se saiba ainda ninguém "avaliou" ou determinou o valor financeiro dos designados "dividendos políticos".
Por outro lado, não se sabe quanto é que custaram os "comes e bebes" que terão sido oferecidos pelos construtores e proprietários dos empreendimentos por ocasião das ditas inaugurações.
Porém, fica-se a saber que "tudo somado", dá "mais" que o custo da campanha de Cavaco ...

Chama-se a isto contas "de lápis atrás da orelha".
E depois não querem que Jardim se "estique" e goze "à fartazana" com os "tontos" do "cont´nente" ...

Um contínuo esforço para nos "tratar da saúde" ...

Eis que surge mais uma forma - ou antes "a" forma - do governo aliviar despesas (mas sem naturalmente aliviar os impostos ...), sendo que no final da "manobra" a carga fiscal sobre os desgraçados dos contribuintes fica ainda mais elevada ... É simples ...

O governo "passa" para as câmaras municipais a gestaão de hospitais e centros de saúde.
Porém, mesmo que transfira algumas verbas, estas não hão-de ser suficientes para o efeito. Logo, as câmaras municipais hão-de criar (com a colaboração do governo) uma qualquer forma de esportular os munícipes - ou seja mais uma "taxa" destinada a fazer funcionar os ditos hospitais e centros de saúde (à juntar, entre outras, à "taxa" que as câmaras municipais já vão cobrar para "fazer funcionar" a protecção civil).

E pronto! No final de tudo isto quem fica com a saúde completamente "tratada" é o munícipe pagador ...

Inaugurações ...

O excesso nos gastos, que não é tolerado pelo governo no Metro do Porto - e muito bem - já parece ser tolerado e "inaugurado" pelo primeiro ministro, na margem sul.

O primeiro-ministro, o ministro das Obras Públicas e os autarcas do Seixal e de Almada vão juntar-se esta manhã, no Seixal, para a inauguração dos primeiros quatro quilómetros do Metro Sul do Tejo (MST), entre Corroios e a Cova da Piedade, obra que foi adjudicada por 320 milhões de euros mas que vai custar mais 72 milhões.

Deve ser uma questão de "côr" ...

O verdadeiro "empata" ...

O principe Harry de Inglaterra, neto da Rainha, disse há uns temps que queria ir para o Iraque, pois que era um soldado como os outros.
Disse-o alto, os "mesopotâmicos" fundamentalistas islâmicos ouviram-no e, "chamando-lhe um figo", logo lhe rogaram pela pele.
O exército inglês, ainda assim, avaliou a questão, o tempo passou-se e a coisa foi decidida: o principe Harry sempe iria para o Iraque.

Mas nestas coisas da guerra, é mais que verdadeiro o ditado português que diz que "quem te cu, tem medo".
Ora, não sofrendo o principe Harry de de qualquer problema naquela região, chegada que é a hora da partida, confessou estar "borrado de medo" ... expressão que a um príncipe, e depois de tanta prosápia, não fica mesmo nada bem, apesar de poder ser a confissão da mais pura das verdades...

Porém isto de ser príncipe tem as suas vantagens: o Exército britânico enviou forças especiais para o Iraque com o objectivo de proteger o príncipe Harry
Quer isto dizer que o "destemido" Harry vai para o Iraque arranjar (mais) problemas aos que já lá estão e ainda por cima leva a que o exército o tenha que proteger especialmente ...

Resumindo: um soldado do exército, oferece-se para ir para um local de guerra e tem que ser especialmente protegido por esse mesmo exército.
Assim, tudo leva a considerar que, afinal, um principe não é mesmo um soldado como os outros ...

Necrologia da esperança

domingo, 29 de abril de 2007
Hoje, a esperença - que é a útima a morrer - morreu mesmo ...

Agora, só um milagre ... que também os há ...!!!

Real descendência

Noticia efusivamente o diário de cujos patrões Pina Moura é agora empregado, que 'Su alteza ha dado a luz a una niña'.

Ora aqui está a vantagem de existência de monarquia numa "república" laica e socialista ...

Foi bonita a festa, pá ...

Presume-se que nesta altura já se tenham demitido os/as presidentes da Câmamara Municipais de Salvaterra de Magos, Setúbel, Oeiras, Gondomar ...

Hhhhhaaaaa ...!!! Não ...???!!! É só o Presidente da Câmara de Lisboa que se deve demitir ...!!!???

Isto assim não pode ser. Quem diz que os dados estão certos, ou não, sou eu...!!!


O governo anda em maré de azar com os tribunais superiores.

Depois dos ataques e críticas aos magistrados com que o governo “inaugurou” a sua governação (quem não se lembra da imposta redução das férias judicias, para eliminar privilégios …) o governo julgava ter “domesticado” os tribunais, colocando-os debaixo da sua “tutela”.

Julgava o governo que, de então a esta parte, palavra sua valia como lei, e eram tudo “favas contadas”. Enganou-se!

Ainda não há menos de um mês, o Tribunal Constitucional deu uma lição de independência, carácter e dignidade, ao eleger como seu vice-presidente, não o juiz que estava “encomendado” (e bem “recomendado”) pelo PS para ocupar o cargo, mas quem o colectivo dos juízes muito bem entendeu eleger.
É evidente que o Tribunal Constitucional pode vir ainda a “amargar” as consequências da independência deste seu gesto. Mas isso já são contas de outro rosário …

Desta feita tocou a vez ao Tribunal de Contas.

A propósito da reacção do primeiro ministro às conclusões da auditoria aos gabinetes ministeriais (onde se "punha a nú" o evidente despesismo e “nomeacismo” “gabinetal” da actual governação …) e na sequência da “cartita” que escreveu ao presidente do dito Tribunal a “pedir” a “correcção” daquelas conclusões, o Tribunal de Contas, numa deliberação aprovada na passada terça-feira, refuta os "erros materiais" apontados pelo Governo de José Sócrates, quer quanto ao número de nomeações, quer ainda quanto à alegada "confusão" sobre as despesas imputadas àqueles gabinetes.

O Tribunal de Contas responsabiliza directamente a Presidência do Conselho de Ministros pela "prova documental" fornecida, concluindo que só uma nova auditoria poderá habilitar o tribunal a uma nova avaliação.

Se erro material houver, ele só pode ser imputado aos serviços da actual Presidência do Conselho de Ministros, autora da prova documental fornecida ao tribunal, entre Agosto e Outubro de 2006, começa por referir a decisão agora tomada, cujo primeiro relator é Carlos Moreno. Se erro material houver, como pretende o primeiro-ministro, tal erro - não devido ao tribunal, repete-se - não incidirá sobre o seu próprio gabinete, como requere, mas também, de igual modo, e com extensão ainda não revelada pela Presidência do Conselho de Ministros, sobre os gabinetes dos primeiros-ministros do XV e XVI Governos.

Por esta altura, o primeiro ministro já se deve andar a lembrar do velho rifão: ir por lã e sair tosquiado

(Entre parêntesis, resta lembrar que, em tempos idos, havia alguém que apodava o Tribunal Constitucional de força de bloqueio sempre que este não decidia a jeito do seu governo. Certamente que agora, no âmbito da cooperação institucional, também deve estar solidário com o governo ...)

Lá como cá (às vezes) ...

Parece que isto de invocar habilitações académicas que, afinal, não se têm, não ocorre apenas em Portugal.

Noticia o Público de ontem (versão papel) que a directora do Massachusetts Institute of Technology, Marilee Jones, se demitiu depois de se ter descoberto que tinha “apresentado incorrectamente” as suas credenciais académicas no seu curriculum.
A dita senhora dizia ter diplomas do Albany Medical College, do Rensselaer Polytechnic Institute e ainda do Union College, mas o MIT nunca conseguiu confirmar que ela tivesse esses diplomas …

Para quem não saiba (???) o MIT é aquela instituição universitária americana com a qual o nosso governo celebrou, com grander alarido do primeiro ministro, um acordo no âmbito do chamado “choque tecnológico” (ainda haverá quem se lembre dele …?).

Resta concluir que, como se vê, a invocação de habilitações académicas que não se têm também acontece na América.

Porém, na América, o responsável por essa “falsificação” demite-se do cargo que ocupa …

Re-partição

sábado, 28 de abril de 2007
Numa cidadezinha deste “canteiro” – cidadezinha cheia de prosápia e pergaminhos, mas só mesmo isso – o Prior de uma das freguesias resolveu fazer um sorteio para ajudar a arranjar uns tostões (isto foi ainda no tempo em que havia tostões e em que os tostões valiam dinheiro) para a construção da residência paroquial, ali num terreninho arrimado à igreja da paróquia.

Para “adoçara a pílula” ou seja para incentivar a procura de rifas e assim obter uma quantia mais “redonda”, conseguiu arranjar dois prémios “chorudos”: um automóvel e uma motoreta (ainda não havia scooters, só mesmo genuínas motoretas).

Organizadas as rifas, vá de começar a a sua venda, não sem antes o senhor Prior avisar na homília da missa dominical, à igreja cheia, que ia ser feito um sorteio para arranjar dinheiro para a construção da residência paroquial, que os prémios iam ser um automóvel e uma motorizada, e que o resultado do sorteio seria também oportunamente anunciado na missa dominical.

Ouvido isto, logo os paroquianos, cheios de fé e crentes nas indulgências, se dispuseram a comprar as rifas, não sem a esperança de, ao mesmo tempo que iam garantindo um lugar no Paraíso, poderem, cá na Terra , trocar as viagens de eléctrico, por uns passeios de pó-pó, ou ao menos, por umas voltinhas de motoreta.

