<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d12023629\x26blogName\x3dPharm%C3%A1cia+de+Servi%C3%A7o\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://pharmaciadeservico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttps://pharmaciadeservico.blogspot.com/\x26vt\x3d5339164314434841800', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

Pharmácia de Serviço

Há remédio para tudo ... pharmaciadeservico_at_gmail.com

Isto é o completo descôco...!!!

terça-feira, 31 de julho de 2012
Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa iniciam às 00 horas de terça-feira uma greve de 24 horas às horas extraordinárias, sem estimarem as perturbações que pode causar na circulação do transporte
A greve acontece porque os sindicatos queriam discutir as alterações substanciais na empresa mas não foram ouvidos pelo ministro da Economia....

Por falar em greve: quando é que privatizam as empresas de transportes...???

Nada melhor do que ser-se defendido por um especialista na matéria...


Advogado de Paco Bandeira julgado por também agredir a mulher

Ainda o Acórdão "dos subsídios" (Ac. 353/2012) do Tribunal Constitucional...

segunda-feira, 30 de julho de 2012
Anda toda a gente e mais um "bicho careta" a falar e a opinar sobre o acórdão "dos subsídios" tirado pelo Tribunal Constitucional (ac. 353/2012), mais isto e mais aquilo - cortes nos funcionários públicos por via da sua segurança laboral e cortes também nos privados por via da igualdade, tributação do capital e não apenas do trabalho, blá, blá, blá, blá, blá, blá - ninguém sabendo do que fala mas cada um dizendo o que entende...

Por isso vale a pena ler a declaração de voto da Conselheira Maria Lúcia Amaral - única que de uma forma lúcida e clarividente aborda o problema em questão. Naturalmente, ficou vencida...


2. A Constituição portuguesa protege especialmente o trabalho e os rendimentos que com ele se aufere. Os direitos e liberdades fundamentais que consagra são direitos do cidadão enquanto pessoa, enquanto membro da comunidade política e enquanto trabalhador. No entanto, não pode dizer-se que o direito à não diminuição do montante da retribuição do trabalho que em cada momento se aufira tenha o estatuto de direito fundamental, resistente à lei porque atribuído às pessoas pela Constituição. A razão para tal não está no facto de esse direito não constar, expressamente, do elenco da parte primeira da constituição. Pode haver direitos fundamentais não escritos: nenhuma constituição é um código fechado, ou uma regulamentação exaustiva de todas as relações entre cidadãos e Estado; não o é também, por isso, a CRP. O motivo está na impossibilidade de atribuir a tal direito o estatuto substancial de fundamentalidade. Precisamente por nenhuma constituição poder ser entendida como um código exaustivo das relações entre cidadãos e Estado, nenhuma, nem tão pouco a CRP, pode garantir que o quantum da remuneração do trabalho exista sempre em crescendum e nunca diminua, ao mesmo título a que garante os direitos e liberdades fundamentais. Aquilo que é fundamental prima sobre a lei porque resiste a ela, e à variabilidade das circunstâncias históricas em que ela é feita. O quantum da remuneração que, num dado momento histórico, se aufere pelo trabalho que se presta ou prestou não está incluído no núcleo das posições jurídico-subjetivas caracterizadas por este elemento substancial de invariabilidade ao tempo histórico da lei e às suas circunstâncias.

Olimpíadas...

Até agora, a nossa participação nos Jogos Olímpicos tem-se resumido a sermos olimpicamente "corridos" de quase todas as modalidades em que já participámos...

Não é bem isso...

O presidente do Eurogrupo, Jean Claude Juncker, responsabilizou em parte a Alemanha pelo agravamento da crise e defendeu que alguns dos seus políticos tratam a zona euro como seu fosse "uma filial".

Isso pode ser certo. Mas a verdade é que a zona euro permite que a Alemanha a trate como "filial". Talvez mais: a zona euro quer que a Alemanha a trate como filial...
É esta "menoridade" (e "germano-dependência", o que é por dizer subsídio-dependência) da zona euro uma das causas da deplorável situação financeira em que se encontra a maioria dos países que a compõem. Mas nem por isso, deixam de estar ansiosamente à espera que a Alemanha lhes dê (permanentemente) mais dinheiro para eles poderem continuar a usufruir do mesmo estilo de vida que têm tido até agora.

Aliás, este apelo é a imagem mais real de tudo isto: Blair apela aos alemães para que salvem o euro

Ninguém lhe liga...!!!

domingo, 29 de julho de 2012
António José Seguro escreveu há dois meses cartas individuais aos líderes da Comissão Europeia, BCE e FMI, pedindo-lhes a extensão do prazo do programa português, mas nenhum dos líderes das instituições que financiam o país respondeu ainda ao líder socialista português

A morder os calcanhares...


O tózé já deve estar a sentir as mordidelas nos calcanhares...

Parece que agora começam finalmente a dar-se conta disto...


Trabalhar para o Estado ainda compensa mas não para os mais qualificados

Á consideração do governo português...

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Governo espanhol aprova penas de prisão para gestores públicos

Mas cá é essencial que a lei tenha eficácia retroactiva...

À consideração da TAP, CP, Transtejo, Soflusa, Metro, STCP, and so on....


Iberia despede sindicalistas que convocaram greve

Finalmente alguém refere isto...


The ability of the government to implement policies depends crucially on the skill of its civil servants. 
Moreover, wages of high-skilled civil servants in the areas of law or economics were already significantly lower than in the private sector before the crisis whereas lower skilled workers are generally paid a premium relative to the private sector.
Steepening the wage schedule would bring government sector pay more in linewith that in the private sector thereby helping the government to continue to attract and maintain highly qualified staff. 

OECD Economic Surveys - Portugal
July 2012
Overview, pag. 20
  • Tradução livre (para aqueles funcionários públicos com habilitações indiferenciadas ou sem elas mas que, ainda assim, se acham mal pagos para o que (não) sabem e andam sempre a reivindicar melhores condições salariais, mesmo que não sejam capazes de ler uma linha em português quanto mais em inglês):  
A capacidade do governo para implementar as políticas públicas depende, de modo crucial, da qualificação dos seus funcionários públicos.
Além disso, os salários dos funcionários públicos altamente qualificados nas áreas do direito ou da economia já são significativamente mais baixos do que no sector privado antes da crise enquanto que os trabalhadores menos qualificados são geralmente mais bem pagos (paid a premium) do que no sector privado.
A acentuação da progressividade da grelha salarial permitiria salários mais elevados na administração publica em linha com os praticados no sector privado ao mesmo tempo que permitia ao governo (à administração) continuar a atrair e a manter um staff da funcionários altamente qualificados.

