<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d12023629\x26blogName\x3dPharm%C3%A1cia+de+Servi%C3%A7o\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://pharmaciadeservico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttps://pharmaciadeservico.blogspot.com/\x26vt\x3d5339164314434841800', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

Pharmácia de Serviço

Há remédio para tudo ... pharmaciadeservico_at_gmail.com

Começam a saltar os "coelhos"...

quinta-feira, 31 de março de 2011
Administrador deixa CTT após suspeitas sobre falsificação de currículo

Protocolo de Estado...

Ao que parece, um governo de gestão não podo assegurar o protocolo de Estado para receber o FMI na Portela...

"Tempo de antena"...

Sócrates entrevistado na segunda-feira na RTP

Olha...!!! Que coisa curiosa...!!!

Portugal falha limite do défice desde 2004

Por uma vez, cheio de razão...

O Ministério das Finanças esclareceu que o decreto-lei hoje revogado pelo Parlamento não alargava as possibilidades de contratações por ajuste direto, não aumentava a despesa pública e não era inconstitucional

O ministério das finanças, tem, por uma vez, inteira razão.
A revogação deste diploma "cheira", na realidade, a populismo e demagogia.
Neste momento há coisas bem mais importantes do que revogar, à pressa, e "a monte" (esquerda e direita juntas) um diploma que se limita a estabelecer patamares de competência para autorizar despesa pública.

Se o BE e o PCP quisessem revogar o diploma era lá com eles.
Mas ao CDS e ao PSD exige-se mais seriedade, responsabilidade e sentido de estado. Não podem deixar-se embarcar em demagogias, designadamente no actual momento.
Se o diploma tivesse algum ponto a alterar, alterava-se. Mas revogá-lo simplesmente - demais a mais, com base numa "argumentação de ignorante" - é completamente gratuito.

Nada como não se conhecer a desgraça que para aí anda...

O PS quer manter a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) - os oito especialistas em contas públicas que dão apoio aos deputados - em funções até que seja iniciada uma nova legislatura. Contudo, defende que o seu trabalho não deve ser público.

Há que começar a extinguir as "inutilidades"...

O presidente da Empresa Pública de Meios Aéreos (EMA), Rogério Pinheiro, recebeu em 2010 um salário mensal de 6555 euros, a que se somaram outras regalias. Os outros dois administradores receberam 6270 euros por mês numa empresa em que a média salarial dos 58 trabalhadores – dos quais 15 são administrativos – é de 3377 euros. No total, o gasto com os salários (2,7 milhões) equivale à aquisição de quatro helicópteros Eurocopter (2,1 milhões sem IVA).

Portagens reais

quarta-feira, 30 de março de 2011
Perante a irresponsabilidade e o oportunismo que alastram, será conveniente que, em vez de portagens virtuais, se coloquem portagens reais em todas as SCUT, pagando todos os que nelas circulas, sem excepções ou descontos.
O país está financeiramente desgraçado, completamente de tanga, e não podemos andar brincar com coisas sérias e a reboque de argumentos bacocos, sem fundamento, e estupidamente populistas.

É que nem mesmo perante a gravidade da situação financeira do país desaparece a irresponsabilidade, a demagogia e o "oportunismo político" de um lado (governo) e do outro (psd).

Já é tempo do país ser governado com tino e rigor, por estadistas responsáveis e não por "negalhés"..

O primeiro ministro aos olhos de "nuestros hermanos"...

Un antipático contra todos

El primer ministro portugués se parece a un conductor que avanza a toda velocidad por la autopista en dirección contraria, convencido que son todos los demás automovilistas los que se equivocan. Los gobiernos europeos y las instituciones comunitarias dan por hecho que Portugal no puede salir de la crisis sin asistencia financiera, pero José Sócrates les contradice a todos diciendo que que el país puede superar sus problemas con sus propias fuerzas. Después de ser derrotado en el Parlamento ha presentado su dimisión y ha lanzado a su partido, el socialista, de frente y a toda velocidad contra la oposición liberal-conservadora, esperando que en el último momento un volantazo de buena suerte le permita dar la vuelta a las encuestas y regresar victorioso.

En la última cumbre europea de Bruselas, este viernes, sorprendió a muchos cuando se dedicó a saludar estrechando la mano a todos los periodistas antes de sentarse a explicar su versión de lo que había sucedido en el Consejo. Dada su proverbial fama de antipático, el gesto podía interpretarse como una especie de despedida, teniendo en cuenta que para la próxima cumbre es posible que las elecciones le hayan devuelto a la oposición. «Puede tener usted la seguridad de que no me estoy despidiendo» aclararía después, «aunque estoy seguro de que en su periódico es lo que están deseando». Sócrates no solo conoce perfectamente todo lo que se dice sobre él en los diarios de Lisboa (y por lo que se ve también de algunos de Madrid) sino que está convencido de que gran parte de sus problemas vienen del hecho de que no siempre cuentan las cosas del modo que más le gustaría. En la misma comparecencia atacó sin mucho disimulo las preguntas incómodas, a pesar de que coincidían con la opinión que estaban expresando los demás jefes de Gobierno en salas contiguas: «lo que causa la especulación son preguntas como las que me están haciendo. Portugal no necesita ninguna ayuda y si lo que se quiere es parar los movimientos especulativos, es infantil creer que eso sucederá si pedimos ayuda».

Portugal deberá hacer frente al vencimiento de una serie de paquetes de deuda por valor de 9.000 millones de euros en los próximos tres meses, en plena campaña electoral, forzada precisamente porque Sócrates no logró que el Parlamento aprobase el plan de recortes de gastos que había pactado con las instituciones comunitarias. Desde que el líder socialista es primer ministro, la deuda del país ha ido aumentando de forma vertiginosa. Solo en 2010 tuvo que pedir 51.000 millones de euros, un treinta por ciento más que el año anterior, y un 50 por ciento más que el precedente. Los intereses que tiene que pagar por los nuevos préstamos son cada vez más altos y las últimas subastas han estado rozando —por arriba—l 8 por ciento de interés. Sin embargo, Sócrates asegura que tiene dinero para pagar estas obligaciones, cuya amortización rebajaría sustancialmente la presión financiera sobre el país.

Para creer a Sócrates hay que hacer abstracción de las partes más importantes de su biografía. No solo que empezase su carrera política como fundador de las juventudes del Partido Social Demócrata (conservador), sino porque, ya militante socialista, su escasa carrera privada en el sector de la construcción en los años 80 fue una de las más desastrosas de la época. Tuvo que retirarse porque el ayuntamiento de la ciudad de Guarda, para el que trabajaba, lo destituyó por unanimidad antes de que lle lloviesen las demandas por la escasa calidad e sus proyectos. Su escandalosa manera de hacerse con una licenciatura como ingeniero teniendo en cuenta que cuatro de las cinco asignaturas las impartía un profesor al que luego otorgó un cargo importante en el Gobierno y la quinta el propio rector de una universidad privada de Lisboa que acabó siendo cerrada precisamente por el cúmulo de irregularidades que aparecieron al investigar el escándalo, o que algunos de los pocos exámenes que constan en su expediente los enviaase por fax desde el despacho de primer ministro o que el título lleve fecha de expedición en un domingo, no le impidió aparecer en televisión defendiendo su honorabilidad y acusando a sus adversarios de inventarse un plan para perjudicarlo.