Passaram-se os dias, uns iguais aos outros, e chegado o domingo aprazado, a igreja encheu-se de fiéis, uns mais fiéis que outros, mas todos na esperança de que os prémios lhes calhassem a eles.
O senhor Prior, sobe ao púlpito, pigarreia, e com voz sonora (ainda não havia altifalantes) anuncia:

- Caros paroquianos. Vou anunciar o resultado do sorteio do automóvel e da motorizada, cujo lucro reverte para a construção da residência paroquial …

Nos bancos da assistência, os paroquianos ajeitam-se nos seus lugares, apurando o ouvido.

- Tenho a informar que o sorteio rendeu uma quantia suficiente para as obras que estão a decorrer. Por isso, a todos os que quiseram contribuir, comprando as rifas, o meu muito obrigado, em nome da paróquia…

Os fiéis já se agitavam e cochichavam de forma um tanto despropositada, tendo em consideração que estavam num lugar sagrado e a assistir à missa de domingo.
O senhor Prior, finalmente, deixa-se de considerandos e dispõe-se, de vez, a anunciar o ansiado resultado.

- Bom. E vamos lá então a anunciar o resultado do sorteio… Tenho a dizer que se deu um milagre, pois só por milagre estas coisas acontecem. Pois bem … não querem lá saber que o automóvel me saiu a mim e a motorizada ao sacristão?

Vá-se lá saber porque bulas esta história faz lembrar aquela outra que ocorreu em Mesão Frio, e segundo a qual o presidente da câmara local nomeou a sua “esposa” como sua “chefa da gabinete” e recrutou “por concurso” uma sua filha como técnica superiora da "sua" câmara municipal.
É que, naturalmente aqui, não se tratou de qualquer milagre, mas tão simplesmente, do resultado de uma pura avaliação objectiva das capacidades de cada uma das ditas funcionárias.

Perante o espanto causado pela “actuação”, justificou-se o senhor presidente dizendo:

- A pessoa que ganhou, ganhou! E acho estranho que o caso de Mesão Frio seja assim tão amoral, com tantas situações iguais que se vivem em muitos gabinetes ministeriais

"Coisas de nada" ...

sexta-feira, 27 de abril de 2007

É por estas e por outras que a maioria dos portugueses, 50,2 por cento, considera que a polémica em torno da licenciatura de José Sócrates afectou a imagem do primeiro-ministro.

Plenitude ...!!!???

Um homem de 35 anos colocou nos vidros da sua viatura, estacionada quarta-feira à noite na via pública, fotos em que surgia completamente nu, "ilustradas" com um cartaz anunciando serviços sexuais com mulheres e casais.

Uma senhora pagava cem euros, desde que não ultrapassasse um determinado tempo. Um casal 300 euros e uma noite, das 00.00 até ás 06.00, custava 600 euros.

Pior que tudo isto é que, segundo o comandante da PSP de Viana do Castelo, o ofertante exibia os órgãos sexuais, na sua plenitude...

Plenitude ...!!!??? O que é que o senhor comandante terá pretendido dizer com isso ...???!!!

Desconcertante - mas óbvia e objectiva - terá sido a justificação do autor do "anúncio" para a iniciativa: terá admitido que tratar-se de uma maneira de angariar clientes "mais económica", que um anúncio no jornal, "demasiado caro".

Coerência

Não há nenhuma contradição nas manifestações de esquerda dita "pacifista" que acabam em violência ...

É que, por natureza, um "pacifista" quando pratica a violência, fá-lo de modo pacífico ...

Organizem-se ...!!!

Hoje, o Estado "reorganizou-se" ...!!!
Basta reparar nas cerca de 60 "estruturas orgânicas" de orgãos e serviços do Estado, hoje publicados nom hebdomadário oficial.

Decerto que a partir de hoje o Estado vai funcionar muito melhor ...
Ou será que não ... e apenas vão mudar os dirigentes e ser postos na rua uns tantos funcionários (para depois serem recrutados outros, muito mais "adaptados" ao posto de trabalho ...)

Depois da "tuberculose", o "diálogo das civilizações" ...

Jorge Sampaio, foi hoje nomeado Alto Representante para o Diálogo das Civilizações pela ONU.

Já vão dois ...

Alguém é capaz de esclarecer

Será que se podem interpor acções judiciais e apresentar contestações e recursos através da comunicação social?

Já agora: e providências cautelares ...???

Nova forma de notificação judicial

As notificações judiciais vão passar a ser feitas "por notícia de jornal" (diário ou semanário) - medida mais que justificada no sentido de simplificar o trabalho dos tribunais.

É que assim sempre se poupam as fugas de informação e as violações do segredo de justiça ...

Vão-se os anéis e os dedos ...

quinta-feira, 26 de abril de 2007
O ministro António Costa afirmou hoje que, na sequência da aprovação das leis orgânicas da PSP e da GNR, passar-se-á à alienação das instalações libertadas, que em parte financiarão a lei de programação das forças de segurança.

Falando no final do Conselho de Ministros, o titular das pastas do Estado e da Administração Interna afirmou que o investimento de 427 milhões de euros na aquisição de novos equipamentos para a GNR e PSP «desdobrar-se-á ao longo de cinco anos: 62,5 milhões de euros em 2008, 74 milhões em 2009, 85,5 milhões em 2010 e 89 milhões em 2011 e 2012».

Daqui a uns anos, mesmo que queiramos, já não há nada para vender. Isso não representaria mal algum se daqui a uns anos não estivessemos no mesmo estado (ou piores ainda) em que nos encontramos hoje... mas então já sem anéis e sem dedos ...

Fraca memória

A propósito do Túnel do Marquês fala-se de tudo e em toda a gente:

- em Sá Fernandes, que causou com a sua actuação um prejuizo de vários milhões de euros (do que não deveria sair impune) e que insiste na "incomodação", dizendo agora que a velocidade dentro do túnel deve ser de 30 km/h;

- no Presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, que afirma, contra o que sustentam os Bombeiros Sapadores de Lisboa, que o túnel não tem condições de segurança;

- no Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, que inaugurou a obra e terá "fugido" a um grupo de cidadãos portadores de microfones, que estavam mortinhos por "falar" com ele ...

- que o túnel permite reduzir em 15 minutos a viagem até ao centro da capital e que o trânsito está bastante mais fluído no Marquês.

Não obstante todas estas "falas" e todos estes factos, não se tem ouvido falar (muito ou pouco) em Pedro Santana Lopes que foi o dono da ideia e quem iniciou, contra tudo e contra todos, a realização da obra ...???

Memória curta ou memória selectiva?

Reacertos nas estações

Será que o comentador António Vitorino vai passar a fazer comentário na TVI?

Ou será que não ...???

Uma pequena ajuda ao combate ...

Para ajudar a prevenir e a combater a corrupção, que é crime público (de investigação obrigatória), o Ministério da Justiça apela à sua denúncia: "Denuncie qualquer situação de corrupção de que tenha conhecimento às autoridades competentes." E salienta-se que é um "dever legal denunciar" as situações irregulares.

Decerto que este combate se tornaria bastante mais eficaz se o governo se lembrasse de entregar "discretamente" uns "envelopezinhos" a cada um dos denunciantes ...!!!

Felizmente ainda há quem pense (pela sua própria cabeça ...)

O ex-presidente do governo de Espanha José María Aznar afirmou ontem, no Porto, que "o multiculturalismo na Europa é um grande erro e um grande fracasso".

O verdadeiro perigo do Túnel do Marquês ...

... resulta do facto dos "engarrafamentos" no Marquês ou nas Amoreiras deixarem de poder ser usados como desculpa para os atrasos na chegada ao emprego ....

Os aumentos dos impostos que não aumentam os impostos

De há dois anos a esta parte, vem sendo repetido à exaustão pelo primeiro-ministro e pelo responsável da matéria, sempre com ar cândido e angélico, que o governo não aumentou nem vai aumentar os impostos. Pisam e repisam esta afirmação: o governo não vai aumentar os impostos.

Certo é que os cidadãos têm a vaga sensação de que entregam cada vez mais dinheiro ao Estado para dele receberem menos do que recebiam antes. Não estão certos sobre o que aconteceu aos impostos, mas sabem de ciência feita de que, cada dia que passa, se vergam mais e mais aos tributos que os sobrecarregam.

Por detrás do “manto diáfano da fantasia” de que os impostos não aumentaram, no qual o governo insiste e quer que nele creiamos, está porém, a “nudez crua da verdade” de que os impostos, ou de forma mais correcta, os pagamentos ao Estado (como se diz nas caixas Multibanco) aumentam a cada dia que passa. Ou, pior, criam-se “novos” pagamentos.

Historicamente, os impostos destinavam-se a proporcionar ao Estado os meios financeiros necessários para assegurar a satisfação das necessidades colectivas. Assim, cabendo ao Estado – ou seja a todos nós – assegurar estas necessidades, todos os cidadãos deviam contribuir para as despesas que essa satisfação acarretava através do pagamento de impostos. Sempre que se dava um alargamento das necessidades colectivas que ao Estado cabia satisfazer, tornava-se necessário aumentar os impostos, ou criá-los de novo, de modo a assim fazer face às despesas adicionais que as novas prestações estaduais acarretavam.