Até que enfim...!!!

quinta-feira, 26 de julho de 2012
Até que enfim que há alguém que abriu os olhos e que percebe o que se passa: OCDE: Portugal tem de subir salários dos funcionários públicos qualificados

É preciso que os funcionários públicos com qualificações - mas atenção: esses não são os das "corporações" que existem na função pública, que se encontram já no topo da escala salarial e que, ainda assim, passam a vida a auto-promover-se e a reivindicar mais privilégios e mordomias - sejam remunerados de forma decente e consentânea com as suas funções.

Para isso é indispensável que a função pública deixe de ser um asilo e que passe a empregar apenas aqueles que têm capacidades, habilitações e conhecimentos demonstrados e não qualquer um que pretenda apenas ter um "empregozito"...

Não é negra; é escura...

Governo cria lista negra para quem não paga contas da luz e gás

A OCDE também deve ser declarada inconstitucional...


OCDE considera "razoável" alargar cortes dos subsídios de férias e Natal ao privado

Comichões...

quarta-feira, 25 de julho de 2012
Pelos vistos a declaração do primeiro ministro de "que se lixem as eleições" se estiver em causa o interesse nacional, causa "engulhos" a todo a esquerda.

A esquerda, que tipicamente desdenha eleições - é só ver o PCP, que perde votos e eleições consecutivamente, mas continua a falar e a comportar-se como as tivesse ganho a todas - agora não se farta de criticar o homem por ele preferir perder eleições em vez de sacrificar o interesse nacional.

Esta "erisipela" da esquerda é, no entanto, uma reacção abonatória. Sempre que a esquerda fica "eriçada" é bom sinal: quer dizer que ser faz aquilo que se considera certo e não se está a fazer-lhe a vontade, o que é desde logo, bom sinal.


Grande título...


EXPOFACIC: Grupo típico de andanças e cantares da CGTP recebe Primeiro Ministro

Efeito permanente...

Campanha do Pingo Doce representou um custo extraordinário de 10 milhões de euros à Jerónimo Martins.
Porém, a promoção do 1º de Maio ajudou Pingo Doce a aumentar as vendas em 2,4%... 
No meio de tudo isto o que é certo é que, apesar do seu custo, hoje, passados três meses, continua-se  fala nessa promoção de loja ... e ao falar-se nela fala-se no Pingo Doce ... Melhor que isso é que vai continuar a falar-se...!!! 
Publicidade desta é mesmo um mimo...!!! 
É caso para se dizer "vai-te perda, que me dás lucro"...!!!

Nada de novo...


Passos Coelho foi vaiado em Cantanhede.
Os manifestantes que o vaiaram estavam ligados a diversos sindicatos e ao Sindicato dos Professores da Região Centro. Ou seja: era a corja do costume...

Ora agora salgadinhos...!!!

Kim Jong-un casou com "a camarada Ri-Sol-ju”  Camarada "Rissol"...???!!!

Será que a política norte coreana passa a contar também com "salgadinhos"...???

Será que ainda vamos assistir ao resgate do fundo de resgate...???

Moody's baixou hoje as perspetivas do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF), colocando-as em "negativo".

Aviso

terça-feira, 24 de julho de 2012

Fica-se a saber que do ponto de vista da ordem dos médicos, a estatização da saúde gera honestidade...

Prémio "ou o mundo está de pernas para o ar ou este gajo é completamente cretino"...


Para o bastonário da Ordem dos Médicos não há duvidas: as situações detectadas pela Inspecção-Geral das Actividades em Saúde de médicos com vínculo ao SNS que são também prestadores de serviço nos locais onde trabalham e de remunerações acima do previsto resultam “da introdução de regras de mercado na saúde, defendidas por ministros neoliberais como Luís Filipe Pereira, Correia de Campos e Paulo Macedo”.

"Em defesa do Serviço Nacional de Saúde"...!!! (2)


No que respeita às remunerações de médicos em regime de prestação de serviço, há casos em que o valor mensal de pagamentos chega aos 20 mil ou aos 40 mil euros

"Em defesa do Serviço Nacional de Saúde"...!!!


Médicos acumulam salários no Serviço Nacional de Saúde

Agora, onde é que está a ordem dos médicos mais os sindicatos...???


Inspecção-Geral das Actividades em Saúde detectou médicos com vínculo ao SNS que são também prestadores de serviço nos locais onde trabalham e casos de remuneração acima do previsto.

O contra-ataque

segunda-feira, 23 de julho de 2012
Fogos abrem guerra entre Bombeiros e Proteção Civil

O "bombeiral" - que tal como a sua comum designação é uma "corporação" e como "corporação" que é mexe com grandes interesses (...) e que andava "azedo" com o governo por causa dos cortes no forróbódo do dinheiro e das prebendas - já está ao "ataque" no rescaldos dos incêndios, procurando arranjar forma de suportar e legitimar mais reivindicações, mais dinheiro, ou seja, mais prebendas. Em resumo: "quilhar" o governo e forçá-lo a dar o que eles querem.
A forma agora adoptada é "perseguir" a protecção civil: se esta acabar, pode ser que o dinheiro que era gasto nela vá para o "bombeiral"... Ou então o "bombeiral" passa a "tomar conta" da protecção civil... Ou então que o governo acabe por fazer aquilo que eles querem...

Aditamento
Aqui está a conclusão:Liga dos Bombeiros: Protecção Civil é "principal responsável" por erros no Algarve. Sem espinhas...!!!

Quadratura do círculo...

Seguro reitera que compromissos externos são para honrar mas sem destruir Estado social

O tozé, no seu típico discurso côr-de-rosa, esquece-se que foi exactamente o excesso de estado e o excesso de estado social que "rebentou" o país.
O que ele defende é que compromissos sim, mas há que continuar a viver à tripa-fôrra. Esquece-se é de dizer como é que se há-de arranjar o dinheiro para isso, já que nós estamos completamente falidos...
Os socialistas são mesmo o máximo quando toca a viver com o dinheiro dos outros...!!!

Não se esqueçam...

... agora, de continuar a discutir e a defender a criação de regiões autónomas no continente.

Como se já não nos bastasse uma Madeira, agora o que mais faltava era termos, como em Espanha, "madeiras" espalhadas de norte a sul.

E não vale a pena alegar que nas regiões autónomas se gasta melhor o dinheiro; porque o que acontece nas regiões autónomas - como agora se verifica nas autonomias espanholas e por cá se pode ver nas autarquias locais ou em qualquer estrutura política onde os seus líderes dependam de eleições - é que se gastará sempre mais do que se pode e deve gastar: gastar-se-á "o que se tem e o que se não tem" porque esbanjar dinheiro, mesmo que em óbvias inutilidades, é suficientemente básico para se tornar agradavelmente populista, demagogicamente atractivo, gerando, na massa acrítica, uma ideia de capacidade e proximidade que rende votos, o que sairá ainda reforçado se o esbanjamento servir também para "engordar" alguém...