Sin embargo, de lo que ahora se trata es de dinero. De mucho dinero y de la posible quiebra de todo un país. El presidente del Eurogrupo, el luxemburgués, Jean Claude Juncker, ya le tiene hechas las cuentas a Sócrates y asegura que necesita un plan de rescate de más de 70.000 millones de euros para garantizar el pago de una deuda que, por cierto, está sobre todo en manos de bancos españoles. Es imposible que no hayan hablado de esto en la reunión que Sócrates mantuvo el jueves con la canciller Ángela Merkel, que es finalmente la que tiene las llaves de la caja del mecanismo de ayuda finmanciera, pero Sócrates no quiso desvelar el contenido de la conversación: «me va a permitir que dejemos el contenido de esa entrevista en el ámbito privado entre la canciller Merkel y yo mismo». Al menos esta vez a Merkel no le ha pasado como al líder de la oposición de Portugal, el conservador Pedro Passos Coelho, que después de unas experiencias espinosas con el aún primer ministro ha acabado por advertir que no se volverá a reunir con Sócrates «si no es en presencia de testigos».

Publicado no espanhol ABC-Economia e reportado no Albergue Espanhol, aqui e aqui.

Também temos que ter presente que selecção ganhou ontem à Finlândia...

Dívida: juros a cinco anos atingem 9,02%

Voltou o optimismo...

O primeiro-ministro desdramatizou hoje as previsões do Banco de Portugal de crescimento negativo de 1,4 por cento em 2011, contrapondo que este ano será exigente na consolidação orçamental, com forte redução do consumo público.

A tradição já não é o que era...

terça-feira, 29 de março de 2011
O Banco de Portugal (BdP) reviu em baixa as suas projecções para a economia portuguesa, apontando para uma recessão de 1,4 por cento, um resultado ligeiramente pior que o da sua última previsão.

Que saudades do BdP de há uns anos atrás... Nesse tempo era tudo "cor-de-rosa"...

Nada como começar a poupar pelas coisas supérfluas...

Cerimónia do 25 de Abril cancelada no Parlamento

Parlamento cancela debate com o primeiro-ministro

Confirmação

Aqui está a prova...!!! Era mesmo verdade...!!!

Não cortem mais: já estamos de tanga...

Standard & Poor's volta a cortar rating português

E então...???

Criminalidade baixou ligeiramente, diz novo director da PSP

E depois...??? O que é que isso significa...??? Que estamos seguros...??? Que já não há violência...??? Que acabaram os assaltos...???

O senhor director, em vez de dizer "tristezas" seria melhor mandar os seus homens patrulhar as ruas, de noite e de dia, para ver a a criminalidade baixa de forma sensível. Isso é o que todos desejamos.

(É evidente que a enorme criminalidade não é apenas um problema policial. É, fundamentalmente, um problema legal. Enquanto a legislação for (cada vez mais) branda para com os delinquentes, enquanto os polícias forem tratados como criminosos quando acertam num meliante, enquanto o "garantismo" permitir a liberdade a inequívocos criminosos - podemos protestar, mas nunca sairemos "cêpa torta"... Não obstante isto ser assim, o senhor director bem podia evitar ditos como este que apenas servem para confirmar que vivemos num país pouco seguro).

Isto, ou mais ainda...

SINTAP quer suspensão de avaliação para função pública

E em vez da avaliação, porque não uma progressão salarial por cada semana com o ponto "picado"...??? Era merecido, não era...???

O "casamento" da culpa com qualquer um (desde que não "o culpado")...

segunda-feira, 28 de março de 2011
A propósito desta notícia - O ministro da Economia, Vieira da Silva, explicou hoje que a rejeição da actualização do PEC apresentada pelo Governo na Assembleia da República é responsável pela descida generalizada do 'rating' das empresas, bancos e da própria República portuguesa - vale mesmo a pena ler este artigo de Bagão Félix, no Diário Económico.

A culpa de não haver PEC 4 é do PSD e do CDS. A culpa de haver portagens nas Scuts é do PSD que viabilizou o PEC 3. A culpa do PEC 3 é do PEC 2. Que, por sua vez, tem culpa do PEC 1.

Chegados a este, a culpa é da situação internacional. E da Grécia e da Irlanda. E antes destas culpas todas, a culpa continua a ser dos Governos PSD/CDS. Aliás, nos últimos 16 anos, a culpa é apenas dos 3 anos de governação não socialista.

A culpa é do Presidente da República. A culpa é da Chanceler. A culpa é de Trichet. A culpa é da Madeira. A culpa é do FMI. A culpa é do euro.

A culpa é dos mercados. Excepto do "mercado" Magalhães. A culpa é do ‘rating'. A culpa é dos especuladores que nos emprestam dinheiro. A culpa até chegou a ser das receitas extraordinárias. À falta de outra culpa, a culpa é de os Orçamentos e PEC serem obrigatórios.

A culpa é da agricultura. A culpa é do nemátodo do pinho. A culpa é dos professores. A culpa é dos pais. A culpa é dos exames. A culpa é dos submarinos. A culpa é do TGV espanhol. A culpa é da conjuntura. A culpa é da estrutura.

A culpa é do computador que entupiu. A culpa é da ‘pen'. A culpa é do funcionário do Powerpoint. A culpa é do Director-Geral. A culpa é da errata, porque nunca há errata na culpa. A culpa é das estatísticas. Umas vezes, a culpa é do INE, outras do Eurostat, outras ainda do FMI. A culpa é de uma qualquer independente universidade. E, agora em versão pós Constâncio, a culpa também já é do Banco de Portugal. A culpa é dos jornalistas que fazem perguntas. A culpa é dos deputados que questionam. A culpa é das Comissões parlamentares que investigam. A culpa é dos que estudam os assuntos.

A culpa é do excesso de pensionistas. A culpa é dos desempregados. A culpa é dos doentes. A culpa é dos contribuintes. A culpa é dos pobres.

A culpa é das empresas, excepto as ungidas pelo regime. A culpa é da meteorologia. A culpa é do petróleo que sobe. A culpa é do petróleo que desce.

A culpa é da insensibilidade. Dos outros. A culpa é da arrogância. Dos outros. A culpa é da incompreensão. Dos outros. A culpa é da vertigem do poder. Dos outros. A culpa é da demagogia. Dos outros. A culpa é do pessimismo. Dos outros.

A culpa é do passado. A culpa é do futuro. A culpa é da verdade. A culpa é da realidade. A culpa é das notícias. A culpa é da esquerda. A culpa é da direita. A culpa é da rua. A culpa é do complexo de culpa. A culpa é da ética.

Há sempre "novas oportunidades" para as culpas (dos outros). Imagine-se, até que, há tempos, o atraso para assistir a uma ópera, foi culpa do PM de Cabo-Verde.

No fim, a culpa é dos eleitores, que não deram a maioria absoluta ao imaculado. A culpa é da democracia. A culpa é de Portugal. De todos. Só ele (e seus pajens) não têm culpa. Povo ingrato! Basta! Na passada quarta-feira, a culpa... já foi.

Não é preciso preocupar-se...