De modo inverso sempre que o Estado deixasse de efectuara certas prestações deveria deixar de cobrar os impostos cuja receita se destinava ao sustento financeiro dessas prestações. É evidente que aqui, as coisas nem sempre se passavam deste modo. Uma vez criado o imposto – e mesmo no caso de impostos especiais – tornava-se difícil fazê-lo desaparecer no momento em que desaparecia a razão do seu lançamento. Nessa altura aparecia sempre uma outra razão, um outro motivo que aconselhava a sua manutenção. Um típico exemplo de perpetuação de impostos especiais foi o nosso “real d’água”. Mas, de uma forma ou de outra, voluntária ou sob pressão, os governos lá iam adaptando a carga fiscal àquilo que o Estado prestava à comunidade ou, pelo menos, àquilo que diziam que prestava.

Nos tempos que correm, porém, o governo inventou uma forma de, ainda que sem aumentar a taxa dos impostos, aumentar, a carga fiscal. Ou, dito de outro modo, aumentar a carga de “pagamentos ao Estado” a que os cidadãos estão obrigados, sem, contudo, lhes aumentar os impostos.

Sendo que é sobre os impostos (e o seu aumento desmedido), quando excessivos, que se abate o desvalor e crítica social, e é sobre eles que se verifica a “resistência fiscal”, designadamente, ao seu pagamento, o governo vá de transformar as prestações gratuitas que lhe cabia assegurar no âmbito de uma estado “prestativo” (que para isso cobrava impostos), por “venda de serviços” pelo Estado, serviços que, numa lógica de mercado, devem ser pagos por quem deles pretenda usufruir. Ora, se todos usufruírem desses serviços, queiram ou não, todos são compelidos a “pagar” o “preço” desse serviço – que, apesar de imposto, já não é agora um “imposto”.
Porém, isto não é mais do que um imposto disfarçado de preço.
Ou antes, não é mais que uma fraude, usada de modo a aumentar, sem limite e de forma não constitucionalmente controlada, os impostos, pois que tais “pagamentos” não sendo, no rigor das normas fiscais, verdadeiros “impostos”, ainda assim são-nos impostos pelo governo.

É o caso de mais uma taxa que as câmaras municipais vão passar a cobrar para financiar a Protecção Civil local.

Mais uma vez, e não obstante as juras governamentais de não aumento de impostos, os cidadãos de todo o país vão ser, mais uma vez, “alcavalados” com uma nova “taxa” destinada a financiar aquilo que, em primeira linha, cabe ao Estado prestar à comunidade e que deve ser financiado através dos impostos que cobra – a protecção civil.

Remetendo para as Câmaras Municipais essa tarefa de "protecção civil", acompanhada da cobrança do respectivo “preço” (sabendo-se que as Câmaras Municipais abrangem todo o país), o Estado – leia-se o governo – alija-se da responsabilidade do “aumento de impostos” que tal implica (pois que verdadeiramente cria um novo imposto nacional), sendo que os cidadãos, no final do ano, ao fazerem as suas contas, se hão-de dar conta de que pagaram ao Estado, exactamente pelas mesmas “prestações estaduais”, bastante mais que no ano anterior.

Tudo bem visto, isto mais não é, afinal, do que um verdadeiro aumento de “impostos”.

Acentuação da côr

As gravatas que o Presidente da República vem usando nas sucessivas cermónias do 25/4 na Assembleia da República, estão cada vez mais vermelhas ...

"New look"

O blogue da Revista Atlântico está com um modernaço e apelativo "look" e também com novo "endereço".

Devem julgar que têm "carta de alforria" ...

quarta-feira, 25 de abril de 2007
Durante a inauguração do túnel, os jornalistas foram mantidos à distância da comitiva oficial, mas no final do discurso do presidente resolveram dirigir-se-lhe para o questionarem sobre a constituição do vice-presidente Fontão de Carvalho como arguido num segundo processo e o encerramento do túnel neste fim-de-semana.

Transpuseram um cordão que os separava dos restantes convidados e quando Carmona se apercebeu dirigiu-se imediatamente para o seu automóvel e abandonou o local.

Só mesmo ...?

O Parlamento Europeu reclamou hoje, em Estrasburgo, a demissão do presidente do Banco Mundial, Paul Wolfowitz, considerando que a sua permanência no cargo põe em causa a política da instituição na luta contra a corrupção.

O presidente do Banco Mundial deu instruções directas ao responsável máximo dos recursos humanos da instituição a que preside para oferecer à sua namorada, a funcionária Shaha Riza, uma promoção acompanhada de um substancial aumento salarial.

Isto só vale para "aumentos" e promoções de "namoradas"?
E para "diplomas" de "licenciatura", não? É que também era bom ...

Lá, só mesmo a sério ...

O actor contratado pelo PND para satirizar Alberto João Jardim durante a campanha eleitoral da Madeira é militante social-democrata e foi esta terça-feira demitido do cargo de vice-presidente da JSD da Camacha por alegada «incompatibilidade de funções».

Pontes de Abril


Ao balcão da Pharmácia

terça-feira, 24 de abril de 2007

Receita tipicamente portuguesa: agarra-se num molho de amigalhaços que contribuíram para a chegada do partido ao poder, escolhem-se os mais viçosos e polvilha-se com eles os conselhos de administração das empresas públicas. Serve-se a frio, custa a engolir, mas pelo menos estamos habituados ao sabor. Ao que não estamos habituados é a esta variante espanhola da receita, que até já dispensa os tachos públicos para compor o refugado, tal é a vontade de favorecer quem manda na cozinha. Quando são as empresas privadas, de livre e espontânea vontade, a entregar os seus jobs aos boys dos outros, algo está podre no reino de Portugal.
A escolha de Pina Moura para presidir à Media Capital, a convite da Prisa, é uma das mais preocupantes notícias dos últimos tempos. Ao pé disto, a telenovela em redor da licenciatura de José Sócrates é apenas programação infantil. O ex-ministro do defunto Governo do pio Guterres, conhecido como o "cardeal" pela forma como se movia nos corredores do poder, e que pouco depois de ter saído do Executivo saltou para a liderança de uma das empresas que mais favoreceu enquanto governante - a espanhola Iberdrola -, vai agora tomar conta da televisão mais vista do País. Tenham medo. Muito medo.
Porque uma coisa é ser cardeal de corredores. Outra é ter à sua disposição uma igreja para pregar, frequentada por milhões - sobretudo quando a missa que nos quer oferecer não interessa nem ao menino Jesus. E é tal o seu desplante que até foi para o Expresso admitir que "o convite tem um pressuposto ideológico". Já se desconfiava, pois não são conhecidas a Pina Moura competências técnicas para gerir uma empresa de media. Aliás, como ele próprio admitiu, mal conhece o canal que se prepara para liderar.
Poder-se-ia supor - hipótese académica colocada pela mais ingénua das almas - que a nomeação de Pina Moura se devia à sua finíssima inteligência. Mas até nisso a entrevista ao Expresso é mortal: ninguém razoavelmente inteligente admitiria a existência de um "pressuposto ideológico", coisa honesta mas muito burra. Quando se fala em "pressuposto ideológico" - ou seja, na escolha de um homem do PS para liderar a TVI -, das duas uma: ou a Prisa quer levar o mais belo socialismo para a estação, distribuindo os lucros pelos trabalhadores e nunca mais explorando os estagiários; ou então quer doutrinar a redacção sobre as maravilhas do Governo socialista. E eu aposto que a exploração dos estagiários vai continuar.
Amiguinho da Prisa e da Iberdrola, amado por Sócrates e pelos espanhóis, Pina Moura quer armar-se no nosso novo Miguel de Vasconcelos. Tal como o outro, defenestrá-lo seria fazer um enorme serviço à pátria.
.
João Miguel Tavares, jornalista
hoje, no Diário de Notícias

Mais uns "Sás Fernandes" ...

A Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP) defendeu hoje que o túnel do Marquês de Pombal, em Lisboa, não deve abrir ao trânsito já amanhã, como está previsto, apontando falhas de segurança e falta de planos de emergência.

Como se havia previsto ...


Pedro Arroja, depois de ter sido insistentemente ostracisado, ostracisou-se definitivamente do Blasfémias.

"Altas" e "baixas" ...

O ministro da saúde nomeou como novo presidente dos Hospitais da Universidade de Coimbra precisamente o presidente da ARS do Centro que andava desde Janeiro a negociar com o ex-presidente dos HUC o orçamento (eufemisticamente chamado de contrato-programa) para 2007 ...

Vamos lá ver agora o orçamento que o novo presidente vai ter ... ou quanto tempo se "aguenta" no cargo ... ou o que é que vai fazer aos doentes ... ou se vai ser mais um homem-de-mão do sinistro, perdão, ministro da saúde ...

Está tudo em renovação ...!!!

Até o sítio ...!!!
(via 31 da Armada)

Ostrakismos


Antes que seja votado ao ostracismo, leia-se Pedro Arroja, no Blasfémias.

Evidentemente ...

Perguntas capciosas ...

DN - É militante do PS desde quando?
AJM - Penso que desde 92 ou 94.
DN - De Lisboa?
AJM - Sim, de Lisboa.
DN - Mas filiou-se em Lisboa?
AJM - Não, não foi em Lisboa.
DN - Foi onde?
AJM - Na Covilhã.
DN - Que é a terra de Sócrates.
AJM - Que eu saiba não é a terra dele.
DN - É a terra onde cresceu.
AJM - A pergunta é capciosa. Nestas três semanas sei o que são os jornalistas deste país. A primeira vez que falei com José Sócrates cara a cara foi no primeiro dia de aulas do ISEL.