Por isso, nesta altura de apertos financeiros por causa de uma ameaçadora bancarrota socialista, vale a pena que o país reflicta seriamente no que custa ganhar  dinheiro e pagar impostos, para que, de vez, se acabe com essa veleidade "regionalista". 
Se, ainda assim, houver quem quiser muito ser autónomo, tem bom remédio: torna-se independente e passa a governar-se e a ganhar dinheiro para si próprio, e assim já fica livre para gastar o que quiser...

Remédio santo...

Sindicatos admitem prolongar greve da CP até Outubro

Aposta-se que se a CP for privatizada estas "vontades" sindicais passam num instantinho e os "prolongamentos de greve" é "um ar que lhes dá"...

Chain reaction

"Memorando é que tem de se ajustar à realidade" ... e a realidade tem que se ajustar ao tózé...

Não é por nada...

domingo, 22 de julho de 2012
... mas perante o que se ouve dizer (designadamente em matéria de "horários zero"), parece que o ministério da educação só não será contestado pelos professores quando para cada cada turma de 20 professores houver (o mínimo de) 1 aluno...

Era mais que previsível...

FMI quer cessar ajudas à Grécia, que poderá abrir falência em Setembro

A UE tem "andado a empurrar com a barriga, para a frente", este problema. Pelos vistos teve que ser uma entidade "de fora" a mostrar à UE a crueza da realidade...

No próximo ano, à hora da bica...

sexta-feira, 20 de julho de 2012
- Por favor. Tenho o NIF 234 567 890. Queria uma bica curta, por favor...

- Então é uma bica curta. O NIF é...???

- Já disse: 234 567 890...

- ... Estou a apontar... Muito obrigado... Vou repetir 234 567 890...

- Está certo...

... ... ...

- Sai uma bica curta para o 234 567 890...

...

- Já está a bica curta. Repte lá o NIF...

- 234 567 890...

... ... ...

- Ora aqui está a factura da bica...

... ... ...

- Aqui tem a sua bica e a respectiva factura...

- Até que enfim...!!!

(Com esta factura vai ser possível recuperar € 0,122 de IVA na declaração de IRS...)

In memoriam...

Portugal, a história e a cultura nacionais estão seguramente mais pobres.

Digam o que disserem, é certo e inequívoco que José Hermano Saraiva para além de grande português, foi um enorme divulgador de Portugal porque, conhecedor a sua história, soube conta-lá e transmiti-la de uma forma viva, fácil, atractiva e memorável...

Nos tempos actuais, em que a ausência de cultura e de conhecimentos históricos são patentes (porque a cultura a e história são consideradas "coisas do passado", porque se entende que a ciência e a tecnocracia tudo resolvem e, não menos importante, porque se acha que a "alarvidade" é a melhor habilitação) ele foi capaz de atrair e fazer ouvir as suas imensas estórias sobre a história de Portugal.

Vamos lá ver agora como é...

Tribunal manda investigar se Sócrates recebeu dinheiro para autorizar Freeport

Vamos lá ver agora se a justiça e os seus principais agentes vão branquear de novo a situação tal como fizerem, de forma ostensivamente indecente, no caso "face oculta".

Espera-se assim que, desta feita, nem o inefável presidente do stj nem o pgr tenham novamente intervenções sibilinas como outras passadas que, objectivamente, tiverem como deliberada consequência furtar o visado ao julgamento da justiça...

Uma fábula dos nossos tempos...

quinta-feira, 19 de julho de 2012


(by mail)

A Cigarra e a Formiga - versões Alemã e Portuguesa

Versão alemã

A formiga trabalha durante todo o Verão debaixo de Sol. Constrói a sua casa e enche-a de provisões para o Inverno.

A cigarra acha que a formiga é burra, ri, vai para a praia, bebe umas bejecas,  vai ao Rock in Rio e deixa o tempo passar.

Quando chega o Inverno a formiga está quentinha e bem alimentada. A cigarra está cheia de frio, não tem casa nem comida e morre de fome.
= Fim =


Versão portuguesa

A formiga trabalha durante todo o Verão debaixo de Sol. Constrói a sua casa e enche-a de provisões para o Inverno.

A cigarra acha que a formiga é burra, ri, vai para a praia, bebe umas bejecas,  vai ao Rock in Rio e deixa o tempo passar.

Quando chega o Inverno a formiga está quentinha e bem alimentada.

A cigarra, cheia de frio, organiza uma conferência de imprensa e pergunta porque é que a formiga tem o direito de estar quentinha e bem alimentada enquanto as pobres cigarras, que não tiveram sorte na vida, têm fome e frio.

A televisão organiza emissões em directo que mostram a cigarra a tremer de frio e esfomeada ao mesmo tempo que exibem vídeos da formiga em casa, toda quentinha, a comer o seu jantar com uma mesa cheia de coisas boas à sua frente.

A opinião pública tuga escandaliza-se porque não é justo que uns passem fome enquanto outros vivem no bem bom. As associações anti pobreza manifestam-se diante da casa da formiga. Os jornalistas organizam entrevistas e mesas redondas com montes de comentadores que comentam a forma injusta como a formiga enriqueceu à custa da cigarra e exigem ao Governo que aumente os impostos da formiga para contribuir para a solidariedade social.

A CGTP, o PCP, o BE, os Verdes, a Geração à Rasca, os Indignados e a ala esquerda do PS com a Helena Roseta e a Ana Gomes à frente e o apoio implícito do Mário Soares organizam manifestações diante da casa da formiga.

Os funcionários públicos e os transportes decidem fazer uma greve de solidariedade de uma hora por dia (os transportes à hora de ponta) de duração ilimitada.

Fernando Rosas escreve um livro que demonstra as ligações da formiga com os nazis de Auschwitz.

Para responder às sondagens o Governo faz passar uma lei sobre a igualdade económica e outra de anti descriminação (esta com efeitos retroactivos ao princípio do Verão).

Os impostos da formiga são aumentados sete vezes e simultaneamente é multada por não ter dado emprego à cigarra. A casa da formiga é confiscada pelas Finanças porque a formiga não tem dinheiro que chegue para pagar os impostos e a multa.

A formiga abandona Portugal e vai-se instalar na Suíça onde, passado pouco tempo, começa a contribuir para o desenvolvimento da economia local.

A televisão faz uma reportagem sobre a cigarra, agora instalada na casa da formiga e a comer os bens que aquela teve de deixar para trás.

Embora a Primavera ainda venha longe já conseguiu dar cabo das provisões todas organizando umas "parties" com os amigos e umas "raves" com os artistas e escritores progressistas que duram até de madrugada. Sérgio Godinho compõe a canção de protesto "Formiga fascista, inimiga do artista...