Bruxelas propõe acabar com veículos a gasóleo e gasolina até 2050

Não é necessária tanta preocupação. Com a constante subida dos preços dos combustíveis, os automóveis acabam bem antes...

Precipitações...

Miguel Relvas, secretário-geral do PSD anunciou que o partido vai pedir a apreciação parlamentar do decreto-lei que foi publicado em Diário da República na quarta-feira e que eleva o valor dos contratos que podem ser adjudicados pelo Estado sem concurso público.
Miguel Relvas lembrou que, com a nova lei, os ministros passam a poder adjudicar sem concurso público, contratos no valor de até 5,6 milhões de euros. Antes o limite era de 3,75 milhões de euros.


Porque é que este senhor fala sem saber do que fala...???

O Decreto-Lei a que parece querer referir-se - o DL 40/2011, de 22 de Março - estabelece, como refere o primeiro parágrafo do seu preâmbulo, o regime da autorização da despesa com a celebração de contratos públicos, ou seja, a repartição da competência para a autorização dessa despesa pelos diversos órgãos das entidades adjudicantes, consoante o montante do contrato a celebrar.

Explicando melhor: o que neste diploma se define são os patamares de valor até aos quais cada uma das entidades nele referidas pode (é competente para) autorizar despesa pública.

Coisa completamente diferente são os limiares de valor que determinam a escolha do procedimento para a formação do contrato, previstos no artigos 19º a 21º do Código dos Contratos Públicos e que não sofreram qualquer alteração.

As duas coisas não são a mesma coisa: uma é o limiar de competência para autorizar uma despesa, quer ele seja realizada por ajuste directo quer por concurso público; outra é o valor da despesa a realizar que pode obrigar à adopção de determinado procedimento concursal.

E é mais que natural que os valores dos limiares da competência de autorização de despesa se vão actualizando de acordo com a evolução dos preços.

Para quê esta precipitação com afirmações fáceis e demagógicas...??? Para depois se ser "gozado" por elas serem infundadas...???

Este senhor tem que ter tino e paciência, apesar de já (lhe) "cheirar" muito a poder e a um lugarzito ministerial...

Ao balcão da Pharmácia


Muita gente anda compreensivelmente angustiada com a situação nacional. Estranha é a quantidade de pessoas que se dizem desorientadas, sem ver saída. A crise é grave, mas a solução é fácil. São só três coisas simples: deixar-se de tretas, apertar o cinto e trabalhar mais. A mais difícil é a primeira.

Vivemos há anos mergulhados em caldo de léria. Por exemplo, nesta grave crise existe uma pessoa imaculadamente inocente: José Sócrates. O senhor primeiro-ministro, que há seis anos só executa políticas excelentes, reformas decisivas com resultados históricos, não tem culpa nenhuma. O mal vem todo da crise mundial, da Europa, dos mercados e agência de rating.
..........

O mal foi acreditarmos nas tretas. A sociedade é democrática e aberta e as lérias foram sempre sucessivamente aplaudidas. Apesar das repetidas denúncias feitas por organismos internacionais, análises económicas, escândalos políticos, opiniões jornalísticas, o povo acreditou sempre. Com tal ingenuidade, Portugal pode estar prostrado; não pode é estar surpreendido.

Agora que fazer? Trocar o Governo é fácil. Difícil é mudar mentalidades. Não apertamos o cinto porque os furos estão tapados. Não há trabalho porque não se pensa em criar empregos e procuramos os que gostamos e não os que há. Quando se ganham hábitos de rico, custa regressar à realidade. Se ao menos nos deixássemos de lérias...


João César das Neves, hoje, no Diário de Notícias

O FMI não há-de ser pior...

"É o momento de escolher um Governo com ou sem o FMI"

ou, mais importante do que isso,

é o momento de escolher um governo com ou sem sócrates...!!!

A utilidade das inutilidades...

domingo, 27 de março de 2011
A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) saudou este sábado os docentes pela suspensão do regime de avaliação de desempenho, mas alertou que apesar de se terem livrado de uma "inutilidade", há outros problemas que persistem no sector.

Como era fácil de prever, os professores - melhor dizendo, os sindicatos dos professores - já cavalgam a onda da suspensão, pela AR, do diploma da avaliação e dizem que a avaliação (qualquer verdadeira avaliação) é "inútil". Era mais que previsível.

O que os sindicatos pretendem é, em primeiro lugar, manter a sua "coutada" e permitir um terreno fácil onde possam impor as suas vontades, as suas arrogâncias e as suas reivindicações (fazendo crer que os professores são uma casta à parte dos demais funcionários públicos); em segundo lugar, e na continuidade daquilo que é a única coisa que os sindicatos sabem fazer - pedir continuamente maiores vencimentos e menos trabalho - eliminar de vez qualquer avaliação, de modo a garantir progressões salariais baseadas em mais nada que não seja o critério do facilitismo - o simples decurso do tempo.

Para os sindicatos a avaliação deve ter apenas efeitos "formativos" - ou seja, determina (sempre) mais formação e, em consequência, menos tempo de leccionação. Ainda que a formação fosse eficaz, a consequência natural desta "teoria" seria a de que os professores andariam sempre em formação para melhorar a sua qualidade até atingirem o ponto óptimo; mas, em consequência, por causa dessa contínua melhoria da sua qualidade até ao nível óptimo, nunca conseguiriam tempo para dar aulas.

Ora, se se tiver presente que a maioria da formação que anda por aí é tanto ou mais inútil que a "pedra filosofal" - pretender transformar maus professores em bons professores "à força" de formação é o mesmo que querer transformar latão em ouro com recurso ao Lapis Philosophorum - já se vê o desfecho: menos professores a dar aulas porque estão em formação; daí, portanto, a necessidade de mais professores para dar as aulas dos que estão em formação; e depois porque os professores têm "imensa" formação, têm que subir na carreira e ganhar mais. O ensino, os alunos e a sua real e efectiva preparação - isso que se "lixe"...

O PSD e O CDS, se forem governo, ainda se hão-de lamentar, tristemente, do seu apoio à suspensão da avaliação dos professores...

E hão-de lembrar-se, amargamente, que negociar com sindicatos é negociar com um crocodilo; depois do acordo negociado, quando se viram as costas, ele abocanha logo...

Há qualquer coisa de estranho nisto...

José Sócrates ganhou as eleições do PS com 93,3% dos votos, mais 10,59% do que o resultado obtido na eleição de 2009. Ou seja: José Sócrates conseguiu mais votantes e delegados ao congresso que em 2009

Não é o resultado da votação (tipo "país de leste"...) que suscita estranheza.
O que é mesmo estranho é o numero de votantes ter aumentado desde 2009. É que isso não abona nada em favor da lucidez e capacidade mental dos votantes...

Informação prévia: não é o Futre a falar de futebolistas chineses...



... mas podia ser...

O Euromilhões é quando um homem quiser...

O BCP pagou 822 mil euros a Armando Vara em 2010 sem que o ex-vice-presidente tenha exercido qualquer tipo de funções no banco.

Ainda se hão-de quilhar...

sábado, 26 de março de 2011
O PSD e o CDS-PP - vá lá saber-se porque bulas - resolveram embarcar na revogação da avaliação dos professores ontem aprovada na AR.