Desconhecimentos e esquecimentos ...

DN - Inscreveu-se no PS na Covilhã porquê?
AJM - A minha carreira académica começou lá, na Universidade da Beira Interior.
DN - O senhor inscreveu-se no PS na Covilhã; foi lá professor; morou no Fundão entre 89 e 91, quando Sócrates já era uma figura relevantíssima no PS do distrito. Como é possível que não o conhecesse?
AJM - Eu não fazia militância no PS. Inscrevi-me no PS da Covilhã porque um professor da UBI, que já está reformado, me convidou para integrar a comissão de honra no distrito da recandidatura presidencial do dr. Mário Soares [Janeiro de 1991]. Esse professor era opositor do deputado José Sócrates, estavam em listas opostas.
DN - Mas quem era esse professor?
AJM - Era catedrático de Economia, já está reformado, agora não me recordo do nome dele. Entrei no PS em Janeiro de 1991 e penso que em Março já estava em Lisboa, por razões pessoais.


Prosápia "gaba-te cesto" (ou seja, "a cereja no cimo do bolo")

DN - Como é que se torna assessor dele (Armandoa Vara) e depois director do GEPI, nomeado por ele?
AJM - Em 1995 eu tinha uma carreira política. Toda a gente falava de mim. Eu era a estrela emergente do PS em Lisboa. Um putativo candidato a ministro e não a director-geral. É natural que Armando Vara, quando precisou de um engenheiro, se tenha lembrado de mim.

Transcrições da entrevista ao Diário de Notícias do Engenheiro António José Morais, professor do primeiro ministro na Universidade Independente.

Umas breves "notitas":
1. AJM filiou-se no PS em 1991, quando foi convidado para integrar a comissão de honra no distrito da recandidatura presidencial do dr. Mário Soares [Janeiro de 1991], mas "pensa" que é militante do PS desde 92 ou 94 ...!!!

2. AJM inscreveu-se no PS da Covilhã porque:
a) um professor da UBI
b) que já está reformado
c) o convidou para integrar a comissão de honra no distrito da recandidatura presidencial do dr. Mário Soares [Janeiro de 1991]
d) esse professor era opositor do deputado José Sócrates
e) estavam (o dito professor de Economia e o actual primeiro ministro) em listas opostas
f) esse professor era catedrático de Economia

... não obstante todas estas "memórias"...

g) AJM não se recorda agora do nome do dito professor ...!!!

3. AJM não fazia militância no PS. Pensa que é militante do PS desde 92 ou 94 e inscreveu-se no PS da Covilhã em Janeiro de 1991, porque um professor da UBI, que já está reformado, o convidou para integrar a comissão de honra no distrito da recandidatura presidencial do dr. Mário Soares.

... porém ...

... em 1995 já tinha uma carreira política. Toda a gente falava dele. Era a estrela emergente do PS em Lisboa. Um putativo candidato a ministro e não a director-geral.

4. Está bem , abelha ...!!!

O regresso da Pitonisa ...

A ex-ministra Manuela Ferreira Leite afastou a ideia de que o regresso de Paulo Portas à liderança do CDS-PP constitui «um perigo para o PSD», assinalando a sua «enorme dificuldade» em entrar no eleitorado social-democrata, sublinhando que «o verdadeiro partido de centro-direita em Portugal é o PSD».

Impossível não realçar ...


a "expressiva" vitória da Académica sobre o Beira-Mar, por 1-0.

Safa ...!!! mais três pontitos ...!!!

Faz como S. Tomás: faz o que ele diz não faças o que ele faz ...

segunda-feira, 23 de abril de 2007
O Ministério das Finanças português defende que o registo das contas públicas em 2005 foi feito de acordo com as orientações do Eurostat e acusa o gabinete de estatísticas europeu de ter alterado entretanto a sua posição, ao agravar o défice de há dois anos em uma décima.

Por cá, a alteração dos critérios de determinação de diversos indicadores económicos, como a taxa de desemprego, por exemplo, não mereceram, porém, tanta indignação ...

O Sol a três dimensões



Imagens do Sol a três dimensões, proporcionadas pelas duas sondas da missão Stereo, da NASA.
Para quem aprecie os mistérios do Astro-Rei, ver mais aqui.

Ideias "pindéricas" ...

O governo mais uma vez - e dando cumprimento ao ditado "não vá o sapateiro além da chinela" - dá prova de uma "dimensão" tacanha e "pequenina" no que toca à função pública e à sua reforma.

Aí, no âmbito do "novo" Sistema Integrado de Avaliação de Desempenho da Administração Pública (SIADAP), tão propagandeado, o governo entendeu que um máximo de 25 por cento dos funcionários poderá ter a «avaliação relevante». Desses, cinco por cento poderão ter «excelente», beneficiando de cinco dias extra de férias no ano seguinte ou o correspondente em dinheiro.
Os funcionários com «desempenho relevante» (nota reservada a um máximo de 20 por cento do pessoal), durante três anos consecutivos, têm direito a três dias de descanso extra.


Sendo que a avaliação do desempenho é uma mecanismo indispensável em qualquer organização, o que aqui tem verdadeiramente graça é o facto do governo conceder "benesses" pelas mais altas classificações - cinco dias extra de férias por um excelente ou "o correspondente em dinheiro".

Por outro lado, quem tiver a classificação de desenpenho relevante por três anos consecutivos, ganha três dias de férias extras.

Há coisas que ficam mal a quem as dá. Mais valia o governo não dar prémio nenhum, do que dar estas "benesses" com ar esmoler - que aquelas não passam disto mesmo.

É que faz lembrar o "maioral" a dispensar o trabalhador de fazer a jorna completa ...

Mais "bacalhau a pataco" ...

O presidente do PSD prometeu hoje, em Espinho, que, quando ganhar as eleições de 2009, a prioridade do seu Governo será levar Portugal a atingir um rendimento médio de 80 por cento em relação à média comunitária em 2013.

Uma sugestão ...

Caso se confirme o encerramento da Universidade Independente (UnI), o dossier de aluno do primeiro-ministro, José Sócrates, irá ficar na posse de uma entidade indicada pelo Ministério do Ensino Superior.

Sugere-se o Banco de Portugal ...

Ora aqui está um dos tais problemas "importantes para o desenvolvimento do país", mais relevante que a bronca da licenciatura do primeiro ministro ...

O Presidente da República mostrou-se este domingo preocupado com a obesidade infantil e juvenil, defendendo a necessidade de uma aposta na educação para a saúde dos jovens

Claro, clarinho como água ...!!!

É evidente que não foi por acaso que a recente entrada deste grupo (Prisa) em Portugal resultou da conjugação eleitoral que colocou no poder Zapatero e Sócrates. O nosso primeiro-ministro conhece os dois homens fortes da PRISA.

Chegados a este ponto, e depois da impressiva entrevista concedida por Pina Moura ao Expresso de ontem, resta-nos concluir que a nomeação de Pina Moura é, neste contexto, transparente e tem a lógica do mercado. Um grupo de comunicação social socialista entra num país amigo, com a bênção de mão amiga, e nomeia para um cargo de confiança um amigo dos seus amigos num momento particularmente delicado. Além do mais, Pina Moura é há muito um homem de confiança dos interesses espanhóis no nosso país.

Parece que os franceses lá se vão conseguir safar ...

Le candidat de droite Nicolas Sarkozy obtiendrait 54% des voix au second tour de l'élection présidentielle contre 46% pour la socialiste Ségolène Royal, selon le premier sondage diffusé après la tenue du premier tour.

Na segunda volta ...


Quando a verdade é desagradável ...

domingo, 22 de abril de 2007
... nada melhor do que "matar o mensageiro" ...!!!

Por isso, segundo o "Sol", o governo vai substituir os elementos da NAV responsáveis pelo estudo que revelava os inúmeros problemas que a solução "Ota", para novo aeroporto internacional de Lisboa, acarreta ...

Nota: ainda assim os elementos da NAV tiveram mais sorte que, há uns séculos atrás, teve Thomas More, quando intendeu contrariar a vontade do seu rei por amor à verdade ...

O Estado é "Ele"

Na campanha de "branquear" aquilo que é a maior confusão no domínio de diplomas e cursos universitários, vem agora o "professor" do senhor "inginheiro" dizer que a polémica em volta das habilitações académicas é «uma tentativa de golpe de Estado».

Não discutindo agora o inarredável direito dos portugueses saberem exactamente quem têm à frente dos destinos do seu país, o que ele "é", e como "o passou a ser", as afirmação do senhor "professor" revelam que também ele, confunde uma pessoa com o Estado.

Há cerca de pouco mais de meio século atrás, "aconteceu" na Europa uma "confusão" semelhante, com os resultados que se sabem ...

Recuando mais uns séculos, um monarca europeu afirmava que "L'État c'est moi".

Ao que parece, estas concepções foram definitivamente ultrapassadas ... menos neste "cantinho" ...
Será porque se trata de um político do PS - e este partido, desde o 25/4, pretendeu sempre, vá-se lá saber porquê, ter "carta de alforria" para levar a cabo todas as tropelias sem ser sindicado pelas suas atitudes?