A antiga casa da formiga deteriora-se rapidamente porque a cigarra está-se nas tintas  para a sua conservação. Em vez disso queixa-se que o Governo não faz nada para manter a casa como deve de ser. É nomeada uma comissão de inquérito para averiguar as causas da decrepitude da casa da formiga. O custo da comissão (interpartidária mais parceiros sociais) vai para o Orçamento de Estado: são 3 milhões de euros por ano.

Enquanto a comissão prepara a primeira reunião para daí a três meses, a cigarra morre de overdose.

Rui Tavares comenta no Público a incapacidade do Governo para corrigir o problema da desigualdade social e para evitar as causas que levaram a cigarra à depressão e ao suicídio.

A casa da formiga, ao abandono, é ocupada por um bando de baratas, imigrantes ilegais, que há já dois anos que foram intimadas a sair do País mas que decidiram cá ficar, dedicando-se ao tráfego da droga e a aterrorizar a vizinhança.

Ana Gomes um pouco a despropósito afirma que as carências da integração social se devem à compra dos submarinos, faz uma relação que só ela entende entre as baratas ilegais e os voos da CIA e aproveita para insultar Paulo Portas.

Entretanto o Governo felicita-se pela diversidade cultural do País e pela sua aptidão para integrar harmoniosamente as diferenças sociais e as contribuições das diversas comunidades que nele encontraram uma vida melhor.

A formiga, entretanto, refez a vida na Suíça e está quase milionária...

 = Fim =

Os ratos começam a abandonam o barco....


Silva Pereira diz que PS pode votar contra Orçamento de Estado de 2013

A segunda infância...

quarta-feira, 18 de julho de 2012
Nota-se claramente que o que ainda hoje se julga "dono da política portuguesa", mário soares, e o (ainda) bispo das FA, já entraram claramente na "segunda infância": só dizem dislates, com cara séria e grande convicção,  convencidos que (já) são "pessoas grandes"...

Não haverá por aí um centro geriátrico que os acolha...

A "fazer-se ao piso"...

terça-feira, 17 de julho de 2012
Esta senhora já anda a "encostar a escada" e a "fazer-se ao piso" a ver se chega a PGR na próxima "remodelação" lá no palacete do Duque de Palmela...

Tão certo como "três e dois serem cinco"...

Já tarda...

Bispo das Forças Armadas acusa Governo de ser “profundamente corrupto”

Começa a ser mais que altura da Igreja meter este senhor na ordem.
Se o não fizer, tal só pode significar que se revê e compraz nas alarvidades que o senhor regurgita regularmente. O que, no mínimo, é grave...

Moralismo serôdio

Alguém tem na memória se os "corta-relvas" de hoje manifestaram o mesmo pudor e a mesma veemente indignação quando se descobriu que o sócrates, depois de muitas mentirolas, tinha tirado um curso de engenharia ao domingo, fazendo as provas em casa e enviando-as ao professor por fax...???

Ou afinal, estas manifestações são, tão somente, um ataque de pudícia e moralismo serôdios...???

In memoriam



Jon Lord

Assobios e insultos

segunda-feira, 16 de julho de 2012
Relata o DN:

O primeiro-ministro esteve hoje na abertura de um congresso internacional dedicado à pedra natural, em Borba, onde foi recebido por protestos de mais de uma centena de pessoas contra as medidas do Governo, que empunhavam cartazes e gritavam palavras de ordem como "O FMI não manda aqui", "Os salários a baixar e os lucros a aumentar" e "Com Passos a mandar, o país vai-se afundar".

O que o jornal não diz é que os manifestantes (ou seja os "comunas" do costume da cgtp-inter) fartaram-se de chamar "ladrão" e "gatuno" ao primeiro ministro. Isto já descontando todo o resto.

Perante a passividade da GNR, seria de averiguar o seguinte:

- se o insulto também faz parte da liberdade de expressão e manifestação (mesmo considerando que os manifestantes eram da cgtp-inter...)...???

- se insultar o primeiro ministro não é crime...???

- se a GNR não tem meios para evitar esta bandalheira...???

- porque razão a televisão em vez de cobrir os eventos, cobre antes (e entrevista) as irrelevantes participantes destas manifestações de meia dúzia de comunas mal educados, dando-lhes assim uma projecção e audiência que, de outro modo, não teriam...

- se não seria bom enviar uns quantos polícias a Espanha fazer uma reciclagem com os colegas de Madrid.

Uma coisa é certa...

Se, como agora se grita a todo o momento, o "canudo" de Miguel Relvas não tiver validade então devem imediatamente ser retiradas as habilitações a todos aqueles que as obtiver ao abrigo do programa "Novas Oportunidades".

É que se houve "balda" na atribuição de habilitações académicas foi neste programa.
Não se compreende, por isso, que uns (os das "novas oportunidades" ps) tenham que ser tratados de modo mais brando e preferencial do que os outros, só porque estes são ministros de um governo de direita que está a tratar da privatização da RTP e a mexer (ainda que só cosmeticamente) nas autarquias locais...

Esta agora...!!!


Fica-se agora a saber que o silva carvalho também tinha um "franchising" em Espanha...

A fazer-se justiça...

O Ministério Público (MP) pediu esta segunda-feira a absolvição dos dois arguidos do caso Freeport, Charles Smith e Manuel Pedro, considerando que durante o julgamento não ficaram provados os factos que lhes eram imputados e que sustentavam uma acusação de tentativa de extorsão.

Extorsão, como...???

Ninguém tentou extorquir nada. O que aconteceu foi que alguém, ligado ao poder do Estado, pediu dinheiro (muito) para que determinado acto fosse praticado e aqueles dois limitaram-se a transmitir o pedido, de modo a resolver o "embróglio" do licenciamento do Freeport.

Como esse "alguém" nem sequer foi ouvido no processo, e como a acusação andava ali pelas "bordas" do crime, sem querer falar em corrupção, activa e passiva, para a prática da acto lícito (ou ilícito), como é que se poderia pretender uma posição do MP diferente desta...???
Como sempre, no nosso país, "a culpa morre solteira"...

Remake de "Alice no País das Maravilhas"...

domingo, 15 de julho de 2012
Hollande exige renegociação do plano da Peugeot Citroën

Esta exigência, tipicamente socialista, significa, tão somente, querer fugir a realidade nem que isso implique "começar a inventar" formas de sustentar situações insustentáveis, até à "débâcle" total... 

Depois da "débâcle" é só fugir, atirar as culpas para os outros e esquecer o passado.
Entretanto haverá sempre alguém que fica a a sofrer as consequências e a limpar os "cacos"...

Está visto...!!!

sábado, 14 de julho de 2012

O que resolveria todos os graves problemas do país era este passar a ser governado pela Ordem dos Médicos em representações dos seus associados, porque eles "asseguram o melhor serviço público português" no dizer do seu bastonário.

Evidentemente que esse governo teria, naturalmente, que ter como primeiro ministro, o esclarecido catedrático-médico-bastonário coimbrão...