O sistema de avaliação até agora vigente podia não ser óptimo, podia só ser bom, podia até ser mau. Mas sujeitava os professores (que são mais de milhentos) a uma avaliação do desempenho à qual se eximiam há muitos anos, fazendo com que a sua progressão na carreira fosse uma "cavalgada" até ao topo da carreira.

Com isto, o PSD e o CDS-PP prestaram-se a fazer um grande serviço àquela camarilha de sindicalistas capitaneada pelo mário nogueira, sem que daí retirem - antes pelo contrário - qualquer proveito político.

E é mais que certo que se o PSD e o CDS chegarem ao poder, os "mários nogueiras" nunca lhes irão agradecer este seu "favor". Antes pelo contrário - iniciarão novas greves e novas reivindicações por "melhores condições" - ou seja mais dinheiro e menos trabalho.

Lidar com esta gente é lidar com um crocodilo. Pensa-se que dando-lhe um braço ele já não irá abocanhar o corpo. Mentira. Come-o de um trago.

Por isso é que é sempre preferível manter o crocodilo em respeito...

O contrário seria uma ignomínia...

Supremo absolve Estado de pagar indemnização a Paulo Pedroso

Musica ao fim de semana II


Vinegar Joe - Rock "n" Roll Gypsies

Musica ao fim de semana


Robert Palmer - Sneakin Sally through the alley

"Boa imprensa"...

sexta-feira, 25 de março de 2011
Dias depois de ter andado pelas televisões a dar entrevistas e no dia seguinte ao primeiro ministro ter sido desfeiteado no parlamento e, concretizando uma ameaça, ter apresentado a demissão, o "clone" silva pereira foi ao jornal das 10 da sic notícias "dar uma entrevista" o que é por dizer "fazer campanha eleitoral"...

Nessa entrevista, confrontado com o facto do governo ter ainda plenos poderes, já que o Presidente da República não aceitou ainda a demissão, o ministro "clone" passou ao lado da questão, apesar de reiteradamente questionado, pretendendo fazer crer que o governo já se encontra "em gestão"... Em tempo de campanha, nada como dramatizar.

Actividade: "constitucionalista"...

Mas quem é aquela fulana a quem o Mário Crespo, no "jornal das 9" de ontem, chamava de "constitucionalista"...???

Mas agora qualquer "gato sapato" é "constitucionalista"...???

A música do momento...

quinta-feira, 24 de março de 2011

As coisas não duram sempre...

"Habituem-se"...!!!

Agora é uma boa altura...

Faculdades encerradas contra cortes nas bolsas de estudo

Neste momento de crise das contas públicas talvez fosse altura de ser posta ordem, de vez, nesta matéria das bolsas. Para evitar manifestações como estas...

E a primeira medida a tomar seria, desde logo, a de atribuir bolsas apenas de acordo com dois critérios:
- aos melhores alunos;
- aos alunos com aproveitamento escolar normal e regular.

Atribuir bolsas para subsidiar a "noite", bares, cerveja, boémia, discotecas, carros, convívio, "espírito académico", "dux veteranorum" e quejandos é que não. Para isso, peçam aos papás ou vão trabalhar...
É que há muita gente com vontade de estudar a sério e não o pode fazer por não ter meios financeiros para isso.

Consequência do debate...

quarta-feira, 23 de março de 2011

4 horas...!!!

Já lá vão 4 horas de discursos e intervenções na AR e nada...!!! Continuamos na mesma...!!!

Consolidação ... he, he, he...

Bruxelas questiona contas públicas de 2010

É que, afinal, o défice do ano passado - o primeiro do longo caminho de consolidação orçamental a que a economia portuguesa está obrigada - poderá superar os 8%, mesmo depois de incorporado o Fundo de Pensões da PT.

Um pedido

Um pedido do Papa ao (ainda) primeiro ministro português:

- Senhor primeiro ministro, não PEC mais...!!!

Finalmente, a crise...

Até devia melhorá-lo...

Fitch diz que queda do governo não afecta rating de Portugal

Que coisa engraçada...

terça-feira, 22 de março de 2011
Segundo o "Público", o Governo mostrou-se “inteiramente disponível para negociar” o PEC IV, mas, ontem, vários responsáveis da zona euro demoliram estas ofertas de negociação. Jean-Claude Juncker, ministro das Finanças do Luxemburgo e presidente do eurogrupo, disse não ver “qualquer razão que fizesse com que pudéssemos alterar o programa tal como nos foi comunicado e aprovado”.

Quer isto dizer, então, que o PEC IV só vai à Assembleia da República para servir de justificação à demissão do governo...

Há que ser preciso e rigoroso

No documento do PEC IV (pag. 23) o governo diz que "será promovida a ... supressão de 991 cargos dirigentes superiores, intermédios e equiparados, correspondendo a 15% do seu universo global".

Sim senhor...!!! 991 cargos a suprimir. Nem mais, nem menos...!!! 991...!!! Espantoso...!!! Isto sim, é que é rigor...!!!

Aliás este deve ser o mesmo rigor com que, em 2005, foi "estimado" o défice público até às milésimas e que antes havia propagandeado a criação de 150.000 novos empregos...

Deve ser coisa séria...

O primeiro ministro faltou àquela maratona de domingo em Lisboa...

A crise deve ser mesmo grave...

Na esperança em melhores dias...

... Portugueses respondem em massa aos Censos 2011. Certamente pensam que isso pode mudar o governo...

Os cofres do Estado têm um consumo muito elevado...

segunda-feira, 21 de março de 2011
56% do preço da gasolina vai para os cofres do Estado

A discussão politica portuguesa agora resume-se a isto:

Quer remédio tens tu (se continuares no governo)...!!!

sábado, 19 de março de 2011
Sócrates não está disponível para governar com FMI

Como é que agora se negoceia...???

Na cimeira europeia da última sexta-feira, o Governo português apresentou um documento em Bruxelas, onde assume as medidas anunciadas nesse mesmo dia pelo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos.

No documento entregue durante a cimeira extraordinária, as medidas são apresentadas como certas, o que é considerado habitual em Bruxelas.

Não viola...??? Espantoso...!!!

A presença do crucifixo nas salas das escolas públicas italianas não viola o direito à educação, decidiu hoje o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos (TEDH)

Mas, pelos visto, cá, nesta terrinha, viola...!!!

Ver o cu perto das calças...

Regime de Kadhafi anuncia cessar-fogo imediato

Resta saber o que significa lá para aquelas bandas a expressão "cessar fogo imediato"

É só saúde...!!!

O BPI calcula que os encargos com os juros da dívida pública vão ascender a seis mil milhões de euros em 2011, o equivalente a cerca de 16,4 milhões de euros por dia.

O valor representa 3,5% do PIB português, um agravamento de 0,6 pontos percentuais face aos encargos de 2010.

Interlúdio em bloco...

A versão mais recente do "manso era a tua tia, pá"...

"Na seita não ha papão, tudo tem explicação"...**

Portugal já está a ser ajudado e enfrenta já uma violentíssima falta de acesso aos mercados financeiros.

Comecemos pelos factos que demonstram que o acesso a financiamento externo estava, e está, lentamente a fechar-se para Portugal - ainda antes da crise política.