O estado da "oposição"

Dá a nítida sensação que a "auto-estrada" que foi a oposição, designadmente a oposição parlamentar, por onde o PS e o primeiro ministro "circulavam" a seu bel-prazer, sempre em "excesso de velocidade", vai transformar-se, a breve trecho, num trilho de montanha, onde cada curva esconde um precipício ...

Surpresa (pouco) Kinder

Paulo Portas arrancou ontem uma vitória esmagadora sobre Ribeiro e Castro nas eleições directas do CDS-PP

Vale a pena ler ...

sexta-feira, 20 de abril de 2007
Rosa choque, de Ricardo Costa, no DE.

E pronto ...

Como na Assembleia da República só há fotocópias (!!!!!) da nota biografica (em diferentes versões) do deputado/primeiro-ministro, dá-se o assunto por encerrado ...!!!

Achtung

O procurador-geral da república, Pinto Monteiro, disse hoje que o Ministério Público (MP) está "extremamente atento" às manifestações de organizações de extrema-direita e garantiu que "tudo o que sair da legalidade" será punido.

A gatunagem, os meliantes, os vígaros, os abusadores, os falsários, os assassinos, os árbitros, os violadores, os escroques, os ladrões, os dirigentes de futebol, bem como demais familiares, parentes e afins da grande família do crime podem andar completamente descansados: o Senhor Procurador Geral da República anda "extremamente atento" à extrema-direita - que é, como se sabe, o grande e principal problema criminal em Portugal.

Ora aqui está um bom exemplo ...

...da democracia de valores e com decência, tão do gosto do primeiro ministro:

Armando Vara, quando era secretário de Estado adjunto do ministro da Administração Interna, recorreu ao director-geral do GEPI (Gabinete de Estudos e Planeamento de Instalações do MAI) e a engenheiros que dele dependiam para projectar a moradia que construiu perto de Montemor-o-Novo.

Para fazer as obras serviu-se de uma empresa e de um grupo ao qual o GEPI adjudicava muitos dos seus concursos públicos.

O que mais tem faltado nos últimos dois anos...

O secretário-geral socialista, José Sócrates, afirmou ontem à noite que o PS recusa uma democracia meramente formal, batendo-se antes por uma democracia de valores e com decência, com tolerância e respeito pelos adversários políticos

Arquivo "centralizado" ...!!!

quinta-feira, 19 de abril de 2007
No fax dirigido ao Reitor da UnI, a Inspectora Geral do Ensino Superior solicita que “na reunião aprazada para amanhã [terça-feira] pela equipa de inspecção sejam prestados os devidos esclarecimentos e apresentada a documentação requerida".

A lista da documentação exigida integra, de acordo com a segunda página do fax, redigida manualmente, o "dossier de pautas de engenharia de 1993/94 a 1995/96", "o dossier de informações estatísticas dos alunos de 1995/96 e 1996/97", os "documentos originais do processo do aluno nº 95389" (José Sócrates) e os "livros de termos de Engenharia Civil de 1993 a 1996".

Mas porquê a curiosidade sobre aquele específico aluno ... ???

Será que relativamente a ele se passou algo de estranho ... ???

Confirma-se ...

A UnI confirmou que o primeiro ministro licenciou-se a um domingo ...

Ele há cada confirmação ...!!!

Resta aogora saber quem "eleborou" o "outro" certificado de habilitações, que o primeiro ministro entregou na Câmara da Covilhã, de onde consta que a licenciatura foi concluída em data diferente (um soalheiro dia de Agosto ... ).

Eis os primeiros efeitos ...

quarta-feira, 18 de abril de 2007
Efectuada a detenção de "dezenas de elementos da extrema-direita" (ao que parece, mais precisamente 25), seis encapuzados tentam assaltar ourivesaria e foi detido um homem que terá morto outro com tiros e 18 facadas.

Constata-se assim que o país está muito mais seguro ...

Este é que tem juízo ...!!!

Joaquim Pina Moura, antigo ministro da Economia e das Finanças do Governo de António Guterres, é o novo administrador da Media Capital, cargo que vai acumular com a presidência da Iberdrola. O economista anunciou hoje que vai deixar o lugar de deputado e todos os cargos no PS para se dedicar apenas à gestão.

Aliás, os motivos para tão temerário acto são mais que compeensíveis ...

Na mouche ...!!!

O mais inexplicável em tudo isto é que os que dantes tanto se preocupavam com a boa e a má moeda considerem agora completamente desinteressante a eventualidade da moeda falsa.

VLX no Mar Salgado

Elementar, meu caro Watson ...

Devido ao facto de serem portadores de armas proibidas, foram hoje detidos pela PJ dezenas de elementos da extrema-direita, alguns deles em flagrante delito, por serem suspeitos do crime de discriminação racial ...

Safa ...
Juridicamente, isto só pode ser um verdadeiro "concurso de crimes" ...

O novo "Vasquinho da anatomia" ...

(por mail)


Vamos lá ver ...

... se o caso da Independente não acaba num "acordozinho" (muito sigiloso mas absolutamente transparente), criando-se uma nova instituição universitária para onde transitaria a "rapaziada" da UnI mais os "arquivos", desde que esses "arquivos" ficassem encerrados de vez ...

A propósito do arquivo não deixa de ser (muito) estranho que os senhores inpectores do ministério tenham pretendido "levar" consigo o processo relativo ao senhor "novas oportunidades" ...

É evidente que está fora de questão qualquer forma de pressão ou de silenciamento ...

Esta agora ...!!!

Será que isto ainda vai acabar com a Universidade Independente a poder continuar a funcionar porque afinal não há nenhuma degradação pedagógica, foi tudo um grande equívoco, e os documentos e demais elementos relativos ao curso do primeiro ministro (que até estão guardados no cofre blindado da instituição) estão todos absolutamente correctos ...???

Isto começa a ficar sórdido ...

As investigações internas (da UnI) detectaram ainda uma informação no ficheiro informático relativo a Sócrates, que o indica como estando isento de pagar propinas.

Na entrevista dada à RTP na semana passada, o primeiro-ministro assegurou ter pago todas as propinas, tendo inclusive mostrado as respectivas facturas.

Agora a coisa começa a ser mesmo grave ...
Então o homem apresentou na televisão uns documentos que, alegava, provavam o pagamento de propinas e vem-se a saber-se agora que afinal estaria isento do seu pagamento ...!!!

Como se disse já aqui, aquilo decerto que eram as contas do gás ...

Faltavam estes ... !!!

A Assembleia Municipal de Lisboa (AML) manifestou hoje «profunda preocupação» com a situação «atentatória das liberdades de expressão e imprensa» decorrente das alegadas tentativas de condicionamento da comunicação social em relação às habilitações literárias do primeiro-ministro.

Ora, ora, ora ...
Em vez de meterem o bedelho onde não são chamados, se estivessem preocupados com a completa confusão em que anda a Câmara Municipal é que faziam bem ...

Novos episódios da bandalheira ...!!!

1. A prova escrita de Inglês Técnico de José Sócrates tem uma data posterior à conclusão da licenciatura, segundo o certificado de habilitações entregue à Câmara da Covilhã, revelou o jornal "Expresso".

Elaborado pelo então secretário de Estado no dia 22 de Agosto de 1996, o teste de Inglês Técnico foi classificado pelo reitor Luís Arouca quatro dias depois, a 26 de Agosto. A nota deverá ter sido lançada de imediato, ao que se terá seguido a emissão do certificado de habilitações, também com data de 26 de Agosto, que Sócrates posteriormente entregou na Câmara da Covilhã.

Nesse certificado, escreve-se que José Sócrates teria concluído a sua licenciatura no dia 8 de Agosto de 1996.

Quanto a isto, e parafrasenado Cavaco, este não é o problema mais grave ...!!!

Se a disciplina foi leccionada, no "específico" caso, pelo reitor da UnI; se o reitor da UnI afinal não era o reitor; se a prova final da disciplina constou de um "trabalhito", feito em casa, numa "folhita" A4, afinal qual o problema de o "senhor candidato" ter concluído a cadeira depois de ter concluído o curso ...???

2. O gabinete do primeiro-ministro afirmou, esta noite, que o teste de Inglês Técnico realizado por José Sócrates só prova que o então aluno da Universidade Independente "obteve aproveitamento na disciplina" e que o professor da cadeira foi o reitor Luís Arouca. O gabinete não faz qualquer esclarecimento quanto à prova ter sido feita numa data posterior à conclusão da licenciatura do primeiro-ministro.

O gabinete diz ser "falso que aquele trabalho se limitasse a uma folha A4 dactilografada" e garantiu que ele "foi remetido ao professor responsável acompanhado de um cartão de cortesia". "Actualmente, como é sabido, este tipo de trabalhos são frequentemente enviados pelos alunos aos professores directamente por email, acompanhados de mensagens electrónicas", acrescenta.

No final da nota do gabinete do chefe de Governo é lamentada “a divulgação avulsa e não enquadrada de elementos pontuais de um processo individual para atingir política e pessoalmente o primeiro-ministro".

O primeiro ministro está ausente, mas deixou cá alguém encarregado de debitar desculpas alarves, completamente tontas e esfarrapadas, tentando deitar mais "pó para os olhos" - seguindo a táctica já usada pelo primeiro ministro de falar sobre este assuntocom a maior das canduras, à espera que a "onda" passe e o assunto esqueça ...

Contudo parece que a coisa está ficar mesmo descontrolada - leia-se, começa a não ter ponta por onde se lhe pegue - e já não vai lá com "duas lérias" "canduras, ou mesmo uns berros ...