Os "bastonários"...


Verifica-se pelo elevado nível e teor aprimorado das suas constantes declarações e afirmações, em múltiplas aparições televisivas e jornalísticas, que as duas principais Ordens profissionais portuguesas estão mesmo muito bem representadas pelos respectivos bastonários.

Será mesmo caso para se dizer que certamente isso se deve ao facto de ambos terem a "escola" de Coimbra...

Daí a necessidade de defenderem o SNS...


Queixas no SNS aumentam e médicos são os principais visados

A ler...



... o que, esclarecidamente, escreve José Manuel Fernandes, no Blasfémias:



A dimensão da greve dos médicos não me surpreendeu. O que me surpreendeu foi verificar como as reivindicações substantivas dos sindicatos e da Ordem – não as reivindicações retóricas, para consumo da opinião pública – visam, em última análise, prolongar um estatuto de excepção só possível dentro da mesma lógica que alimenta o acórdão do Constitucional. Sempre que tinham um microfone por perto, os médicos afirmavam estar em luta pela defesa do SNS. Mas, se se olhava para os cartazes que levaram para a manifestação frente ao ministério, via-se que neles se falava sobretudo de carreiras médicas e de contratação colectiva. Porque é realmente isso que preocupa os sindicatos médicos, como se pode comprovar lendo o seu caderno reivindicativo.
Não duvido que muitos médicos, porventura a maioria, acredite sinceramente que a futuro do SNS passe pela continuação das condições contratuais a que se habituaram nas últimas décadas e que, não se duvide, são muito favoráveis, quando comparadas com as de todas as outras profissões. Durante décadas só os licenciados em Medicina tinham a permanente garantia de emprego no final dos seus cursos. Não foi pouco, não é pouco. Como não é irrelevante poderem beneficiar de uma carreira pública e, ao mesmo tempo, fazerem clínica privada, algo que não está ao alcance de outras profissões com carreiras públicas bem delimitadas, como juízes ou militares. Também podem receber horas extraordinárias, o que não se conhece nessas outras profissões. Mais: terão os médicos noção de como, no sector privado como no sector público, o pagamento de horas extraordinárias é hoje cada vez mais uma excepção, sobretudo onde se luta todos os dias por manter postos de trabalho?
Exigências como a de uma “grelha salarial para a carreira médica única” reflectem uma visão monolítica e estatizada do exercício da profissão que não é compatível nem com um mundo mais complexo, nem a necessitar de soluções mais flexíveis e menos corporativas. Ser médico sempre me pareceu dever ser mais qualquer coisa do que ser simples funcionário do Estado, e essa componente não a encontro nos cadernos reivindicativos. Mas já lá encontro, em contrapartida, uma feroz oposição a que se proceda à limpeza das listas de doentes que não utilizam os centros de saúde, para poder acolher outros sem médico de família, uma preocupação dos sindicatos que me parece muito pouco compatível com o discurso de que estão a defender um melhor acesso aos cuidados de saúde.
O pretexto próximo desta greve foi um concurso para fornecimento de dois milhões de horas de serviços médicos. É bom ter noção do que isso representa: considerando 40 horas de trabalho semanal, falamos do equivalente a um pouco mais de mil horários completos – ou seja, sensivelmente 2,5% do total. Os médicos podem, com razão, considerar indigno o salário horário indicado, apesar de o concurso nem sequer ter sido fechado, mas estamos sempre a falar de uma excepção que afectaria (não chegou ainda a afectar), no máximo, um em cada 40 médicos. É necessário pois ter a noção das proporções.
Mas importa também perceber porque é que se chegou a um ponto em que é necessário recorrer a médicos contratados, digamos assim, “à peça”. Isso é também consequência de um regime de carreiras e de contratações que é muito rígido e de hábitos de horas extraordinárias que eram demasiado generosos. Este país é o mesmo onde, há ainda poucos anos, o Tribunal de Contas detectava médicos a ganhar entre 250 mil e mais de 750 mil euros por ano no SNS. Este é também o país onde, para se conseguir recuperar cirurgias em atraso, se promoveram esquemas de incentivos que permitiram a muitos médicos ganhar dezenas de milhares de euros por mês no SNS. O mesmo SNS que vinha acumulando dívidas cada vez maiores. A contratação à hora é o reverso da medalha destes regimes: onde há muita rigidez e custos elevados associados, surgem por regra situações de precariedade a preço de saldo. É o mundo dual dos que têm porque estão no sistema e dos que não têm, mas cuja grande ambição – como se via nas reportagens sempre que estas focavam estudantes ou jovens internos – é passarem a fazer parte também do sistema.

Piruetas "à tona"...

sexta-feira, 13 de julho de 2012
Helena Roseta, perita em piruetas políticas, em que é useira e vezeira, está na Sic Notícias a atacar Relvas por causa da sua licenciatura, falando, a propósito, em "daltonismo moral"...

Tem razão. Só por causa desse "daltonismo moral" é que "monos" de antigamente, como ela, ainda hoje andam por aí "à tona"...

Chega de tanto sofrer...

Numa altura em que uma licenciatura (designadamente se for uma licenciatura pós-Bolonha) não serve para nada a não ser para atirar e manter no desemprego quem a tenha; numa altura em que uma licenciatura (uma qualquer, não importa qual) já não garante qualquer forma de ascensão e reconhecimento sociais, porque já não há gato-sapato que não tenha uma ou duas e a escala social está cheia de broncos, arrivistas, incultos e invejosos, que não reconhecem nem respeitam nada; num momento em que uma licenciatura não dá nem ciência, nem cultura, nem "educação", porque quem ensina nas universidades não tem nada disso (e quem não tem, não pode dar...), ainda há quem ande muito preocupado a perseguir o ministro relvas por causa da sua "licenciatura" em "relações internacionais"...!!!

Por causa disso, o que o ministro "dr. relvas" devia fazer era renunciar imediatamente à licenciatura e ficar só "ministro relvas".
E se isso ainda não fosse suficiente devia ainda, de forma expressa, abdicar, prescindir, repudiar, renegar, anular, enterrar a dita licenciatura em "relações internacionais".
É que um curso de "relações internacionais, num país como o nosso, só serve mesmo para ter o "título" de "dr". Não serve rigorosamente pra mais nada - a não ser, agora, ao senhor ministro relvas, para lhe dar chatices, proporcionar sessões de assobiadelas, e ter meio mundo mais um cão (e a comunicação social) atrás de si por causa dele.

Aliás, sempre que se fala em "relações internacionais" uma pessoa só se lembra de uma qualquer forma inicitática de uma qualquer ciência esotérica; ou então daquela "ciência"em que o único tipo licenciado, mestre e doutor é o zézé camarinha - e isso só acontecia no Algarve, há já muito tempo, quando, por lá, ainda havia turismo internacional com abundância...