1. O Estado português está há meses a ser apoiado pelo Banco Central Europeu através da compra de dívida pública portuguesa no mercado secundário, para combater a subida da taxa de juro. Não se conhecem os montantes, porque o BCE não os divulga, mas uma estimativa de um banco de investimento internacional aponta para valores da ordem dos 18 mil milhões de euros.

2. Os bancos portugueses, que não se conseguem financiar no mercado desde o primeiro trimestre do ano passado, estão a obter recursos do BCE por troca de títulos que têm em carteira. O último montante que se conhece, relativo a Fevereiro, é de 41 mil milhões de euros. E este ano os bancos portugueses precisam, obviamente, de recursos para pagar dívida que chega ao fim da maturidade.

3. Com os valores estimados para o Estado e os contabilizados para a banca, o apoio do BCE a Portugal rondará quase 60 mil milhões de euros. Apenas como referência, porque não se podem fazer comparações directas, o empréstimo a sete anos e meio que o FMI e o Fundo Europeu de Estabilização Financeira acordou para a Irlanda é de 85 mil milhões de euros.

4. A Refer, uma empresas pública de infra-estruturas ferroviárias, não conseguiu financiar-se no mercado, ou seja, falhou uma emissão.

5. A Parpública não conseguiu colocar os títulos que corresponderiam a mais uma fase da privatização da EDP - obrigações permutáveis.

São cinco factos a que se podem somar "não factos", ou seja, a ausência de operações de financiamento no mercado por parte de grandes empresas.

Aos factos que expõem as dificuldades crescentes de acesso a financiamento acrescentam-se os mais recentes factos que apontam para um apoio mais activo da Europa a Portugal:

1. Equipas técnicas do BCE e da Comissão Europeia estiveram em Portugal durante duas semanas, até dia 10 de Março, a desenhar com o Governo português as novas medidas de austeridade.

2. Portugal foi o único país do euro que antecipou o seu programa de estabilidade, e apresentou-o numa Cimeira Extraordinária da Zona Euro - acontecimento raro - onde a situação financeira do País foi um dos principais temas.

3. A Comissão Europeia e o BCE fizeram um comunicado conjunto sobre Portugal, um facto inédito. No fim dessa declaração, lemos uma frase igualmente invulgar: as duas instituições vão fiscalizar a concretização das medidas por parte de Portugal.

Numa forma dura e crua, pode dizer-se que Portugal está já a ser governado a partir de Bruxelas e Frankfurt. E que já está tudo preparado para o Governo fazer o pedido formal de ajuda financeira à Europa e ao FMI.

Factos são factos. O resto, a dita crise política, é o jogo da culpa. O Governo, pelo que disse ou pelo que não fez, quer tirar de cima de si a culpa do pedido de ajuda financeira. Um jogo que nos vai sair caro, que vai exigir ainda mais medidas de austeridade.


Helena Garrido, no Jornal de Negócios

** dos "Cabeças no Ar"

Estamos (mesmo) a melhorar...

sexta-feira, 18 de março de 2011
A actividade económica e o consumo privado tiveram um crescimento nulo em Fevereiro, acentuando os receios de que Portugal entre em recessão ainda no primeiro trimestre.

O "congelamento" que afinal não "congela"...

"As nossas decisões para o PEC [IV] são de congelamento e suspensão da regra que define a actualização automática das pensões”, explicou o primeiro ministro.

Contudo, “desses dois congelamentos, resulta não o congelamento de pensões, mas uma possibilidade de redução da consequência orçamental que permite uma actualização ainda que limitada das pensões mínimas".


Isto é o que se pode dizer "navegar à vista", ao sabor dos interesses e da oportunidade...

Afinal, não precisamos de ter cá o FMI...

É que as medidas preconizadas por ele já estão a ser antecipadas pelo governo: Subsídio de férias da Função Pública em risco

Fica a faltar o corte do subsídio de Natal...

É de aproveitar enquanto ele lá está...

Mulher do ministro da Justiça exige receber por mais acumulações

Irracionalidade à quinta casa...

Governo não compensa Estradas de Portugal por descontos a camionistas

Razão teve Almerindo Marques quando se demitiu...

Não devia ser ao contrário...???

Lisboa aconselha portugueses a deixarem Tóquio.

Apesar da tragédia que se vive nas terras do sol nascente, o título estaria muito mais correctos se fosse assim: "Tóquio aconselha portugueses a deixar Lisboa...

Uma resposta à altura...

quinta-feira, 17 de março de 2011
“Tenho 75 anos e sou travesso, mas 33 mulheres é demasiado”

Quer chova quer faça sol...

Portugal não se livra do FMI caso recorra ao Fundo

Uuuuuuuuuu...!!! Vem aí o papão...!!!

O ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira, advertiu hoje que a abertura de uma crise política, na actual conjuntura, poderá provocar uma ruptura quase imediata da capacidade de financiamento do Estado Português para honrar os seus compromissos.

Na verdade só mesmo um governo ps com uma imensa "lábia" de feira é capaz de colocar o país na situação de endividamento externo em que nos encontramos, continuar descaradamente a pedir emprestado e não parar de esbanjar dinheiro...

Casa arrumada...

quarta-feira, 16 de março de 2011
Depois de muito "patuá" do Ocidente, depois de muitas intenções de resolução das Nações Unidas, depois de muitas declarações dos responsáveis políticos, depois das declarações da União Africana, depois de tudo e mais alguma coisa, kadafi está mesmo a acabar de completar a pacificação da Líbia. E segundo ele, com poucos mortos e feridos...

O Ocidente pode ficar de consciência tranquila. Neste caso (como noutros) fez tudo o que pôde: enredou-se em "tomadas de decisão" enquanto ia "assobiando para o lado"...

Boa piada...!!!

Finanças atribuem subida das taxas hoje à recusa do PSD em aceitar o PEC IV

A baixa do rating de ontem não tem influência nenhuma...

Fazer caridade com a esmola alheia...

Quanto é que vão custar ao erário público - ou seja, a todos nós - os "descontos" nas SCUT que o governo acordou com os camionistas...???

E porque é que o governo diz que baixar o preço do gasóleo seria uma medida injusta porque seria "o resto do país" a suportá-la, mas já não é injusto baixar portagens nas SCUT para os camionistas, sendo certo que esse "desconto" vai ser pago por todos nós - ou seja pelo "resto do país"...

Só uma pequena questão

O governo já resolveu o problema com os cadernos eleitorais, os números de eleitor e as alterações inopinadas de local de voto que deram a "barraca" que se sabe nas eleições presidenciais (não permitindo mesmo saber-se com rigor a dimensão da abstenção, já que muitos abstiveram-se à força...) ou, nas legislativas que se avizinham, vão ser utilizados os mesmos cadernos eleitorais e os eleitores não vão ser informados dos seus novo números de eleitor, de modo a que a bandalheira e a confusão vão ser as mesmas das presidenciais...???

Contagem decrescente

Credibilidade...

Moody's reduz nota de Portugal em dois níveis, para A3

A Moody's considera ainda que é mais provável haver um novo corte no "rating" do que uma subida ao longo do próximo ano ou dois anos

O fim...