3. José Sócrates não pode ser responsabilizado pelas discrepâncias das várias informações sobre a sua licenciatura e compete à Universidade Independente esclarecê-las, disse, esta noite, à Lusa fonte do gabinete do primeiro-ministro.

Lá isso é verdade.

O primeiro ministro não pode ser responsabilizado pelas discrepâncias.
Mas já pode ser responsabilizado por não notar essas discrepâncias em documentos sobre uma matéria que lhe custou tanto "suor".
Como pode ser responsabilizado pelo facto de ter andado até hoje a tentar justificar essas discrepâncias com os argumentos mais absurdos e obnóxios.

Na verdade, se todas as "discrepâncias" de que padece o seu processo na UnI são da responsabilidade desta, porque é que o primeiro ministro não o disse já desde a primeira hora ...???

O enorme esforço do PS para completo esclarecimento da questão ...

terça-feira, 17 de abril de 2007
O PS chumbou hoje as audições da Navegação Aérea de Portugal (NAV) e da Força Aérea sobre o projecto do aeroporto da Ota e adiou a votação da proposta de um colóquio parlamentar sobre o mesmo assunto.

Prova escrita de Inglês Técnico

Homework - written text


I like very much to be engineer.

For that I need to have a chair of Technical English.

I have accorded with my Rector that he gives me a few lessons of Technical English (by phone, because I need to stay at the ministry to care of the ambience), and after I write a text where I demonstrate my wide knows of the English language.

And so, here I am writing the written work. After this I become Engineer.

Isn’t so beautiful?

As I speak English very well, one day, I shall be prime minister of any republic of bananas. Who knows …?

I would like to thank very much M. the Rector, not only because of the equivalences but also because the high note that you will gives me at this chair of English.

Once more tank you very much

Yours

The future (who knows) prime minister of our loved republic

Eis que chega ...

Vem aí a WonderWoman ...




Maria José Morgado toma hoje posse como directora do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP).

A "explosão"


As revelações que a Independente vai fazer esta terça-feira em relação ao processo de Sócrates «são eventualmente bombásticas, explosivas».

Pois não ...!!!

Segundo Jorge Coelho na vida política não pode valer tudo.

Ah pois não ...!!!
Na vida política é preciso que não se levantem quaisquer dúvidas ...!!!

Deliciosas ...

segunda-feira, 16 de abril de 2007
... as conversas do major ...

Fé-zada...

Quase metade dos portugueses acredita nas explicações que o primeiro-ministro, José Sócrates, deu sobre a polémica em torno da sua licenciatura em Engenharia Civil na Universidade Independente (UnI), segundo uma sondagem do Correio da Manhã e da Aximage.

Começa a haver qualquer coisa de patológico nos valores atribuidos pelas sondagens à popularidade do primeiro ministro, do governo e do PS - estão sempre por volta dos 45% ...

Se não se tratar de uma fé (completamente) cega no primeiro ministro, então é caso para se dizer que "a asneira puxa a asneira" ...

Ora, se ele soubesse da Independente ...

O processo instaurado pela Direcção Regional de Educação do Alentejo ao ex-presidente do conselho executivo da Escola Básica 2/3 Cristóvão Falcão, em Portalegre, por suspeitas de falsificação do certificado de habilitações, chegou ao fim, tendo sido aplicada a pena de demissão pelo Ministério da Educação.

António Raposo ludibria o sistema por "inexistência de habilitação para o efeito, constando do processo individual do docente o 'grau académico de licenciatura' em Economia e Finanças com a nota final de 13 valores, ministrado pelo Instituto Superior de Economia da Universidade Técnica de Lisboa, estabelecimento de ensino que nunca frequentou".

Isto significa alguma coisa ???

A Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve 36 pessoas no Alentejo e no Algarve entre a tarde de anteontem e as 19h00 de hoje.

A GNR anunciou este domingo a detenção de 19 pessoas, 9 por permanência irregular no país, 8 por condução sob efeito do álcool e 2 por falta de carta de condução, durante uma operação policial na região de Setúbal.

Será que a GNR mudou de padrão de actuação e se, dantes, aplicava multas, agora, passou a fazer detenções ... ainda que tudo continue exactamente na mesma ...!!!

Poesia ...

domingo, 15 de abril de 2007
Qual a diferença entre Álvaro de Campos e Sócrates?

A diferença é que Álvaro de Campos não existia como pessoa mas tinha um curso de engenharia naval; Sócrates existe, mas não se sabe se é ou não engenheiro ...

Agora "cocem-se" ...

O Presidente da República, Cavaco Silva, desdramatizou este sábado a polémica sobre o percurso académico do primeiro-ministro, José Sócrates, afirmando que este «não é o tempo para falar» desse «problema».

«Não acredito que esteja aí o problema mais importante que tenhamos de resolver. (...) Não é concerteza o mais importante para o desenvolvimento do país», afirmou Cavaco Silva

Os votantes do professor decerto que também têm a mesma opinião sobre o assunto ...!!!

Um pouco de nostalgia

THREE DOG NIGHT - Mamma told me(live 1973)

Uns mais iguais que outros ...

sábado, 14 de abril de 2007
Se a "confusão" (é o mínimo que se lhe pode chamar) com o (ou "os", porque parece que há vários...!!!) diploma de Sócrates, se passasse com um vulgar cidadão (tipo português "mediano") o que é que lhe aconteceria?

Por exemplo: se um médico exercesse medicina num hospital público com um diploma "semelhante", o que lhe sucederia?

O carácter do julgamento ...

1. Um certificado de habilitações de José Sócrates, cujo original está na posse da Câmara Municipal da Covilhã, não coincide com o certificado que consta do seu dossier de aluno na Universidade Independente (UnI) e que foi revelado na RTP, na quarta-feira, pelo próprio primeiro-ministro.

2. Luís Arouca não era reitor da Universidade Independente (UnI) quando autorizou o plano de equivalências e permitiu que José Sócrates terminasse a sua licenciatura em engenharia civil na instituição, garante hoje o jornal "Expresso".

3. A Reitoria da Universidade Independente anunciou hoje que vai apurar responsabilidades quanto à existência de vários certificados de habilitações de José Sócrates passados pela instituição, considerando que a existirem documentos díspares "alguns poderão ser forjados". Pergunta-se: forjados por quem?

Completemente fora do prazo ...

sexta-feira, 13 de abril de 2007
Afirma Odete Santos, em entrevista ao Diário de Notícias:

O comunismo é um sistema muito avançado, que até hoje nunca existiu e demorará muitos anos a realizar. Existiram, isso sim, algumas formas de sociedade socialista.

Bem fez o PCP em a retirar do Parlamento. Esta afirmação é a prova que a deputada Odete tinha ultrapassado, há muito, o "prazo de validade" ...!!!

Chover no molhado ...

Cada vez se adensa mais o nevoeiro sobre as habilitações do primeio ministro.
Agora foi descoberto um outro certificado de habilitaçõs, emitido em data diferente daquele que o foi num domingo de Setembro de 1996, e que contém uma diferente indicação de cadeiras em relação a este.

É evidente que isto não é um problema de carácter pessoal ...
É, pura e simplesmente uma questão de polícia ...

Na verdade, como é possível, perante os documentos existents na Universidade Independente, certificar, num momento, que um aluno fez determindas cadeiras, e noutro, que concluiu outras ...

É assim legítimo levantar-se a questão de saber quais disciplinas o aluno concluiu verdadeiramente (se é que tal chegou a acontecer ...)

Como tudo isto parece ser cada vez mais estranho - e porque "quem não deve, não teme" - que tal pôr o Ministério Público e a Polícia Judiciária a investigar toda esta "embrulhada" (verdadeiramente, uma completa "trapalhada") ...

Ou seja ...

Governo pressionou mas não condicionou

Ou seja: não sai de cima, mas também não **** ... !!!

E basta ...

O Benfica "ficou-se" ...

Efeitos colaterais

Com tanto curso, tanto MBA, tanta pós-graduação sanitária, tanta habilitação literária, agora o primeiro ministro, com "Bolonha", até podia pedir a equivalência de todas essas habilitações a um Doutoramento ...

Isso até que nem seria difícil ...
Difícil, difícil, isso sim, seria encontrar uma Universidade que o fizesse, agora que o governo vai encerrar a Independente ...!!!

Indesmentível ...

... está aqui tudo explicadinho ...!!!

Tudo como dantes ...

nesta ... casa portuguesa...

Numa casa portuguesa fica bem
pão e vinho sobre a mesa.
Quando à porta humildemente bate alguém,
senta-se à mesa co'a gente.
Fica bem essa franqueza, fica bem,
que o povo nunca a desmente.
A alegria da pobreza
está nesta grande riqueza
de dar, e ficar contente.

Quatro paredes caiadas,
um cheirinho a alecrim,
um cacho de uvas doiradas,
duas rosas num jardim,
um São José de azulejo
sob um sol de primavera,
uma promessa de beijos
dois braços à minha espera...
É uma casa portuguesa, com certeza!
É, com certeza, uma casa portuguesa!

No conforto pobrezinho do meu lar,
há fartura de carinho.
A cortina da janela é o luar,
mais o sol que gosta dela...
Basta pouco, poucochinho p'ra alegrar
uma existência singela...
É só amor, pão e vinho
e um caldo verde, verdinho
a fumegar na tijela.