Se o senhor ministro relvas quiser aceitar um conselho, faça o seguinte: renegue o seu curso e a sua licenciatura e verá que não se arrepende.
Não fica nem mais nem menos, manda os "chatos" "abaixo de Braga" e deixa de carregar sobre os ombros esse peso de ser um "licenciado em relações internacionais, pós-Bolonha, no sistema RVCC". O que, bem vistas as coisas e considerando aquilo para que essa licenciatura possa servir, convenhamos que é, na verdade, penitência pesada demais...

Para quando...???

Para quando a criação de um Ministério das Corporações (que também poderá ser chamado de "Casa dos Vinte e Quatro") destinado exclusivamente a tutelar, dar guarida e satisfação às reivindicações e exigências das novas corporações ou mesteirais que de há muito tomaram conta  (canibalizando) a sociedade e a política portuguesa, tanto mais quanto a sua actividade seja socialmente considerada central para o actual conceito de "bem-estar" e a sua não prestação cause grandes transtornos e prejuízos, não ao Estado-patrão (que com a greve até economiza uns "cobres"), mas sim aos seus utentes, meros cidadãos indefesos, que servem como "moeda de troca" para obrigar à satisfação das sua supinas exigências - a saber:

- Maquinistas da CP
- Trabalhadores dos transportes colectivos que ainda sejam empresas públicas
- Pilotos da TAP
- Professores
- Médicos
- Enfermeiros
- Ferroviários
- …

Até que enfim...!!!

Itália foi ao mercado financiar-se em 3,5 mil milhões de euros. O juro pago foi inferior à última emissão comparável, mesmo depois da Moody’s ter cortado o "rating" do país em dois níveis, colocando a notação a dois patamares de "lixo".

Parece que, finalmente, as agências de rating estão a deixar de comandar a especulação e de controlar os mercados...

Lá isso é verdade...


“Não há infracções à concorrência na venda de combustíveis”

Mas é claro: não há infracções à concorrência porque ... não há concorrência...!!!

Uma notícia com um título do costume...

quinta-feira, 12 de julho de 2012
Ministro cede e reúne esta sexta-feira com os sindicatos

Mas o ministro cede em quê...???
O ministro está farto de dizer que fala com os médicos.
Antes da greve esteve disposto a reunir-se com os médicos e estes recusaram-se.
Agora o ministro, educadamente, aceita reunir-se com os médicos e a notícia intitula-se: "ministro cede"...

Isto é que é isenção jornalística...

Na mouche...

One of the many problems concerning the rise of the professional political class over the past 20 years is that its members always feel the need to be busy. It is a well-known fact that the majority of new laws are not merely unnecessary: they actually make life worse. But almost all politicians love new legislation because it creates the perception that they are taking action, although that is often not the case at all.

A partir de um link aqui.

50 anos sempre a desfrutá-la...!!!

Então, senhores doutores...???!!!

Médicos não estão disponíveis para fazer greve com enfermeiros

Então, senhores doutores...???!!! Esta recusa significa alergia, elitismo ou é, fundamentalmente, sinónimo de corporativismo...???

É que esta recusa dá a entender que os problemas dos enfermeiros só são importantes enquanto sirvam, e na medida em que sirvam, para ajudar a dar relevo e tutelar as posições e os interesses da classe médica...!!!
Depois de tudo estar "arranjadinho" para o lado dos "senhores doutores" os problemas dos enfermeiros são unicamente lá com eles (aliás, nesta matéria, uma velha "guerra" latente entre estas duas "classes" e as respectivas "competências", leva a que os médicos, se puderem "desajudar", "desajudarão" com todo o gosto...)

Então, senhores doutores: agora já não está em causa a defesa do Serviços Nacional de Saúde do qual os médicos e enfermeiros fazem parte..???!!!

Mineiros "o tanas"... !!!


Na manifestação (dos mineiros espanhóis, em Madrid) estiveram presentes muitos membros do grupo 15-M e centenas de cidadãos anónimos que aproveitaram a ocasião para se manifestarem contra as medidas de austeridade apresentadas pelo governo.

Mais greve...


Hoje também há greve dos médicos.

Ontem a greve foi em defesa do SNS. E hoje...??? Vai ser em defesa de quê...???

Grandes médicos...

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Dois médicos, um neurocirurgião e um ortopedista, estavam hoje de manhã a dar consultas no Hospital S. José, em Lisboa.

As pessoas (os médicos) prestam-se a cada coisa...

A manifestação dos médicos em frente ao Ministério da Saúde, em Lisboa, reuniu ao início da tarde várias centenas de profissionais vestidos com bata branca. Os sindicatos esperavam ter quatro mil pessoas... 

 Os médicos, com uma fita preta atada no braço em sinal de luto, empunham cartazes com frases de ordem: não ao encerramento de serviços “de qualidade” e pela defesa da qualidade da profissão médica.  

A multidão grita: “precariedade não, qualidade sim.”

(2 notas:

1. o jornal designa os (parcos) manifestantes por "multidão"... Convém...
Depois, os jornalistas estranham que lhes sejam dirigidos comentários menos abonatórios.

2. constata-se que se está (única e simplesmente) perante um puro interesse corporativo e que o que está em causa nesta greve é simplesmente o conflito entre a vontade de apropriação, pela corporação médica, dos destinos do SNS e o poder do governo sobre o mesmo.
Aliás as greves médicas acontecem sempre com governos ditos "de direita" que pretendem estabelecer nova ordem e novas regras na matéria, o que põe ou pode pôr em causa os privilégios e prebendas da classe.
A "historia" da "defesa do SNS" é uma "trêta" ou um pretexto para que, afinal, tudo continue na mesma e nenhum privilégio se perca...)

O político no seu melhor...

O presidente da unidade que vai analisar as propostas de agregação de freguesias quer manter o máximo possível de autarquias

Confirma-se, uma vez mais, a máxima de Lampedusa, nas palavras do Príncipe de Falconeri: Para que as coisas permaneçam iguais, é preciso que tudo mude.

E eles não têm lá a troika...

Espanha sobe o IVA, suspende subsídio de Natal na função pública e baixa subsídio de desemprego

Uma curiosa coincidência: começa a tornar-se comum o facto dos governos socialistas deixarem sempre as finanças públicas em estado verdadeiramente calamitoso ...

A propósito disso: a França que se vá cuidando...

A ler...


Ainda o bloqueio do Expresso sobre o Freeport, de helena matos no Blasfémias

É que este texto ajuda a perceber muita coisa...

Ele anda por aí tanta pobreza envergonhada...

Confirma-se, pelas últimas greves com que tivemos que aguentar, que, afinal, o último escalão do IRS abrange não só os designados "ricos" e "exploradores da classe operária" mas também um conjunto de trabalhadores por conta de outrem que vivem dilacerados pelas agruras da crise - a saber:

  1. Maquinistas da CP
  2. Pilotos da TAP
  3. Médicos do SNS...

Também não era preciso "enfiar a carapuça"...