This is the end
Beautiful friend
This is the end
My only friend, the end

Of our elaborate plans, the end
Of everything that stands, the end
No safety or surprise, the end
I'll never look into your eyes...again

Can you picture what will be
So limitless and free
Desperately in need...of some...stranger's hand
In a...desperate land

Lost in a Roman...wilderness of pain
And all the children are insane
All the children are insane
Waiting for the summer rain, yeah

There's danger on the edge of town
Ride the King's highway, baby
Weird scenes inside the gold mine
Ride the highway west, baby

Ride the snake, ride the snake
To the lake, the ancient lake, baby
The snake is long, seven miles
Ride the snake...he's old, and his skin is cold

The west is the best
The west is the best
Get here, and we'll do the rest

The blue bus is callin' us
The blue bus is callin' us
Driver, where you taken' us

The killer awoke before dawn, he put his boots on
He took a face from the ancient gallery
And he walked on down the hall
He went into the room where his sister lived, and...then he
Paid a visit to his brother, and then he
He walked on down the hall, and
And he came to a door...and he looked inside
Father, yes son, I want to kill you
Mother...I want to...fuck you

C'mon baby, take a chance with us
C'mon baby, take a chance with us
C'mon baby, take a chance with us
And meet me at the back of the blue bus
Doin' a blue rock
On a blue bus
Doin' a blue rock
C'mon, yeah

Kill, kill, kill, kill, kill, kill

This is the end
Beautiful friend
This is the end
My only friend, the end

It hurts to set you free
But you'll never follow me
The end of laughter and soft lies
The end of nights we tried to die

This is the end


The End - Jim Morrisson/The Doors

Era muito mais fácil perguntar-lhe directamente...

terça-feira, 15 de março de 2011
Ministro espera ter relatório sobre pagamento de suplemento à mulher dentro de três semanas

E tinha este senhor fama de honesto...

Teixeira dos Santos acusa oposição de enganar os portugueses

"Ética republicana" a rodos...

Ministério pagou 72 mil euros a mulher de Alberto Martins contra parecer da PGR

Ficávamos já a saber...

Porque é que o governo não anuncia já o PEC DCLXXXVII...???

Essas medidas não devem andar muito longe do que já está no acordo com o PSD e no OE 2011 e a Europa ia ficar muito mais confiante e de certeza que os juros a 10 anos também baixavam... Isto para não falar da consolidação orçamental, que ficava "de betão"...

A justiça portuguesa também anda uma boa m#%$@...

Fátima Felgueiras já só tem de explicar o que fez a 177 euros

Uma lógica de m#%$@...

O inefável ministro das obras públicas, disse que em matéria de redução das portagens nas Scut para os transportes pesados, "houve uma proposta do governo procurando ir ao encontro aos problemas actuais do sector". Ou seja, o governo cedeu, e estes "descontos" nas portagens das Scut serão assumidos pelo Estado através da receita da Estradas de Portugal... O que é por dizer que os "descontos" aos camionistas vão ser assumidos pelo défice das contas públicas, ou seja por todos nós.

O mesmo inefável ministro lamentou-se, porém, de que só não foi possível chegar a acordo com as associações de transporte pesado sobre o preço dos combustíveis porque qualquer medida para baixar os preços nesta conjuntura seria muito censurada na Europa... o que é mesmo uma pena. A Europa é mesmo mázona...

E daqui a um ano...???

O presidente do Eurogrupo acredita que Portugal não irá precisar do apoio do fundo de resgate à divida "nos próximos dias, semanas ou meses".

Novo programa: "40 minutos de mentira e pura demagogia", às 9 da noite...

José Sócrates entrevistado terça-feira na SIC

(Face aos "acontecimentos", estas entrevistas são mesmo "bem colocadas" no tempo...)

Ouvido no café...

O primeiro ministro parece cada vez mais um misto de vale e azevedo e carlos cruz...

Pelos vistos, isto só lá vai assim...

Esta nossa "novela" nunca mais acaba...

Há que prevenir o vício do jogo...

segunda-feira, 14 de março de 2011
Os campos de golfe deverão voltar a ser tributados à taxa reduzida de IVA, de seis por cento, em vez dos 23 por cento que estavam a ser aplicados desde o início do ano, no quadro do Orçamento do Estado (OE) para 2011.

É evidente que os campos de golfe não devem pagar IVA à taxa normal e por isso quem deve sofrer as consequências desta medida só podem ser as pensões de reforma (para os reformadas não terem a tentação de gastar a reforma a jogar golfe)...

A inépcia do Ocidente

domingo, 13 de março de 2011
O Ocidente (Europa, EUA, NATO, Nações Unidas) devem estar à espera que Kadafi tome, pela força, conta da situação, para depois tomar medidas inócuas. Entretanto, para "dar um ar de sua graça", reconheceram os rebeldes como os legítimos representantes do regime líbio.
Só que um dia destes, pelo andar dos acontcimentos, os rebeldes deixam de existir. E então como é que o Ocidente vai fazer? Vai dar mais uma cambalhota e reconhecer novamente Kadafi...???

"Poupança automática"....

sábado, 12 de março de 2011
A quanto é que está o juro dos certificados de aforro...???

Rigor orçamental e bom governo...

sexta-feira, 11 de março de 2011
No espaço de um ano - Março de 2010 - Março de 2011 - tivemos quatro PEC's. Ou seja, quatro falhanços orçamentais.
Por este andar, sabe-se lá quantos mais PEC's virão...

Já não é só uma "geração à rasca"; é um país inteiro completamente "à rasca"...

Juros a 5 anos aproximam-se de 8%

Actualização:
As obrigações a cinco anos, agora nos 7,995 por cento (17H15), chegaram a passar os oito por cento. A taxa a um ano subiu a pique e está nos 5,735 por cento.

Fica (mais que) provado...

" (mesmo) mais vida para além do défice". O governo ainda não morreu...

Mas que "porra" de "cooperação institucional leal" do governo e do primeiro ministro (*)...

O Governo não informou o Presidente da República sobre o pacote de medidas de austeridade que o ministro Teixeira dos Santos anunciou hoje, em conferência de imprensa.

(*) Ver aqui a promessa de "cooperação institucional leal"...

Quando é que apresentamos a declaração de falência...???

Os juros da dívida a 5 anos estão a liderar com 7,93%. Três maturidades - 3, 5 e 10 anos - estão acima da linha vermelha dos 7%. Risco de default abriu, também, a subir

Afronta

O anúncio de novas medidas de austeridade, hoje divulgadas pelo ministro das finanças, quer dizer muito mais que o singelo (e já costumeiro) anúncio de mais aperto de cinto.

Dois dias depois do Presidente da República ter afirmado, no seu discurso de posse, que "há limites para os sacrifícios que se podem exigir ao comum dos cidadãos" o governo anuncia mais medidas de austeridade que mais uma vez "vergastam" o "comum dos cidadãos" onerando-o com mais custos e impostos e, daí, com menos rendimento.
Ora o anúncio, nesta data, destas medidas, não é assim inocente. No dia seguinte ao da não aprovação de uma moção de censura ao governo, este anúncio não pretende constitui unicamente um acto de governação mas, mais do que isso, visa marcar a posição do governo na afronta ao Presidente da República e ao seu pensamento, ao mesmo tempo que pretende condicionar, desde já qualquer actuação futura da oposição de direita, quem ontem, mais uma vez, "suportou" o governo, abstendo-se na votação da moção de censura.