Quatro paredes caiadas,
um cheirinho a alecrim,
um cacho de uvas doiradas,
duas rosas num jardim,
um São José de azulejo
sob um sol de primavera,
uma promessa de beijos
dois braços à minha espera...
É uma casa portuguesa, com certeza!
É, com certeza, uma casa portuguesa!

(Reinaldo Ferreira)

E agora ...???

quinta-feira, 12 de abril de 2007
Se o governo decidir encerrar a Universidade Independente - como parece ser sua vontade, vá-se lá saber porquê - será que vai ser permitido aos seus alunos utilizar os "mecanismos" de equivalência curricular que o primeiro ministro utilizou para se transferir para a Independente e aí concluir a sua inginheiral "licenciatura" ...???

Ou será que aquela possibilidade de ter a equivalência curricular sem sequer ter apresentado o certificado de conclusão das cadeiras só se aplica mesmo ao primeiro ministro?

A ler

A universidade em ruinas, de Manuel João Ramos, hoje no Público (versão papel, mas visionável aqui).

De lá se transcereve:

... caso José Sócrates tivesse, este ano, feito o pedido de equivalência para o curriculum pós-Bolonha do curso técnico de Engenharia de Coimbra, seria já licenciado sem ter de pedir equivalências na Universidade Independente, agora sob suspeição pública. Isto é, um grau de bacharel atribuído até ao ano passado corresponde, a partir deste ano, ao grau de licenciatura dos novos curriculuns universitários e politécnicos. E o célebre MBA do INDEG-ISCTE já poderia contar nos novos cálculos de créditos académicos como preparação académica de uma tese de doutoramento.

A melhor defesa é o ataque

O ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira, considerou hoje "deplorável" e própria da "baixa política" a proposta feita pelo líder do PSD, Luís Marques Mendes, para que seja aberto um inquérito, liderado por uma entidade independente, ao currículo académico de José Sócrates.

Ao balcão da Pharmácia

A Dona da Rua

Há uma figura muito do nosso imaginário que é a da "Dona da Rua". A Dona da Rua é uma gaja acima dos 60, mas a querer sempre aparentar trinta-e-muitos, com um penteado que já só se consegue nas M'dinas do Magreb e em certos cabeleireiros de bairro: oxigenado, platinado, e gloriosamente sustentado por uma lata inteira de laca. A Dona da Rua tem gosto por tudo o que brilhe: pulseiras vistosas, pedras coloridas, à mistura com uns quantos quilates de ouro. Geralmente, costuma ter mais anéis do que dedos. Veste de leopardo, com o típico bom gosto da Clara Pinto-Correia, e passa mais tempo nas esplanadas com vista para o seu pequeno mundo do que a ler etiquetas de preços de saldo de sapatos de salto extra-alto, embora as frequente muito, elas, etiquetas, e os próprios saltos. A Dona da Rua é um Gato de Schröndiger: todas as pessoas do bairro sabem que ela subiu na vida a abrir as pernas para um cavalheiro com posses, mas ignoram sempre a data exacta em que as começou a abrir. Em contrapartida, toda a gente conhece o dia certo em que lhe pôs a tampa do caixão por cima, e fez a transferência da pensão para a conta própria. Eu gosto muito de Donas da Rua. As Donas da Rua têm uma estrutura psíquica muito própria, que é a de, depois de se terem tornado em Donas da Rua, tentarem convencer os restantes vizinhos de que aquilo sempre foi assim. Para as Donas da Rua, como para os povos primitivos, o conceito de História não existe. Não têm Passado, e desconhecem a Escrita, excepto a da assinatura do cheque da conta conjunta com o "seu" defunto. Toda a narrativa da sua vida se inscreve no Discurso Mítico. Há um axioma da Sociologia que diz que a estrutura psíquica de uma Dona da Rua é diferente da estrutura psíquica de um Licenciado. A Dona da Rua acredita mais em deitar cartas do que em Relatórios da O.C.D.E.; é mais opiniosa do Coração do que certificadora de raciocínios através da Álgebra de Boole; prefere a Raiva, o Rancor, a Inveja, a Vingança a qualquer das linhas da Declaração Universal dos Direitos do Homem; a Dona da Rua sabe, e pratica -- e é a única prática intuitiva, embora empírica, que nela se assemelha à Ciência -- que, na Teoria da Comunicação, o peso do Discurso se divide em três parcelas, desiguais, 55% para a Expressão Facial, 38% para o Tom de Voz, e só 7% para o conteúdo das Palavras: por isso, ela faz tantas boquinhas na esplanada, ao colocar a camada de batôn, dos dez em dez minutos, os esgares; por isso, ela fala sempre num tom de desdém ou de venha-mais-uma-torrada, e só comenta as notícias das intrigas dos varais de pendurar lençóis dos prédios ao lado. Esta noite, a Televisão do Estado, paga por mim, e por si, contribuinte leitor, perdeu uma hora e meia a entrevistar uma Dona da Rua. Por estranho que pareça, e para muita boa gente aqui, que me toma por especialista no Sr. Sócrates, a verdade é que eu não sou: nunca consegui estar mais do que 2 minutos a ouvi-lo, e, mesmo assim, entre "zappings", obstinados e abruptos. Hoje, pelo contrário, dei-me ao luxo de lhe dedicar 10 minutos, aliás, 10 minutos, 12 segundos e algumas décimas de segundo, como diria, o Chanato Constâncio, e penso que não foram minutos desperdiçados, porque eu sou um verdadeiro apreciador de Donas da Rua. Mais: acho que elas fazem parte do nosso património genuíno, tal como o Chulo, tirar macacos do nariz, eructar em público, o Uivo do Adepto Futebolístico, ou a Voz timbrada da Peixeira. Uma coisa falhou em Sócrates, todavia: não esteve à altura da Incompletude, de Gödel, e, portanto, não pode ascender àquela situação em que poderia ser, como no Paradoxo de Richard, simultaneamente Dona da Rua e Licenciado. O terreiro em que se move é muito baixo, e a tômbola acabou por fazê-lo definitivamente cair para o lado de... Dona da Rua. Para o Sr. Sócrates, de Vilar de Maçada, Alijó, alguém, um dia, terá de vir explicar que uma Licenciatura, como um Mestrado, como um Doutoramento, não são meros papéis com carimbos de autentificação, mas são subtis transformações cognitivas, e da espacialidade do Pensamento, ou seja, meta-estruturas, que obrigam a que a emissão de certos raciocínios, como o decorrer de certas argumentações, obedeçam a uma organização muito específica, que, apesar de indizível, é formalmente identificável. A Dona da Rua, para se convencer, e convencer os outros, prefere repetir muitas vezes a mesma palavra, variando a entoação da voz, e enformando-a numa mesma estrutura narrativa, com variantes apenas comparáveis às "nuances" das raízes do seu cabelo, em vez de encontrar o Silogismo Fatal. Glória Fácil. Ora, a cabeça do Sr. Sócrates enferma de não ter sofrido as metamorfoses cognitivas que identificam um licenciado de um não-licenciado, e tudo o resto são papéis, e ele adorou vir expor isso a público, perante uma plateia ávida de escândalo. Mas não houve escândalo, apenas "parole, parole", como cantava a outra, e vazias. Para mim, que prefiro Donas da Rua a Licenciados, foi um tempo bem gasto. Provou-me que a retórica do caracacá só conseguia despertar esgares de gozo mal-disfarçado nos jornalistas -- parabéns para ambos!... -- e suponho que numa certa parte da Plateia Portuguesa. O problema central não está nesses esgares de gozo, ou nas gargalhadas da minoria, está, sim, no reconhecimento que a Grande Maioria de um Povo pouco habilitado possa ainda conceder ao Sr. Sócrates, já que ele se lhes assemelha muito ao perfil do gajo-que-deu-o-golpe-do-baú-que-todos-gostariam-de-ter-dado-mas-não-tiveram-a-sorte-dele. Portugal é um estádio, e o Boneco de Lata de Bilderberg tem a sua claque, suponho que sejam os No Vagina's Boys, mas não posso assegurar, porque sou pouco entendido em Futebol, ao contrário das Donas da Rua, que ADORO. Até podia acontecer que o natural de Vilar de Maçada não tivesse logrado dar o salto cognitivo do Licenciado, mas houvesse alcançado o Grau Subtil de Habilitado Político, aquele "je ne sais pas quoi", a que nós chamamos o Faro dos Grandes Estadistas. Pobremente, nem uma coisa, nem outra. É um mero provinciano, despido de discurso, vestido de trapelhos enfatizados, e reduzido, pelo nível da suspeita, àquilo que de pior lhe podia acontecer em Portugal, que foi fazerem-lhe entrar a Vaidade directamente no anedotário do Senso Comum. Ao fim, depois de lhe agradecerem, ainda disse "ora essa", expressão que eu já não ouvia, desde os tempos do Sr. Américo, a quem a minha avó comprava queijo picante, e já lá vão "iânos" e muitos "concêlhus", como ele diz. Amanhã, aliás, já ontem, todos os taxistas, as operadoras de caixa do "Carrefour", os seguranças das bombas de depois-da-meia-noite terão um novo MBA, uma nova Pós-Graduação a acrescentar à Imensa Anedota Sócrates. É a única coisa transfinita em Portugal, o Sarcasmo, e, nisso, ele, país, cultura, modo de estar, é impiedoso. Costuma dizer-se que quem com ferro mata com ferro morre. À laia de final, ou de Consolação Menor, quando Bilderberg oscilou entre este Boneco de Lata e o Expansivo Santana, eu sei que teve as suas razões: o Santana, que, apesar de todos os seus defeitos, possui o tal "faro político", sofria de uns "ataques", ou seja, podia dar-lhe para cometer alguma imprevisão, que pusesse em causa o... "programinha" estipulado para Portugal. Em contrapartida, o Merceeiro de Vilar de Maçada assegurava tudo: ser Monótono, Vazio, patologicamente obstinado, Vaidoso, e ter a tal válvula de escape, muito complicada, como tinham os "Harkonnen", de "Dune": um passo em falso, puxavam-lhe o tampão, e o sangue jorrava até ao fim... Preferiram, pois, uma estrutura mental de bicha típica, subserviente, e a quem se podia desligar o oxigénio, a qualquer momento. Esqueceram-se de que lhe podiam pregar uma rasteira, no nível rasteiro das rasteiras à portuguesa, e o ruído dos bonecos de lata a cair no chão é uma coisa realmente do "Heavy-Metal", deus meu, até eu, um Estóico, e mesmo com os ouvidos tapados, e já a zarpar para outro canal, fiquei com sincera pena...
.
Arrebenta, em comentário ao post "Sócrates ou a importância de se chamar engenheiro"
hoje, no blog Repórter LX, no Expresso digital.