O presidente da Câmara de Oeiras, Isaltino Morais, acusou hoje o Governo de tratar os autarcas como "delinquentes".

Vejamos

Título do Público (papel):


Pode ser que seja como é dito. Mas, sendo assim, que culpa tem relvas no caso...???

Ainda se aguarda uma explicação convincente de como se formam os preços dos combustíveis...

terça-feira, 10 de julho de 2012

Cá pela nossa "piolheira":

O preço do gasóleo e da gasolina sobem três cêntimos esta semana. A subida faz-se sentir já esta segunda-feira.
O aumento previsto reflete a evolução das cotações médias dos dois combustíveis nos mercados internacionais durante a última semana.

Enquanto isso, lá fora:

Os preços da matéria-prima continuam em queda. 
Os contractos futuros do barril de petróleo, negociados em Nova Iorque descem 1,35% para os 84,83 dólares. 
Já o Brent do mar do norte, transaccionado em Londres, desce 1,59% para os 98,72 dólares.

Perante tudo isto, tem mesmo que se concluir que o mecanismo de formação dos preços dos combustíveis deve ser muito, mas mesmo muiiiiiiito complicado...

Ele há coisas...

Reloaded do 31 da Armada:

Confirma-se pela greve dos médicos que, afinal, o último escalão do IRS não abrange só gente rica...

Lógica médica...


Médicos não cedem a Paulo Macedo ... porque Paulo Macedo devia ter capitulado perante os médicos

Cá, era de uma "penada"...!!!

segunda-feira, 9 de julho de 2012
Perante a intenção do governo de cortar os subsídios de férias e de Natal, pode ser que os funcionários públicos espanhóis se recorrerem para o Tribunal Constitucional de Portugal, consigam a declaração de inconstitucionalidade dessa medida...!!!

... Ãããããhhhh...??? ... Não pode ser...???!!! ... Ohhhh...!!! ... Que pena...!!!

Isto só não é uma vergonha e uma infâmia porque vivemos num país de "morrinhanha"...


O homem "suspeito" do homicídio, em 2007, do dono do bar de striptease "O Avião", em Lisboa, pelo que foi condenado, pelas Varas Criminais de Lisboa, em Março do ano passado, a 22 anos de prisão pelo crime de homicídio qualificado, foi nesta segunda-feira absolvido em tribunal, depois de parte do julgamento ter sido repetida por força de uma decisão do Tribunal da Relação de Lisboa que obrigou à repetição de parte do julgamento.

Para finalizar, e como "cereja em cima do bolo", agora, só falta mesmo a condenação do Estado numa "chorudíssima" indemnização ao ex-suspeito ex-condenado absolvido...

Agora é que vão ser elas...

O economista Luís Campos e Cunha defende que uma alternativa possível (à decisão do Tribunal Constitucional) é taxar metade dos 13º e 14º meses a todos os que os recebem (sejam do sector público sejam do privado).

Não querem lá ver que vai (re)começar a "gritaria", porque isto (de todos pagarem por igual) também deve ser considerado inconstitucional...???

Mas que "aflições"...


O dono da Oficina Auto Senhor dos Aflitos de Braga, suspeito de corrupção ativa numa investigação aos Transportes Urbanos de Braga (TUB), disse ao Tribunal, por escrito, que pagou meio milhão de euros em "comissões", eventualmente a um antigo presidente da Administração dos Transportes Urbanos (TUB) e a uma vogal da mesma empresa.

Braga afirma-se, mais uma vez, como terra de "aflições"...

Nova moda: chantagem calendarizada


Médicos só desconvocam greve com calendário para reivindicações

Pura chantagem


Na capa do Público (papel): Médicos prometem mais greves se o Governo não recuar

Depois...???

domingo, 8 de julho de 2012
Um dos sindicatos médicos, que recusou estar hoje presente a uma reunião com o ministro da saúde, quer agora reunir e negociar depois da greve...

Só podem estar a gozar, não...???

"Braços de ferro" e quejandos...

Os médicos e os seus sindicatos recusam reunir com o ministro enquanto este não retirar a "ameaça" da requisição civil.

Como se percebe claramente, os médicos estão em greve não para resolver os seus problemas mas para criar agitação social e dificultar a vida ao governo. Relembrando a linguagem da agitação pós-abrilina, estão num "braço de ferro" com o ministro. Aliás, ontem, o "chefe jerónimo" dos comunistas, disse os médicos estão em greve para defender o SNS...!!! É assim forçoso concluir-se que aquilo que os médicos estão a fazer é, pura e simplesmente, agitação social com intuitos políticos.

Querer que o ministro abdicasse do poder da requisição civil era pretender que o Estado abdicasse de uma prerrogativa inalienável exactamente destinada a combater a arruaça dos sindicatos e o desvirtuamento da greve, que é que agora, mais uma vez, acontece.

Novamente agora que o Estado tem que se mostrar forte é lembrar aos senhores médicos que eles não são mais os feiticeiros da tribo cheios de poderes e artes mágicas, mas simplesmente, quando trabalham no Estado, funcionários públicos como os demais.
E como os demais funcionário públicos, também sujeitos a regras e deveres e, em última análise, ao poder do Estado, designadamente ao poder de os requisitar civilmente para que, com "braços de ferro" e chantagens, não possam pôr em causa aquilo que alegam estar a defender - o serviço nacional de saúde.

Começa a ser evidente

sábado, 7 de julho de 2012
Começa a ficar claro e evidente por demais que o Expresso está completamente em campanha conta Relvas.

Porém não se acredita que isso sejam efeitos colaterais da intenção do governo de privatizar a RTP...

A ver vamos...

Hoje há quem esteja muito contente.
Hoje há quem se regozije com a decisão do Tribunal Constitucional de declarar inconstitucional o corte dos subsídios de férias e de natal dos funcionários públicos e dos pensionistas, pensando que assim "vergou" o governo e o obrigou a devolver os subsídios aos ditos.

Porém está muito enganado. Isto ainda pode acabar mal. Muito mal. A ver vamos...

Mais uma greve

sexta-feira, 6 de julho de 2012
Os médicos, uma das carreiras da função pública mais privilegiada e com mais altas remunerações, vão fazer greve para a semana.
Nada como fazer agitação social para alguém fazer impor a sua vontade e as suas reivindicações. E quanto mais socialmente sentida a sua actividade melhor para conseguir impor as suas exigências.
Curioso nisto é que, tal como no tempo dos governos da maioria psd,  a ordem dos médicos se assume, mais uma vez, como um inflamado sindicado.