Esta é, assim, também uma afronta ao PSD. Muitas das medidas agora anunciadas foram recusadas pelo PSD a quando da negociação que levou à aprovação do orçamento. Voltam agora, com segundas intenções. É que neste momento, o que está em causa não é unicamente a sua aprovação, mas as decorrências que resultam do seu anúncio.
O PSD se as viabilizar fica à mercê do ps e do governo, passando a ser não mais do que um seu "pau mandado" e, mais grave, a ser co-responsável por todas as medidas que o governo toma, arcando com a impopularidade daí resultante.

Por outro lado, para as não viabilizar o PSD fica na posição incómoda de ser acusado de contribuir para a não resolução da crise financeira e orçamental e mais, do que isso, de causar uma crise política, que pode muito bem ser aproveitada pelo ps para sair do governo, deixando ao novo governo (que terá obrigatoriamente o PSD na sua composição) um caminho completamente minado.

Com o núncio destas medidas, o governo está a dizer o seguinte: ou as coisas são só como nós queremos, ou então alguém vai ter que se responsabilizar por não ser assim. E isso implica o pagamento da "factura" dos anos da bandalheira que foi o governo ps. E com isto menoriza completamente a oposição.

E esta, para chegar ao poder completamente descomprometida, ou consegue aniquilar o ps e o governo (e, em especial, o primeiro ministro) ou nunca mais se livra do anátema da sua menoridade...

Os nossos governantes são completamente irresponsáveis...

A Comissão Europeia e o Banco Central Europeu (BCE) terão descoberto um buraco nas finanças públicas portuguesas durante a sua missão técnica em Lisboa há duas semanas

Reacções ao discurso da posse...

Mas onde...???

Picada de aranha poderá substituir Viagra até quatro horas

Picada, onde...???

E será que não sabe um outro segredo qualquer...???

A Jana, agência oficial do regime líbio, anunciou hoje estar em posse de um "grave segredo" que levará "à queda" do Presidente francês, Nicolas Sarkozy.

Será que esta "agência oficial" não saberá também um outro segredo qualquer que leve à queda do primeiro ministro português...???

Toca a todos

O "direito à indignação" e o "há vida para além do défice" foram os leitmotiv dos presidentes ps para colocar o ps no poder.

Como estas coisas tocam a todos - a vida é assim, madrasta... - chegou a altura do ps ser corrido do poder com o "sobressalto cívico"...

A proximidade do azar...

quinta-feira, 10 de março de 2011
(by mail)

Um homem estava em coma há algum tempo.
A sua mulher ficava à cabeceira dele dia e noite.
Um dia o homem acorda, faz um sinal para a mulher se aproximar e sussurra-lhe ao ouvido:
- Quando nos casamos, eu era rico e poderoso. Durante todos estes anos, estiveste sempre ao meu lado. Quando a minha empresa faliu, só tu ficaste lá e me deste apoio. Quando perdemos a casa, ficaste perto de mim. Quando perdemos o carro, também estavas comigo. E desde que fiquei com todos estes problemas de saúde, tu nunca me abandonaste. Sabes uma coisa?
Os olhos da mulher encheram-se de lágrimas:
- Diz amor...
- Acho que me dás azar...!!!

Mais eufemismos...

A probabilidade de default (incumprimento da dívida soberana) da República Portuguesa abriu hoje em alta, na véspera da cimeira europeia de 11 de março. O risco de um evento desse tipo num horizonte de cinco anos, segundo a "temperatura" no mercado dos credit default swaps (cds, seguros financeiros contra o risco de default), está acima de 35%, segundo o monitor desse risco da CMA DataVision. Este nível elevado de probabilidade colocou Portugal, desde ontem, no 5º lugar do TOP 10 mundial desse risco, tendo ultrapassado a Argentina.

Porque é que continuamos com eufemismos nesta matéria?
O risco de incumprimento não é risco nenhum. É uma certeza. Tão certa como "três e dois serem cinco"...

Talvez seja conveniente reflectir sobre isto...

6 em cada 10 alemães contra ajudas a países endividados

Os produtos mais comprados nas últimas horas nas farmácias das redondezas da Assembleia da República...

quarta-feira, 9 de março de 2011



"Mon ami" Kadafi...

Emissário de Khadafi em Portugal para encontro com Luís Amado

Acordar...

Parece que o Presidente da República acordou, finalmente, para o (mau) estado do país e, fundamentalmente, para a inépcia de quem nos governa...

Gosma

O carlos dos Açores, armado em "césar", foi um enfatuado porta-voz da azia do governo causada pelo discurso de posse do Presidente da República...

Estado do país: indigência...

A agência chinesa de notação financeira Dagong baixou hoje em uma nota o rating de Portugal, para BBB+.
O rating que a Dagong dá a Portugal está, assim, abaixo do que é atribuído por agências internacionais como a Fitch e Standard & Poor's, que é, respectivamente, de A+ e A-.

A China prepara assim o terreno para exigir juros mais elevados para a compra de dívida pública portuguesa (ou seja, para conceder empréstimos) que o governo lhe pede, submissamente, de joelhos...

A verdadeira "pesada herança"...



Tirado daqui, via 31 da Armada.

Boa...

O secretário de Estado do Tesouro frisou que os actuais juros da dívida pública são sustentáveis no presente, mas não a prazo, e, por isso, exige-se que a Europa tome medidas "urgentes".

Esta é boa. Depois da bandalheira que tem sido a actuação do governo agora é a Europa que tem que tomar medidas para pôr Portugal nos carris...

Efeitos curiosos...

Preços do petróleo começaram a descer.

Mas - vá-se lá saber porquê... - é mais que certo que os preços dos combustíveis nunca irão regressar ao valor em que estavam antes destes aumentos. Vão continuar na mesma, se não subirem ainda mais...

... e o PSD é uma "menina" se, por causa disto, não "apertar" o governo...

O Governo recusa adiar a ligação de alta velocidade entre Lisboa e Madrid, que considera uma prioridade para o País. A Comissão Europeia mostrou abertura para adiar o projecto, mas o Executivo reafirma a sua prioridade e recusa que "projectos demasiado sérios" andem "ao sabor de ‘fait-divers' dos deputados".

Ora, ora...

terça-feira, 8 de março de 2011
Sócrates defendeu na segunda-feira que a intervenção do Fundo Monetário Internacional (FMI) para ajudar Portugal a resolver as dificuldades por que passa significaria a perda do prestígio e da dignidade do país.

Agradece-se a preocupação com a conservação do prestígio e dignidade do país, não fosse dar-se o caso de já termos perdido todo o prestígio e dignidade pelo simples facto de tolerarmos este primeiro ministro à frente dos destinos do país...

É preciso ter calma...!!! Ainda não estamos mesmo, mesmo, mas mesmo, mesmo, mesmo, mesmo, mesmo, mesmo falidos...!!!

segunda-feira, 7 de março de 2011
Depois do juros das obrigações a cinco anos terem ultrapassado os 7,5%, agora temos os juros das obrigações do Tesouro a dez anos em novo máximo histórico

Estranho conceito de "nada"...