De novo, a Europa

Será que, quer queiramos quer não, vamos "levar em cima" com a Constituição Europeia?

Será que o conceito de "autodeterminação" e soberania do povo não se aplica nesta matéria, valendo aqui apenas a vontade dos "Cavacos" e quejandos que conduzem (transitoriamente ...) os destinos dos países europeus?

Ainda a propósito de ontem ...

Será que alguém consegiu ler qualquer dos documentos que o primeiro ministro Sócratres apresentou?
Aquilo até podiam ser as contas do gás, que passavam na mesma ...

Por outro lado alguém que guarda religiosamente os recibos relativos ao pagamento de propinas efectuados há 11 ou 12 anos, merece um canudo de inginheiro (mesmo que o não seja) ...

Também não deixa de ter graça que Sócrates tenha referido que, não podendo dar aulas na universidade, por causa de uma situação de incompatibilidade, se tenha disposto a dar uns "seminários" para "ser simpático" para com a universidade.
Mas simpático porquê?
E para quê?
Que razão "exigia" essa necessidade de simpatia?
Não parece isto retribuição social de outras simpatias?
E com "seminários" já não há incompatibilidades?

Está-se mesmo a ver ...

O primeiro ministro Sócrates alterou o curriculum que apresentou na Assembleia da República, onde como habilitações referia primeiramente "Engenharia Civil" e depois, "para esclarecer melhor" antepôs a menção "Bach.".

Só não se percebe bem como é que circularam nos serviços da Assembleia esses dois documentos e como é que os elementos das suas diferentes versões constam de públicaçõs do Parlamento.
Como não se percebe que o inginheiro só se tenha lembrado depois de indicar como habilitações "Engenharia Civil" que afinal era apenhas Bacharel ...

Há explicações mesmo convenientes ...

E a propósito: porque razão primeiro ministro Sócrates terá mudado do ISEL para a Independente a fim de concluir a licenciatura?
Se como dizem e parece constar de documentos, tinha assim tão bom aproveitamento no ISEL, para que raio quis ele ir para a Independente?

Os "inginheiros" da justiça ...

quarta-feira, 11 de abril de 2007

Antigamente o curso de Direito servia para quase tudo e o licenciado em Direito, se não era mesmo omnisciente, ficava lá muito perto ...

Mudam-se os tempos, mudam-se as habilitações (quando as há ...) e os juristas perderam a primazia...

Mas o seu lugar não ficou vago por muito tempo...

Agora o curso que "está a dar" é o de engenharia.

Um engenheiro sabe tudo e faz tudo. Aliás o ser-se engenheiro é uma coisa tão "poderosa" que basta invocar o título para se chegar aos "píncaros da lua" (mesmo que não se seja astronauta, ou mesmo engenheiro) ...

E tanto é assim que a reforma do mapa judiciário do país foi feita por uma equipa de engenheiros do Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Coimbra, coordenada pelo professor António Pais Antunes.

Depois desta reforma, só falta mesmo colocar nos tribunais engenheiros em vez de juristas, e passar a julgar processos não com base na lei mas com recurso a um teodolito, um nível de bolha de água e uma talocha ...

Outro que anda ausente do país há bastante tempo ...

Mário Lino diz desconhecer estudo contra novo aeroporto na Ota

Graçola de mau gosto, tipo "jornalismo de sarjeta"

Titula o Diário Digital:

Furtados 60 porcos de um quinta

Pergunta imediata do português típico (o chamado "português remediado"):

- Assaltaram a Assembleia da República?

Democracia (quanto mais) representativa (melhor...).

O Presidente da República, Cavaco Silva, recordou esta quarta-feira em Riga, Letónia, que é contra a realização de um referendo em Portugal sobre a próxima revisão do Tratado da União Europeia.

Cada côr, seu paladar ...


A Assembleia da República tem dois registos biográficos de José Sócrates datados de 1992. Num deles está escrito que o então deputado era licenciado em Engenharia Civil e tinha como profissão engenheiro e noutro, da mesma data, lê-se que Sócrates tinha um bacharelato em Engenharia Civil e a profissão de engenheiro técnico.

Probabilidades ...

Probabilidades e Estatística, Computação Numérica, Informática II (do plano de estudos do 2.º ano de Engenharia Civil da Independente), Investigação Operacional (do 3.º ano), Organização e Gestão de Projectos e Obras, Saneamento Ambiental (do 4.º ano), e Legislação de Projecto e Obras de Engenharia (do 5.º e último ano do curso) são as cadeiras que Sócrates não chegou a completar em nenhum dos estabelecimentos de ensino superior que frequentou.

Na Independente, Sócrates concluiu cinco disciplinas, quatro das quais a cargo do mesmo docente: António José Morais, que era na altura adjunto do secretário de Estado da Administração Interna, Armando Vara, no mesmo Executivo socialista (liderado por António Guterres) em que o actual primeiro-ministro era secretário de Estado adjunto da ministra do Ambiente.

Análise de Estruturas, Betão Armado e Pré-Esforçado (ambas do 3.º ano), Estruturas Especiais e Projecto e Dissertação (do 5.º ano do curso) foram as cadeiras que estiveram a cargo de António José Morais. A quinta disciplina que Sócrates concluiu na Independente foi Inglês Técnico, em que acabou por ser aprovado pelo próprio reitor do estabelecimento, Luiz Arouca. Apesar de o titular da cadeira ser Eurico Calado, vice-reitor da universidade.

Eh malta ...

... já não preciso marrar para tirar um curso ...!!!

José Sócrates vai levar (para a entrevista na RTP 1) um dossiê com os certificados dos cursos tirados em Lisboa e em Coimbra e recibos do pagamento de propinas para provar as suas habilitações ingenheirais ...

Pelos vistos, basta "encostar a barriga ao balcão" e pagar as propinas ...!!!

(uma pequena dúvida: os recibos do pagamento das propinas também servem para provar as posse de habilitações literárias ...???)

Disclaimer

Esclarecimento do Primeiro-Ministro
2007-04-10

Presidência do Conselho de Ministros
Gabinete do Primeiro-Ministro

Nota à comunicação social

Em relação às notícias hoje divulgadas sobre as habilitações literárias do actual Primeiro-Ministro, tal como constantes da biografia dos Deputados publicada em 1993 pelos serviços da Assembleia da República, esclarece-se o seguinte:
.
Fica-se assim a saber que, entre outras coisas, cabe aos serviços da Assembleia da República "inventar" os dados curriculares dos senhores deputados ...
Assim, nada do que está nos seus curiculun vitae divulgados pelo Parlamento é da responsabilidade dos respectivos visados ...!!!

Ou há moraliade ou comem todos ...

terça-feira, 10 de abril de 2007
Se o Público foi condenado a pagar ao Sporting uma indemnização por ter noticiado uma dívida fiscal do clube, que era verídica, por o STJ ter considerado que a notícia lesava o "bom nome e reputação do clube", será que a administração fiscal não deveria também ser condenada a pagar aos devedores fiscais que vêem o seu nome divulgado na internet pela própria administração fiscal uma indemnização idêntica, pelos mesmíssimos motivos ...???

Ou será que no que toca a "bom nome e reputação" há uns caloteiros fiscais que "se sentem" mais que os outros ...!!!

Mas investigar o quê ...???

O Procurador-Geral da República, Pinto Monteiro, declarou hoje que até ao momento não recebeu elementos para investigar qualquer diploma da Universidade Independente, incluindo o do primeiro-ministro, José Sócrates.

É evidente que, para este efeito, não contam:

1. documentos de equivalências sem carimbo e assinaturas
2. discrepâncias entre as notas constantes na pauta e as que aparecem no certificado de habilitações
3. Um estudo do Observatório da Ciência do Ensino Superior indica que não houve nenhum licenciado no curso de engenharia civil da UNI em 1996, ano que consta do diploma do primeiro-ministro
4. ... e finalmente ... o diploma de José Sócrates foi emitido a um domingo ...

Como se pode ver isto são coisas que ocorrem regular e naturalmente com qualquer (legítimo) licenciado deste país ...