Em conclusão: o país não manda em si mesmo. 
Há um conjunto de profissões, de grémios, de corporações, de sindicatos que manietam, chantageam e mandam no país. Impõem a sua vontade pela força da chantagem. O país está nas suas mãos. Isso constata-se, por exemplo, na recente greve dos pilotos e agora nesta greve dos médicos.
O país, porém, só sairá da decrepitude em que se encontra e ganhará dignidade quando for capaz de por fim a este "poder da rua".

Assim tem muito mais graça...


O sector privado que se achava a salvo de medidas de austeridade e encarou os cortes dos subsídios da função pública com displicência e um sorrizinho sarcástico (como se a bancarrota do país não se devesse também aos milhões em subsídios canalizados para e "esturraçados" pelo sector privado), pode agora, com a decisão do Tribunal Constitucional, começar a "pôr as barbas de molho": é entendimento do Tribunal Constitucional que nisto de cortes de subsídios ou "há moralidade ou comem todos"...

Por exemplo: um corte geral do subsídio de férias vale tanto como o corte do 13º e 14º meses dos funcionários públicos e pensionistas

Está mais que visto...!!! Não vale a pena "bater mais no ceguinho"...!!!

quinta-feira, 5 de julho de 2012

O antigo gestor do projecto do Freeport de Alcochete Rik Dattani admitiu hoje, perante o Tribunal do Barreiro, a existência de um pedido de dois milhões de libras para a viabilização daquele espaço comercial.

Morto por ter cão e morto por não ter...



Alevanta-se por esses campos fora grande alarido e ferve grossa indignação: A subsecretária de Estado do Ministério dos Negócios Estrangeiros escolheu para o seu gabinete um adjunto que é funcionário do CDS e fez constar isso mesmo no despacho de nomeação.

No mínimo, chama-se a isto de "absoluta transparência": o despacho diz que o adjunto é funcionário do CDS...!!!
Por isso não se percebe tanta admiração. Será que se pretende dizer que o despacho não devia referir esse facto...???

Mas, nesse caso, como seria o alarido e a indignação se a notícia fosse do seguinte teor: A subsecretária de Estado do Ministério dos Negócios Estrangeiros escolheu para o seu gabinete um adjunto que é funcionário do CDS e não fez constar isso mesmo do despacho de nomeação?


Decerto que aqui se levantariam de imediato gritos e brados de falta de transparência, de opacidade, e sabe-se lá de que mais...!!! 


Moral da história (segundo La Fontaine):

"é mau se monto no burro, 
se o rapaz monta, mau é,
se ambos montamos é mau
e é mau se vamos a pé"...

Ou será que o problema é tão simplesmente um questão de cor?
Neste caso há problema porque o assessor é funcionário do CDS...
Porém, já não haveria qualquer problema com a nomeação se o assessor fosse funcionário do ps e o governo fosse também cor-de-rosa...
É isso...???

Mudez e falta de memória...

José Gandarez o advogado acusado de, numa reunião, ter solicitado 1,2 milhões de euros para o projecto do Freeport ser aprovado pelo governo, garantiu que quase não abriu a boca na reunião e que não se lembra de ter sido referida qualquer verba.

Portanto o senhor doutor lembra-se que quase não abriu a boca na dita reunião mas já não se lembra de ter referido qualquer verba...

Informação para quem possa interessar...

quarta-feira, 4 de julho de 2012
Decreto-Lei nº 74/2006, 
de 24 de Março

Artigo 45º
Creditação
1 — Tendo em vista o prosseguimento de estudos para a obtenção de grau académico ou diploma, os estabelecimentos de ensino superior: 
a) Creditam nos seus ciclos de estudos a formação realizada no âmbito de outros ciclos de estudos superiores em estabelecimentos de ensino superior nacionais ou estrangeiros, quer a obtida no quadro da organização decorrente do Processo de Bolonha, quer a obtida anteriormente; 
b) Creditam nos seus ciclos de estudos a formação realizada no âmbito dos cursos de especialização tecnológica nos termos fixados pelo respectivo diploma; 
c) Reconhecem, através da atribuição de créditos, a experiência profissional e a formação pós-secundária. 
2 — A creditação tem em consideração o nível dos créditos e a área científica onde foram obtidos. 
3 — Os procedimentos a adoptar para a creditação são fixados pelos órgãos legal e estatutariamente competentes dos estabelecimentos de ensino superior.

Visto e aprovado em Conselho de Ministros de 16 de Fevereiro de 2006. — José Sócrates Carvalho Pinto
de Sousa — José Mariano Rebelo Pires Gago.


Decreto-Lei nº 107/2008, 
de 25 de Junho

Dá nova redacção à alínea c) do nº 1 do artigo 45º do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março

c) Reconhecem, através da atribuição de créditos, a experiência profissional e outra formação não abrangida pelas alíneas anteriores.


Visto e aprovado em Conselho de Ministros de 30 de Abril de 2008. — José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa — José Mariano Rebelo Pires Gago.

Os lordes...

Os prejuízos decorrentes da ameaça de greve dos pilotos, que hoje foi cancelada, atingiram 9,7 milhões de euros, fruto de 46.230 cancelamentos de reservas por parte de passageiros que preferiram não voar ou escolheram outra companhia de aviação para realizar a sua viagem

Estes "lordes" causaram um prejuízo completamente injustificado. Quem o paga...???

De quem é a culpa...???

Um homem, de 27 anos, intercedeu em auxílio de três mulheres que seguiam ontem de manhã num comboio da Linha de Sintra, acabando por ser violentamente esfaqueado por um passageiro, de 40 anos que as estava a importunar.
O agressor tentou fugir mal a composição parou, na estação de Massamá, mas foi retido por populares e entregue à PSP.
O juiz deixou-o à solta.


Quando é que a lei passa a ser dura e implacável com estas situações...???
Ou seja: quando é que o nosso sistema democrático deixa de proteger os criminosos e passa a proteger condignamente os cidadãos e a garantir a sua segurança...???

Mas afinal onde é que ele está...???


no dia 1 - Cristiano Ronaldo escolhe o Gerês para se refugiar

no dia 3 - Ronaldo e Irina namoram em Saint Tropez

Ainda que o assunto seja uma completa "trêta", espelha bem que é comunicação social com vontade de "informar" "qualquer coisa", seja lá o que for...

As típicas "medidas anti-crise" dos socialistas...

terça-feira, 3 de julho de 2012

Homossexuais franceses vão poder casar e adotar

Pelos vistos só com medo é que as coisas "irão ao sítio"...

Estão em curso investigações em Lisboa e outras zonas do país, de fraudes feitas através da exportação paralela de medicamentos e de receituário falso, que permitem obter ilicitamente o valor das comparticipações do Estado.

«As farmácias e os médicos andam cheios de medo», comentou um farmacêutico.

Barbárie...

domingo, 1 de julho de 2012

“E nós, nós somos muçulmanos. UNESCO, isso é o quê?”