O administrador da Live It Well Events, Rui Braga, explicou que não foi pedido "um tostão" ao erário público e que todo o financiamento é privado - cerca de um milhão de euros. Segundo o responsável, a participação da Câmara de Mangualde resume-se à cedência dos 22 mil metros quadrados de terreno, onde a praia já está a ser construída.

Portanto o erário público não deu "um tostão"... excepto os "tostões" correspondentes ao valor de 22.000 m2 de terreno (ou, pelo menos ao valor da sua utilização)...

...

Preço do pão volta a aumentar

Sem comentários...

...

Juros a cinco anos em novo máximo acima de 7,5 por cento

Sem comentários...

Plano...???

Governo ultima plano contra a subida dos combustíveis

Será que vai invadir e conquistar a Líbia com as duas viaturas blindadas que comprou para a cimeira da NATO...???

É para "grupos" como este que serve o dinheiro que andamos a pedir emprestado...

domingo, 6 de março de 2011
Os ministros da Cultura e das Finanças extinguiram no mês passado um grupo de trabalho que haviam criado um ano antes, para fazer o levantamento dos bens culturais imateriais, mas que apenas se reuniu uma vez e não desenvolveu qualquer actividade de campo.

Este grupo de trabalho custou ao Estado cerca de 209 mil euros...


Se (para "grupos de trabalho" como este) o dinheiro emprestado não chegar, lançam-se mais impostos...

Tá bem, abelha...

sábado, 5 de março de 2011
Governo pede apoio dos parceiros sociais para convencer Bruxelas

"Há-des" convencer, "há-des"...

E ainda hão-de ter mais cortes...

Afogados em dívidas por causa da redução do ordenado, trabalhadores do Estado pedem ajuda à DECO, devido a ruptura financeira.

(Pois, pois... E é melhor começarem já a "despedir-se" dos subsídios de férias e de Natal...)

Ratings

S&P corta rating de empresas públicas portuguesas para "lixo"

Já agora: a S&P também podia atribuir notações aos governos dos países que têm empresas públicas com ratings como estes...

Um sem-vergonha...

sexta-feira, 4 de março de 2011
O responsável pelo caos em que se encontra o país, ao ter conseguido, através da maningância da dissolução da AR, colocar o ps no poder há seis anos atrás - fazendo tábua rasa de uma maioria absoluta estável que, na AR, apoiava e dava suporte ao governo de então - vem agora dizer que o país está em apuros, apelando à “capacidade das principais forças partidárias para criarem uma plataforma de entendimento” mas rejeitando que a solução esteja “em actos eleitorais”.

Agora este "artista", para traduzir a bandalheira em que o país e a nossa economia estão transformados diz que o país está "em apuros", sem dizer, contudo, que o responsável de tal situação é o governo...

E a falta de vergonha agrava-se quando perante o descalabro em que o país se encontra vem "apelar" à “capacidade das principais forças partidárias para criarem uma plataforma de entendimento”, decerto que para suportar este governo minoritário do ps, esquecendo-se (convenientemente) do que fez há seis anos com um governo de coligação suportado na AR por uma maioria absoluta...

Mas a desvergonha não se fica por aqui. Sempre a querer perpetuar o ps no poder - sintoma de uma monomania do ps, desde que chegou ao poder a seguir à revolução - quer que essa plataforma de entendimento arrede qualquer possibilidade de realização de eleições...

Portanto, para este senhor, a realização de eleições deve servir apenas para pôr o ps no poder; nunca para o tirar de lá.
Isto é a completa negação da democracia. Mas isso, para o ps e seus próceres é o que menos importa, desde que o ps se mantenha, de qualquer forma, no poder.

Deslumbrante

Veja-se a magnífica talha dourada da Igreja de S. Francisco, na Baía.

Sinais dos tempos: a quando da sua construção éramos poderosos e tínhamos dinheiro...

Conversa da trêta...

O efeito Merkel nos juros da dívida nacional durou apenas algumas horas: na quarta-feira, com Sócrates em Berlim onde ouviu palavras de incentivo mas também de exigência da chanceler alemã, os juros a 10 anos voltaram a subir 0,2%, depois de dois dias em queda. E ontem voltaram a avançar 0,76%, novamente acima dos 7,5%.

Tão amigo que ele é da gente...

O Governo reconhece que a subida dos preços nos supermercados portugueses é inevitável no curto prazo

Vira-casacas...

quinta-feira, 3 de março de 2011
Portugal vai presidir ao Comité de Sanções da ONU para a Líbia

Para quem ainda há dias achava a Líbia um parceiro estratégico, não está nada mal...

Nós somos o máximo...

Preço dos alimentos atingiu novo máximo em Fevereiro

Negar as evidências...

Sócrates nega subserviência de Portugal à Alemanha

Trêtas para "boche" ouvir...

Nos primeiros dois meses do ano, os gastos totais do Estado caíram 3,6% quando comparados com o mesmo período do ano passado, revelando já os primeiros impactos das medidas de austeridade. Os números foram o grande trunfo levado pelo Executivo à reunião com a chanceler alemã, Angela Merkel, em Berlim.

Estamos como há cerca de trinta anos...

quarta-feira, 2 de março de 2011
...também no tempo de um governo ps...

Funcionários públicos podem vir a receber o subsídio de Natal em certificados do tesouro ou de aforro.

Aumentos

Preço da cerveja vai aumentar 5%

Será que, tal como no caso do petróleo, também há agitação social em Leça do Bailio...???

Lebensraum

Depois de ter reunido durante meia hora com José Sócrates, em Berlim, a chanceler alemã saudou as reformas levadas a cabo pelo Governo português para a consolidação orçamental, mas sublinhou que Portugal precisa de ir mais longe

Duas conclusões:

1. A partir de hoje, o território da Alemanha passou a terminar no Cabo de Sagres e a fronteira sul da Alemanha é agora o Atlântico. É o chamado "espaço vital"...

2. As políticas de contenção orçamental adoptadas pelo governo português - ou a execução dessas medidas - são entendidas pelo resto do mundo como "conversa para boi ouvir"...
Mas como toda a gente aceita que a carga fiscal já está nos limites, quer quanto à capacidade contributiva dos cidadãos quer quanto à produção de efeitos nefastos na economia, então o recado é claro: o governo tem que inverter a sua política e começar a poupar em vez de andar sempre a pedir mais dinheiro para gastar...

Uma notícia sempre actual...


...a partir do min.2.04...

Governo criou 70 grupos de trabalho e comissões envolvendo 590 pessoas

Nós cá não temos esses receios marquinhas...

terça-feira, 1 de março de 2011
Espanha adia TGV entre Valladolid e Galiza com receio de impacto no défice

Nos países a sério (ainda) é assim...

Ministro da Defesa da Alemanha demite-se após escândalo de plágio de tese

Por cá, um primeiro ministro "tirou o curso" ao domingo e não acontece nada...

Espantoso...!!! Como é possível...???

Cortes na função pública não atingem horas extra de 2010

Como é possível uma coisa destas? Então os cortes na função pública decretados pelo governo não deviam abranger todos os pagamentos efectuados desde a implantação da república...???